Blog Joint: Cafeína & Duas Notas

32 Comments


«Cada vez há menos gente a votar; menos interesse nos resultados; cada vez os políticos se empenham menos. Começam a tratar os actos eleitorais como sondagens de luxo. E criticam-nas quando a abstenção é alta, apesar de terem ido votar todos os cidadãos que queriam.

A abstenção alta não é grave. Mas esta atitude é. Tratam o povo que se deu ao trabalho de ir votar (e que representa legitimamente o país inteiro, até ao último dedo do pé) como um petulante focus group. Votámos em partidos esquisitos só porque queremos "mandar uma mensagem". Ficámos em casa só porque estamos amuados. E o que mais irrita é a condescendência com que os derrotados admitem que sim, que até temos razão em estarmos chateados e que escusamos de continuar a fazer beicinho porque eles vão tratar disso já na segunda de manhã.

As eleições não são centros de recados nem fotografias dum instante político. Não são sondagens. Não são o Twitter. Se tratam as eleições como se não servissem para nada senão para informar, como é que depois podem queixar-se da abstenção ou até usar as eleições para se legitimarem? Cuidado.»

Miguel Esteves Cardoso, a propósito das últimas eleições europeias (fonte: aqui)


Sobre esta questão do voto, tenho a dizer duas coisas rápidas:

1. O único e verdadeiro voto de protesto é o voto em branco. A abstenção é um encolher de ombros, um lavar mão à Pilatos que depois não dá o direito a reivindicar rigorosamente nada. 

2. Por todas as razões e mais alguma, e tendo em conta a sociedade actual, sou totalmente a favor ao voto obrigatório, em detrimento ao voto por opção. 







You may also like

32 comentários:

Guy Ramos disse...

Que escolher se nao ha nada a escolher? escolher em BRANCO nao 'e escolher. e querer e nao poder.

Joao o voto obrigatorrio ultrapassa quanto a mim a verdadeira democracia e o meu querer e dever de cidadao contribuinte.

Ninguem deve ser obrigado a nada.

O que vale um voto se esses politicos nada fazem para cumprir as suas palavras e as suas promessas?

Devia sim era haver um sistema de controlo que obrigaria cada partido politico e cada politico de cumprir o seu programa e as suas promessas. Caso contrario deveriam ser persegidos pela lei. Pois se eu assinar um contracto qualquer contigo e no fim das contas nao obedecer o acordo, tu podes recorrer a justica pois nao?

Neste caso creio que o voto deveria ser obrigatorio so se os partidos politicos e seus lacaios tinham a obrigacao de cumprir os seus programas e promessas feitas durante as campanhas.

Teriamos mais politicos integros, serios e obrigados pela lei a cumprir.

Nao quero votar em mentirosos, ladroes, vigaristas e gente que pratica a burla politica.

Por isso e que 'e quanto a mim pouco democratico obrigar o povo a votar como 'e o caso por exemplo no Brasil e na Belgica.

A verdadeira democracia devia iniciar pela obrigacao do polico a cumprir o que o povo lhe incumbiu de fazer. A tarefa sobre o qual o povo assinou e mandatou. Pois votar 'e assinar um contracto com um partido ou politico que desempenhara a tarefa consoante ele promulgou durante a sua campanha.

eu tambem nao voto por votar e nao vou a urna somente para ir votar em branco. Quanto a min votar em branco ao contrario do que muitos dizem 'e deixar a coisa em duvida. 'E permitir que fazem o que quiserem pois a mim nao me doi.

E nao votar 'e dizer voces nao servem ou nao vos confio o meu voto meus caros politicos.

E caso a abstinencia for maior do que os 51% nenhum partido devia assumir a governacao do pais pois a maioria do povo nao o indigitou a tarefa e nem tem o direito democratico para tal.
Sei que uma eleicao custa muito dinheiro e que um pais nao pode ficar preso num impasse politico causado por abstinencia.

O que 'e mais caro politicos deficientes e delinquentes ou um sistema rijido que assegura a dignidade de uma contituicao democratica?
Queremos democracia ou nao?

Nao quero ser governado pelo voto da minoria. E infelismente 'e o que acontece neste momento. Mas 'e muito facil dizer que o voto obrigatori seria a alternativa para a melhor participacao do demos na governacao de um pais.

Quando se obriga deve-se obrigar a todos os participantes do processo. Obrigacao ao povo mas com obrigacao dos partidos e seus politicos.

Isso sim seria para mim democracia.

guyramos@hotmail.com

Tchale Figueira disse...

VOTO OBRIGATÓRIO JOÃO: É SÓ VER A FOTO DOS CARNEIROS MAIS A BAIXO NO TEU CAFÉ.

EU NÃO JOÃO- NEM PAU!!!!!!!

Catarina disse...

Eu também, João - completamente - voto obrgatório e voto em branco!

Já agora, o que é aquela coisa do backtype???

Tiago Leão disse...

João, essa do voto obrigatório só pode ser provocação... ou acordaste com os pés fora da cama!? Será que temos todos que concordar com os sistemas partidários de Portugal e Cabo Verde? E quem, como eu, pura e simplesmente não consegue votar em consciência? E os monárquicos? E os anarcas? E se começássemos por outras obrigações!??? Não era má ideia...

Elsie disse...

É verdade, enquanto as pessoas continuarem a ficar em casa, as coisas dificilmente mudarão.
A abstenção pouco tem preocupado, mas se comçar a haver um volume enorme de votos em branco, penso eu de que, alguém chamará a atenção para o facto.

Anónimo disse...

...legalizem os abstencionistas !!
eh eh eh
mais à serio a abstênção é pra ter en conta! representa ou pode representar parte significativa da sociedade , sinceramente sou incapaz de votar em branco mas sou apologista da abstençao quando tal for necessario... mas é a minha opinião e terei la as minhas razoes

hiena ( voto branco? não,obrigado!fico em casa mesmo)

João Branco disse...

Guy, excelente comentário, como habitualmente. Mas permite-me discordar. O voto em branco é um voto de protesto sim. Como diziam no programa Eixo do Mal, são pessoas que se arranjam, saem de suas casas, vão para as filas para ir votar, e colocam o papel na urna em branco. Em Portugal, nestas últimas eleições europeias, foram 160 mil votos em branco! Não é brinquedo não, como diz o brasileiro. Agora, ficar em casa é que não é nada. Isso sim, é um não querer saber pouco consentâneo com a vivência em democracia.

Tchalê, há várias formas de protestar, utilizando o poder do voto. Digo eu.

Catarina, é tipo twitter que "caça" tudo o que andas a escrever na internet e nos comentários dos blogues,,,

Tiago, também ninguém gosta de pagar impostos e no entanto... Olha lá, há vários países que tem voto obrigatório e vivem bem com isso...

Fonseca Soares disse...

João, não entendo o que tem o voto em branco a mais do que a pura abstinência? Em ambos os casos são sinais claros... A menos que seja no sistema que preconizas (do voto obrigatório)... de que não concordo pela simples razão de que estará já à partida a perverter a própria democracia...

Mic Dax (francês) disse...

1. Obrigatorio? Houa houa, bo ta sab, João.
M'ca sabê se tem cosa mas inutil q'obriga pa fla qond gente ca crê / ca tem nada pa dzê. Ta produzi cosa squizit (ingraçod, ma squizit).

2. Pancada, multa ou ferro frujod na bêrig qond bo ca ta vota?

3. Voto em branco é a sgunda cosa mas inutil, el é cosa d'fanfaron q't'arma na spertzone d'politica...
João, na meia d'conversa ma amig, ou bo ta fla pa partilha idea, ou bo ta cala. Bo ca ta abri boca pa dzê "tcccchhhhh" ou "bbbbrrrrbbbrrrr": é qel la q'é voto branco. Tcchhhhhh. Brrrbbrrr.

Ninguêm ta liga voto branc, ma bsot spia manê q'es ta fca cada vez mas preocupod ma qel abstençon.

4. Dsculpam spia limitaçon. Bo ta permiti (c'voto branco) gente mostra q'es ca ta concorda c'partidos, ma bo ta impedi (c'voto obrigatorio) gente mostra q'es ca ta concorda c'sistem (ou c'partidos). Duma banda bo ta contesta e doutra banda bo ta crê regula qel contestaçon. Unica soluçon pa bô, João, é cria partido.

Anónimo disse...

Acho que aqui neste forum deve-se definir para melhor compreensão:

-voto nulo
-abstenção
-voto em branco

Senão é a zizania.

moreia

Lily disse...

Concordo com o ponto 1, pena é que não se valorizem os votos brancos quando se fazem as análises dos resultados eleitorais. Voto em branco, na minha perspectiva, é forma de protesto, contrariamente ao voto nulo e ao não voto...
Como mulher, entristece-me especialmente a taxa de abstenção do eleitorado feminino. O direito ao voto das mulheres foi algo muito importante e devíamos reflectir sobre a importância que isso tem nas nossas vidas, quando muitas mulheres não podem ainda votar. Ser mulher não é fácil e em alguns países, ainda o é menos.
Discordo do ponto 2. Numa sociedade consciente e interessada os cidadãos deveriam ir votar com determinação e não por frete. O voto seria uma forma de se exprimirem e de marcarem o rumo que gostariam que o seu país seguisse. Se isso não acontece, é porque as atitudes dos políticos em nada dignificam a própria política, tornando-a uma fantochada e não algo sério e verdadeiramente crucial para um país e seus cidadãos.

geracao20j73.blogspot.com disse...

Mas João porque que eu tenho que fazer o exercício motora de ir votar, se os políticos não fazem nada duram uma legislatura para não falar durante uma ou mais gerações?

Amílcar Tavares disse...

Em democracia, o poder máximo é o poder do voto!

Ninguém se pode dar ao luxo de ficar de fora.

Cesar Schofield Cardoso disse...

Voto obrigatório? O Brasil tem isso e continuam com uma democracia da xuxadeira. Temos que re-inventar a sociedade interveniente. Eleições são só um momento mais geral.

Manu Moreno disse...

VOTAR EM BRANCO É DAR MAIS UM FIO DE KABELO AO ULTRAJADOR!

Manti odju ragalado Djonsa!!!
Kel abçom di kuraçom!!!
ManuMoreno

João Branco disse...

Não vejo qual possa ser o mal do voto obrigatório. Também pagar impostos é obrigatório, toda a gente se queixa, mas o que tem que ser tem muita força!

A democracia exige do cidadão, que este cumpra a sua parte. Não podemos estar sempre a querer pedir contas ao Estado e depois encolher os ombros quando chega a hora de exercer o nosso direito e dever cívico de votar.

Por isso a diferença abismal entre o voto em branco e a abstenção:

Para se saber o que representa a abstenção tem que se ser bruxo. Ninguém sabe se é voto de protesto, se é porque se estava com dor de cabeça, se era porque naquele dia estava a dar um programa porreiro na TV Cabo, se foi passar um fim-de-semana fora, se mudou de residência, se se esqueceu de recensear, se se esqueceu que havia eleições, se teve um acidente, ou se morreu. Não foi e não se sabe porquê. Agora o voto em branco é claro: um protesto, e democrático. É como dizer, "isto está tudo uma merda, não confio em nenhum destes candidatos, não vos dou o meu voto, mas aqui estou eu a dizer, que também conto e que me interesso".

A diferença entre um e outro é abismal.

Lily disse...

Tenho pensado sobre essa questão do voto branco e da abstenção (provavelmente porque em Portugal este ano temos três actos eleitorais) e acho que de facto existe uma diferença importante entre ambos- abstenção e voto branco-, que mais ponto aqui, mais ponto acolá, poderia andar perto daquilo que acabou de escrever.
No entanto, continuo a não considerar que o voto obrigatório possa reforçar a consciência social e política dos cidadãos. Acho que a estratégia que pode levar as pessoas a tomarem posições, a informarem-se e manifestarem a sua opinião terá de ser outra que não a obrigatoriedade do voto.
Acredito mais numa revitalização e credibilização da política, num cumprimento de programas e num fomentar o envolvimento da sociedade na política e na vida cívica em geral. O sociedade deveria ser mais participativa (na vida familiar, nos locias onde vivemos, nas escolas, nas organizações culturais, civis, políticas, etc)e por outro lado queixamo-nos que há falta de participação, mas esta só se torna um direito quando o exercemos, quando tomamos parte das decisões e não agimos como meros espectadores.
Não votar por insatisfação, também não é solução nehuma.

EFR disse...

Concordo em absoluto. Defendo o voto em Branco como protesto e também acho que a população devia ser obrigada a intervir. Temos que assumir as responsabilidades, quem quer protestar vota em Branco.

Tina disse...

O imposto é obrigatório por lei e há muita gente que não paga. Em Portugal, são precisamente os mais instruídos que mais fogem a essa obrigação/responsabilização.
JB, não concebo uma democracia a obrigar as pessoas a fazerem coisas que não sejam para contribuir inequivocamente para o bem estar e qualidade de vida de todos, o que não é o caso.
Há uns dias, escrevi uma nota no meu blogue onde considerava que há que lembrar que o voto branco pode eventualmente originar alguma manipulação, já que o boletim fica em branco... É melhor então o voto nulo, em que o boletim fica cruzado e não poderá ser reutilizado por mal-intencionados. Acho que quem lá vai mostra claramente o seu desejo, participando efectivamente na eleição. Mas há quem não saiba sequer o que está a fazer, ou não se sente preparado ou está muito doente, sei lá...

mdsol disse...

Se desatarem todos a votar em branco, fica branco no branco que é o nome do meu canteiro... ehehe

O voto em branco infelizmente na prática não conta. E, indirectamente, acaba por legitimar os partidos que têm alguns votos, por poucos que sejam esses votos.

:))

Arsénio disse...

Penso que se alguém vai as urnas e vota em branco, é porque tem interesse e quer deixar uma mensagem. Mensagem essa de que algo não lhe satisfaz e quer que alguém mude alguma coisa.

Mas esse alguém que simplesmente não vai as urnas e se abstem, é porque não está nem aí. Nesse caso o mundo está mesmo mal. O cidadão já se esqueçeu dos seus deveres.

Anónimo disse...

João,
dê-me um exemplo de um país onde o voto em branco fez diferença? não falo de comentários na televisão, nem de grandes programas na mídia a tentar explicar o porquê das altas taxas de abstenção. queria um exemplo de um lugar onde o voto em branco tivesse mesmo feito a diferença, mudado as políticas sociais, colocasse na rua os politicos corruptos, enfim. fizesse diferença!.
Ah, Voto sempre em partidos esquisitos. principalmente porque os líderes são mais esquisitos ainda e quando chegam ao parlamento, bem .. as suas opinões mesmo que absurdas são uma lufada de ar fresco no sistema. Cabo Verde precisa de mais partidos "esquisitos"

Carla

João Branco disse...

Lily, o que acontece nas eleições é o reflexo do estado social no dado momento. A falta de participação tem razões profundas e acho que o teu comentário tem toda a razão de ser.

Emílio, pode também rasurar o voto, fazer um desenho ou escrever um poema. Mas vai e faz-se presente.

Tina, não me digas que achas bem que as pessoas fujam ao fisco? A vida em sociedade tem que ter regras, direitos e deveres. Quando o cidadão se abstrai da participação cívica num acto eleitoral (claro, muito por culpa dos protagonistas e discursos vigentes, que não entusiasmam por aí além) está a faltar com essa mesma sociedade. Não vejo nenhum mal vir ao mundo com a instituição do voto obrigatório. Principalmente num meio pequeno, como Cabo Verde.

Mdsol, conta sim. Pelo menos mais que a abstenção. Leiam o Ensaio sobre a Lucidez, do Saramago, Está lá tudo.

Arsénio, é isso mesmo.

Carla, o partido do voto em branco é o mais esquisito de todos! Não tem líderes nem ninguém que seja eleito... :))

Mic Dax (francês) disse...

Desd q'es inventa televison, vota é inutil. Ca tem mas contraditorio de ver vota sociedade ultra-individualista, ca tem mas sentid nenhum. Dpos gente podê vota PTJ/CDV/RDS/MMO/BLABLA/branco/nulo, tud isso é conversa.

Dsculpam pa ess 12 secundos arnarqo-blablatistas.

Tchale Figueira disse...

Oh João eu quero que se foda a Lucidez do Saramago e toda a politica e lógica que procuras dar a esta coisa. E tu arsénio! O que é isso de cidadão?... De PRIMEIRA? DE SEGUNDA? DE TERCEIRA? RALÉ?

sois inteligentes mas deixem de ingenuidade caramba!!!!

Guy Ramos disse...

Obrigar pessoas a votar 'e o principio do fim. A manipulacao e o peso psicologico dos partidos politicos seria maior. nada 'e somente branco ou preto neste planeta. ha sitaucoes que sao cinzentas ou mesmo sepia. Ha perguntas que nao se podem responder com o sim ou nao. A favor ou contra. Ha situacoes que imperam abster porque nao sao brancas nen pretas as vezes nem cinzentas, nao podem ser respondidas com um sim ou nem talvez, onde muitas pessoas acham que nao sao nem a favor nem contra e que deve existir um intermeio e um botao de alerta e de urgencia. Abstencao 'e indicar que ha mesmo urgencia,
Urgencia de mudar e de fazer a coisa diferente e noutros moldes. Voto em branco para mim 'e quero dar a vantagem da duvida a quem ganhar. pois o voto em branco 'e usado para dividir o poder entre os partidos. Quanto a mim deve ter um nivel de eleitortes minimo para eleger um novo corpo governamental nun pais. E deve ser um numero de pessoas que ultrapassa a mioria absoluta de um povo. Caso contrario votar novamente. Mais uma ronda ate conseguir. geovernos de minoria 'e que formam o grande problema nas democracias de hoje. Senao 'e autocracia. Temos sido governados por autocraticos vestidos de democraticos. E isso 'e que deve acabar

João Branco disse...

A discussão está boa! É para isso que serve este café! Abraço a todos. E keep going.

Anónimo disse...

O que prôpoes no lugar disso Tchalê?

moreia

Tina disse...

João, eu não disse que concordava com a fuga aos impostos. Falei na obrigatoriedade do seu pagamento para te lembrares que não é a obrigação que garante o bom resultado. Muito menos na votação eleitoral, que até poderá levar ao poder quem não defende minimamente a qualidade de vida dos habitantes. Sou dos que defendem que cada um de nós deve cumprir a sua obrigação como cidadão, em qualquer parte do mundo onde se encontre. Faço questão de ir votar, como disse no meu blog há dias, e há muito que dou o meu voto a um partido que sei que vai defender a questão social, que é sempre descurada por aqueles que estão no poder... Pelos vistos, há fogos de artifício mais importantes do que garantir um prato de sopa e a saúde do povo...

João Branco disse...

O Tchalê é a favor dos votos! Acaba de anunciar a formação de um partido político. Eu voto nele!

Lily disse...

Parece-me é que isto é um golpe de markting aqui do João...que se vai candidatar, ainda não sei a quê...
Slogan:
Vote em Branco!
(no voto ou na pessoa - Conquista um duplo eleitorado!!!)


; )))

zito azevedo disse...

Creio que as abstenções, votos nulos, brancos e de outras cores, não são tanto o resultado do desinteresse dos povos mas sim da sua ignorancia sobre o que está em causa nas diferentes eleições. Existe uma tendencia natural para votar nas pessoas e não nas ideias e como os que se submetem aos sufrágios apenas sabem falar mal dos adversários em vez de explicarem ao eleitorado dos motivos mais profundos da sua presença em tal acto, transformando as campanhas eleitorais em autenticas festas de culto das personalidsdes, o povinho votante interroga-se sobre a validade de tais carnavais e muito dele decide não estar disposto a participar em tais farsas.
Diga-se TUDO ao povo, ajudem-no a adquirir cultura política séria e fundamentada, devolvam-lhe alguma da confiança, entretanto perdida, nos políticos - para quem se exige
profunda reciclagem ou substituição - e vão ver como a malta gosta de votar como o fez
nas primeiras eleições livres em Portugal! Sem que seja obrigatório por lei mas por convicção!
Zito Azevedo