Café Humorístico

9 Comments


«O homem e a mulher devem lavar suas partes com 1 litro de água corrente misturado com uma colher de vinagre e outra de sal grosso. Após isso, a mulher deve abrir as pernas e esperar o membro enrijecido do seu parceiro para iniciar a penetração. O homem após penetrar a mulher, não deve encostar seu peito nos seios dela, deve manter uma distância pois a fêmea deve estar rezando aos santos para que seu óvulo esteja sadio ao encontrar o espermatozóide. Depois do ato sexual, os dois devem rezar, pedindo perdão pelo prazer proibido do orgasmo. Como penitência, o açoite com vara de bambu é aceito como forma de purificação.»

Indicações da cartilha da IURD sobre relacionamento sexual

Recebido por mail




You may also like

9 comentários:

kleine disse...

!!!!!!!!!!!!es bitcinh des fot é moda um gongon ma nhas oi fca grilid moda kis dseu qd un alê o texto!!jam t imagina costa d tud gent s assim fosse...LOL

João Branco disse...

Ess oye grilido foi manera k'un fka kond um alê ess aberração! Hehehe

hiena( curtindo umas chicotadas ) disse...

....eh eh eh deve ser qualquer coisa ess fodass(ou making love) na igreja universal , uns fumam cigarros depois do acto ...outros rezam e pedem perdao.mas "seriamente" curti a parte das chicotadas,os sado-masoquista devem estar todos na iurd , unhhh!!! (ca entre nôs, o que que se fa pra entrar eh eh eh)

João Branco disse...

Hiena, pensei no mesmo. Será que os Livity sabiam disso quando fizeram o tema «Chicotada» um dos mais freneticos temas dos anos 90? hehehe

Eileen disse...

Já a mim me parece que quem se deve auto penitenciar-se é o homem, porque a mulher, acabando de se lavar e sem mais carícias, não me parece que chegasse a ur orgasmo... ela estará já livre de pecados através da dor...

João Branco disse...

O mais giro, coo sugere Hiena, é ela dar uns açoites nele. Tau-tau!

Virgílio Brandão disse...

Gente,
essa aí, de certeza, não pode ser da IURD, não. Só pode ser brincadeira...

Sabem,
entre a comunidade evangélica – nomeadamente dos novos movimentos, como a IURD – incentiva-se a liberdade sexual entre os casais, não essa castração da sexualidade própria da idade média ou inspirada na época vitoriana.

Essa referência aos «santos» denuncia a falsidade dessa pseudo cartilha, pois a IURD, fiel ao decálogo («não terás diante de mim imagens de escultura...») não acredita em santos! Lembrar-se-ão do escândalo do pastor da IURD que, como forma de «demonstrar» que os santos são mero pedaços de barro ou outro material qualquer – espezinhou a imagem de uma santa no Brasil... Além de que a IURD (assim como todos os movimentos protestantes ou evangélicos) não usa a expressão «rezar», mas sim «orar» e, no que diz respeito à «penitência», também não é consentânea com o pensamento teológico do movimento (sacrifícios, só financeiros...).

Há alguns anos, depois de ler «A Cruz e o Punhal» de David Wilkerson li «Foge, Nicky, Foge» de Nicky Cruz (um gansgter novaiorquino convertido ao evangelho através do Ministério do Desafio Jovem - «Teen Challenge») e, na sequência dessas leituras, li um livro do mesmo autor chamado «Os Corruptores» e em que, além de algumas questões interessantes, aborda a questão da intimidade sexual do casal e diz que a mulher deve ser recatada e santificada na rua e na igreja, mas quando está na cama com o marido deve(ria) ser como uma loba! Aí está, um bom conselho pastoral!

Segundo a sua perspectiva (Nicky Cruz), tal não somente ajudava a harmonia familiar mas também evitava, do ponto de vista preventivo, algumas tentações externas ao casal.

Tenho muitos amigos pastores, alguns meus discípulos no passado, e posso Vos garantir que ninguém (mesmo entre a «velha» guarda) pensa assim nem «ama» assim! Têm o culto da fidelidade, mas não da castração da liberdade sexual; pois é essa liberdade entre o casal que garante a unidade e fidelidade conjugal.

E, isso posso garantir-Vos – por aquilo que conheço do Edir Macedo, dos demais pastores da IURD e do que «realmente» pensam – o bispo Edir Macedo não lê «Os Lusíadas» assim. Logo ele que gosta de luxos e de coisas boas!

Vinagre e sal grosso no oriente feminino? (só faltará azeite para se ter uma salada! – já agora... deixo uma receita de salada: tomate, muito alho, vinagre de vinho, sal grosso e cebola; e não vale pensamentos impuros, não.) Não tocar na superfície frontal das altas pressões? Deus! Isso é/seria penitência prévia para a mulher e purgatório dantesco para o homem. Livra!

A IURD e os seus pseudo pastores (note-se que haverá por lá muita gente boa e sincera...) têm muitos defeitos, mas essa, não creio! A não ser que sofram dos mesmos pecados privados que «puritanos» como Jim Baker e Jimmy Swaggart diziam ao povo ser coisa do «Diabo» e se deleitavam neles...

Esta deve ser mais uma das lendas urbanas ou da «net», um pouco como a «Quinta-feira» imputada dos Russelistas... Mas que é engraçada, lá isso é!

Abraço fraterno

PS: Se as mulheres já passam mal - que diz respeito ao sacrifício que fazem ao egoísmo masculino - imagem só o que seria numa realidade assim! Numa realidade como a do Brasil e África (onde a igreja se encontra mais implantada) , os homens da IURD seriam todos uns cornudos!

João Branco disse...

Virgilio, certamente entre o que é dito e recomendado aos fieis e o que é feito na prática pelos mentores vai uma distância muito, muito grande...

Anónimo disse...

"O homem após penetrar a mulher, não deve encostar seu peito nos seios dela, deve manter uma distância pois a fêmea deve estar rezando aos santos (...)". Num contexto de grande implantação da IURD, os médicos ortopedistas têm seguramente um enorme sucesso, pois a fila de doentes com espandilose, gota, artrite, artrose, desvio de coluna, bicos de papagaio na dorsal, enfim, seria interminável...isto não lembra a ninguém!
Ana