Três Cafés Mad in USA

2 Comments


1. Acompanhei o primeiro debate entre Barack Obama e John Mccain em directo na SIC Notícias e fiquei algo desiludido. Pareceu-me demasiado morno. A tradução em simultãneo para o português não só atrapalhava o entendimento, como chegou a ser ridicula. E o republicano foi claramente mais agressivo que o democrata. Passado 30 minutos mudei de canal. Segundo dizem as sondagens, Obama terá ganho este primeiro confronto, embora os analistas apontem para um empate técnico.

2. Descobri um excelente site, em língua portuguesa, que acompanha a par e passo tudo o que diz respeito às eleições americanas. Concebido pelo analista Nuno Gouveia, que faz esta cobertura no âmbito de uma tese de mestrado. O endereço é http://politica2008.wordpress.com e vale a pena a visita.

3. «Por enquanto que a população negra não for maioritária, nunca um negro vencerá uma eleição presidencial nos EUA», dizia-me há dias, um amigo. Fiquei a pensar nisso. Ontem soube que a população negra, ou afro-americana, corresponde apenas a 12% da população total dos EUA. Sinceramente, pensava que era muito maior. Sendo assim, ter Obama a disputar estas eleições, na frente nas sondagens e com fortes possibilidades de se tornar o próximo presidente dos EUA, já é um avanço extraordinário.




You may also like

2 comentários:

Anónimo disse...

“Senhoras e Senhores,

A palavra “segredo” é repugnante numa sociedade livre e aberta. E nós opomo-nos estóica e historicamente às sociedades secretas, juramentos e procedimentos secretos.

Opor-nos-emos em qualquer parte do mundo a conspirações monolíticas e rudes que sigilosamente vão expandindo as suas esferas de influência. Em infiltração em vez de invasão, em subversão em vez de eleição, em intimidação em vez de liberdade de escolha.
É um sistema que tem aprisionado pessoas e coisas, a teias bem construídas… Uma máquina supra eficiente que combina militares, diplomacia, inteligência, economia, ciência e operações políticas.
As suas tarefas são escondidas, nunca publicadas. Os seus erros são enterrados, e não Divulgados. Os desacordos são silenciados, não orientados. Nenhuma despesa é questionada, nenhum segredo é revelado. Essa foi a razão pela qual o legislador Grego Sólon considerou crime a qualquer cidadão que se acobarde perante uma discussão.

Estou a pedir ajuda numa tremenda tarefa e crente que, com a sua ajuda, as pessoas serão aquilo que nasceram para ser, livres e independentes. “


John F. Kennedy num discurso à nação, pouco tempo antes de ser assassinado.

À memória de JFK

Ana

João Branco disse...

Belas palavras. Obrigado pela partilha, Ana.