Apenas isso

9 Comments


Uma coisa branca, meu poeta,
Não pode ser parda ou cinzenta.
Mas o castanho talvez alumie,
Quando não há jeito de ter outra luz.

Uma coisa é certa, meu poeta:
À noite, sem Deus e sem anjo,
Apenas uma coisa nos resta,
Essa coisa se chama mulher.

Arménio Vieira



You may also like

9 comentários:

argumentonio disse...

talvez deva reler o poema com outro olhar, senão mesmo de benevolência, com melhor preparação literária e genuína humildade!

mas, inclusive de noite, a mulher nunca é uma coisa!!

e se há mulher, há anjo e deus!!!

argumentonio disse...

ps - de quem é a bela foto?

Manu Moreno disse...

Desejo toda a felicidade do mundo ao nosso poeta escritor Armenio Vieira:

Hoje é teu dia sem fantasia
transformada em alegria
para toda comunidade Caboverdeana

Neste dia de alegria
Peço o vento amigo
que te leve o meu orgulho
até ao seu peito!!!

Obrigado a famila Margoso pela noticia i um abçom di kuraçom i xeio di orgulho ao nosso Conte!!!
ManuMoreno

Minhokinha disse...

Caro JB, notícias fresquinhas do nosso Conde em minho-kinha.blogspot.com in loco.

Abraço*

Anónimo disse...

Vejam só esta maravilhosa citação do Jornal "O Globo" a propósito de Arménio Vieira:

- Fico feliz porque ele representa um país pouco conhecido por aqui. Fico comovido por representar a África e por nós, do prêmio, nos bandearmos este ano da prosa para a poesia. O cabo-verdiano é o africano que ia para a Bahia e ficou ali pelo meio do caminho - brincou o presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Muniz Sodré.

Anónimo disse...

Associo-me à atribuição deste importante prémio, inteiramente merecido.

a) RB

HelderOneLove disse...

Recebi a noticia pelo futuro poeta Manu Moreno e aqui estou para dar os meus PARABENS ao melhor escritor(Arménio Vieira) de Cabo Verde e da lusofonia!!!

Aparte: gostei muito do teu BLOG.
Abço!
HelderOneLove

Tina disse...

Poucos se podem dar ao luxo de escrever um poema repetindo uma palavra para enfatizar o conteúdo, sem se tornar repetitivo.

Gosto imenso do poema e, como mulher, não me revejo como coisa neste poema, nem nos muitos mais em que ele tem como musa o feminino. Antes pelo contrário!

Apenas isso...

João Branco disse...

Argumentónio, está na própria foto (não se vê bem, mas está lá!)

Manu, vindo de um poeta como tu, fica ainda melhor cumprimento.

Anónimo, essa citação é digna de um SMS. Um dia destes.

RB, com certeza!

Helder, obrigado, e volta sempre!

Tina, o Arménio é apenas isso: genial!