Declaração Cafeana

4 Comments


Em Cabo Verde, temos medo de falar sobre o trabalho dos outros de forma aberta e natural. Se dizemos bem, é porque somos amigos, compadres ou devedores de algum favor obscuro. Se assumimos que não gostamos, somos trucidados e claro, acusados de alguma sede de vingança não assumida, que nos tolda o raciocínio.

Por mim, assumo que me dou mal com essa mania, porque acredito no meu trabalho e gosto de ser mimado. Tenho pena que não haja mais gente a escrever sobre as peças que já encenei ou interpretei. Mesmo que seja para dizer mal. Aprende-se sempre alguma coisa.

Isto para dizer que hoje, dia 05 de Setembro, vou assumir pessoalmente, e em forma de Prémio Copacabana, a homenagem que o Festival Mindelact vai fazer ao grupo Raiz di Polon.

Vai ser um momento emocionante e mais do que merecedor. Depois de ter lido o que escreveu o Cesar Schofield numa brilhante crónica publicada no jornal A Semana sobre a companhia da capital, pouco mais há a acrescentar. A não ser dizer, ou melhor, sublinhar, que os integrantes do Raiz di Pólon são uns heróis, talentosos, corajosos, generosos, criativos e a quem Cabo Verde e a sua imagem muito devem.

Vai dar gosto entregar aquela estatueta!


Fotografia de Baluka Brazão




You may also like

4 comentários:

Anónimo disse...

meus comentarios em
http://sondisantiagu.blogspot.com/2008/09/homenagem-sria.html

djinho

João Branco disse...

Djinho, já aconteceu e foi lindo. Merecido, sobretudo.

Baluka Brazao disse...

Fotografia de Baluka Brazão!

João Branco disse...

Baluka, sorry! Sabes quando a gente tem a certeza que fez sem ter feito, apenas por ter pensado que o tem que fazer??? Foi isso mesmo que me aconteceu. Mas está retificado!