Centésima Declaração Cafeana

13 Comments




100 é um número redondo, quase perfeito. Não é por acaso que se comemoram centenários com toda a pompa e circunstância. Sejam de nascimento, de morte ou de algum acontecimento histórico relevante. Fazer 100 declarações, dizendo o que se pensa, porque se pensa e fundamentando essas tomadas de posição, tendo ou não tendo razão nalgumas delas, merece, pois, a devida referência. 

Então declarou-se alto e bom som sobre aspectos tão pessoais como amar todos os diasas coisas boas da vidaos beijos e os abraçosa ternura dos 40, os malefícios do Verão ou a beleza das segundas-feiras; a falta de paciência para o Natal, o fenomenal reveillon do Mindelo, o sentimento de ser-se ateu e a visão macro e micro da vida. Como é bom ser pai, declarou-se, a páginas tantas! Como é estupidamente caro, ser info-incluído em Cabo Verde, chorou-se num outro dia. Ser homem é um desporto radical? Não sabemos, porque estas declarações procuram provocar o debate, mas na maior parte das vezes, trazem mais perguntas do que dão respostas. 

Falou-se de direitos humanos na China a propósito do Tibete; apelou-se à participação eleitoral e festejaram-se as vitórias de Barack Obama; denunciaram-se os desmandos do novo Papa e as palermices do economista crioulo que acha que ser gay é uma doença; reflectiu-se sobre a falta de interesse dos cabo-verdianos pela política e sobre guerras entre jornalistas de dentro e de fora; lamentou-se a situação na Guiné-Bissau, a guerra suja de Israel nos territórios palestinos,  

O Café Margoso comemorou as 25 mil visitas, deu corda aos Anónimos, declarou o que é um bom blogue e festejou o seu primeiro aniversário; fez-se a defesa intransigente da blogosfera crioula e esclareceram-se as razões que fazem o Café Margoso aquilo que ele é;  explicou-se porque é bom ter um blogue e lamentou-se a nossa falta de tomates; a análise ao 180º deu origem a muita reacção e o mundo seria melhor se a liberalização das drogas fosse uma realidade.

Enalteceu-se os Raiz di Polon e o Juventude em Marchao prazer de estar no palco, o dia mundial do teatro, a beleza de Santiago, as qualidades do inimitável IMac ou a forma como são ocupados os espaços públicos; estranhou-se a preguiça dos combustíveis em descer os preços, defendeu-se um cortar a mal pela raiz e reflectiu-se sobre a função social da Arte; denunciou-se o muro da vergonha do Mindelo, que ainda lá está, apoiou-se a fé do nosso primeiro no Mundo Novo a descobrir e estranha-se as fortunas gastas nos festivais de música; chora-se a degradação que "obriga" o aluguer de espaços públicos para cultos de seitas radicais e desconfia-se sempre que se utilizam argumentos bairristas para esconder outras realidades.

Do país falou-se de ensino superior, do caso Murdeira, de corrupção ou do nojo da pedofilia; arranjou-se uma confusão ao Vital Moeda, e declarou-se guerra aberta à violência doméstica; desconfia-se do fumo sem fogo como justificação da riola e grita-se não às bases militares estrangeiras em Cabo Verde; refletiu-se sobre o poder das máscaras na nossa sociedade, sobre as confusões alupekianas ou a falta de humildade artística.

Porque há licenciados desempregados, o local certo para uma orquestra sinfónica, o fenómeno Susan Boyle, a falta de sentido de humor ou o descaramento dos ladrões de electricidade dos bairros chiques da Praia, foram mais alguns dos assuntos levantados por estas declarações, quase sempre com cafeína. Qualquer dia lanço um livro com isto tudo. É a última coisa que me falta para poder ser considerado um blogueiro de pleno direito.




You may also like

13 comentários:

Maria disse...

Encontrei o "momento" (pensando na "efeméride") saudar o João e dar-lhe, os meus sinceros, parabéns pelo seu blogue!
Descobriu-o há pouco tempo, gostei da forma e conteúdo e fiquei sua leitora. Prometo vir a comentar quando o assunto estiver ao meu alcance.
Nasci e vivo na Ilha (onde eu o conheci de uma das vezes que a visitou) de S. Miguel nos Açores. O joão tinha vindo com o seu grupo de Teatro, assistimos ao espectáculo e fomos comer uma belíssima "cachupa" feita pela D. Arminda do "Porto de Abrigo", já lá vão uns anitos...
Um abraço!

(Fomos apresentados pelo João da Ponte e o meu companheiro é o Zeca Medeiros)

Miguel Barbosa disse...

Haja disposição para tantos links num post.
Quero ver quando chegar a 1000 DC's.
Aql abç

Tina disse...

Parabéns, João, pelo debate oportuno que tem suscitado aqui sobre mil e uma questões de interesse da vida em sociedade. Cheguei tarde mas espero poder continuar a acompanhá-lo no futuro.
Feliz continuação de vida do blog!

Paulino Dias disse...

Parabéns, meu caro JB! Por essa cafeina toda que - porra! - ja acabou por me viciar eh eh eh...

Fico aguardando o livro. E o "Cafe Margoso" em formato fisico la em Mindelo (nao, nao me esqueci da ideia...)

Um abraço (estarei Sexta-feira em SV, temos que tomar um café, pa!)

Paulino

João Branco disse...

Maria, só por essa mensagem já valeu a pena a trabalheira que me deu fazer este post! Um grande abraço para essa terra linda que são os Açores!

Miguel, hehehe podes crer! Quando for o nº mil terei que arranjar outra estratégia, tipo um top 10! Abr.

Tina, obrigado e espero contar contigo para animar estes debates.

Paulino, é uma honra tomar um café com um futuro mais que previsível brilhante dirigente africano! hahaha Bo tem nha movel, dam um tok!

Lily disse...

Em vez de "Venham mais cinco", venham mais cem!
Parabens pelo blog!

Tiago Leão disse...

O que é que se pode dizer, João, senão que há muita cafeína à solta neste blog... Abraço.

Anónimo disse...

João Parabéns pelo Blog. Gosto muito, embora comente pouco.
O que me atrai neste blog é a diversidade dos posts. Aqui fala-se de tudo, realmente. Apesar de muitas vezes não concordar com as tuas opiniões é com prazer que saboreio todos os dias o teu café margoso (apesar de preferir o meu com mais açucar)
beijinhos e que continuas sempre assim.
Carla

Elsie disse...

Parabéns atrasado João!! Quem venham mais 100 acompanhadas de muito refresco e pimenta lol.

João Branco disse...

Lily, obrigado!

Tiago, e a tua presença tem sido muito apreciada!

Carla, obrigado pelas palavras, e por favor, quando não concordares, principalmente nestes casos, comenta sim, porque assim se fomenta o debate saudável. Abraço.

Elsie, não sei se refresco e pimenta caem bem com o meu café... :)

Eileen disse...

Parabéns, João, tens sido uma fera com este blog altamente incontornável e que ultrapassa a escala berdiana.

João Branco disse...

Obrigado, Eileen.

zito azevedo disse...

Bloguista de longa idade e curta experiencia em virtualidades electrónicas para além de participante de data recente, não deixo de unir a minha voz ao coro que me antecede, sem nada dizer porque tudo já foi dito. Por aqui me manterei até que o médico me proíba a cafeína. Long life!
Zito Azevedo