Declaração Cafeana

8 Comments


Gosto de tentar ser actor. Gosto do palco. De viver outras vidas, sentir outros cheiros, morrer e renascer todos os dias. Gosto dessa comunicação energética, gerida pelos diferentes níveis de silêncios de um auditório. Gosto da democraticidade da plateia, esse lugar onde todos estão, à partida e de forma consciente, num mesmo nível, onde não há reis nem rainhas, poderosos ou desfavorecidos, ricos ou pobres, porque esses estão no palco.

Gosto de suar. De sentir a água escorrer, como lágrimas de corpo, sinal da dedicação do artista ao seu espelho, o espectador. Gosto de sentir o nervoso, a barriga a desconversar, a cabeça a querer entrar em desvarios, o corpo a pedir altas temperaturas, os músculos a respirar em uníssono.

Gosto de partilhar, de lutar com os outros guerreiros do palco. Gosto do processo de construir, desconstruindo. E de destruir para construir. Gosto de abraçar. E partir para a aventura, mano a mano, com os companheiros de empreitada. Gosto de não estar só.

Gosto de construir personagens. Procurar partituras. De vozes. De movimentos. De energias. Gosto de não conseguir. Gosto de tentar e tentar e tentar. Gosto de não ficar parado só porque há técnicas que não domino. Gosto de arriscar, de sofrer, de emocionar, o eu e os outros.

Gosto de ouvir dizer gostei-tanto. Mas também preciso ouvir isso-não-está-bem. Porque acima de tudo, gosto de crescer.

Montei o meu Arlequim - o meu e o do público que o abraçou - partindo destes pressupostos. Dei tudo o que tinha naquela hora, na noite do dia 08 de Setembro de 2008.

E mesmo assim, dando a vida, sei que dei tão pouco!


Fotografia de Jorge Marmelo, «Máscaras»




You may also like

8 comentários:

mirtover disse...

a maneira como criaste viveste e sentiste o teu arlequim, a tua maneira de suar e lutar por ele conseguiste partilha-lo comigo e emocionar-me. Parabéns arlequim…
mirtó

João Branco disse...

Prometo dar o recado ao personagem quando me cruzar com ele de novo!

Catarina Cardoso disse...

Quem me dera ter estado lá para aplaudir tamanha entrega...agora só o texto já permite vislumbrar qq coisa do que aconteceu!

Parabéns...pelo texto e pela paixão que demonstras pelo que fazes

neulopes disse...

João, as opiniões que vierem depois, como sempre, valerão pelo que são.
Mas o importante é que foi um espectáculo muito bom a nível geral e sinto-me orgulhoso de ter feito parte da equipa. E, como sempre, estarei disponível a ajudar em todas as vertentes e no que me for possível.
Aquele abraço e longa vida ao GTCCP-IC.

João Branco disse...

Catarina, levaremos a peça á Praia. Acredita!

Neu, a tua generosidade durante a montagem deste trabalho foi tocante. Nós é que agradecemos. A montagem sonora estava brilhante e à altura do espectáculo!

Catarina Cardoso disse...

Juras? isso é verdade???
avisa com antecedência, ok?

João Branco disse...

Com certeza!

neulopes disse...

Eu tb quero ir
Ehehehe