Café Curto

14 Comments


A nomeação da senhora Sarah Palin para VP da candidatura republicana nas eleições americanas foi, como é óbvio, um golpe de marketing bombástico, bem ao jeito americano. Fica sempre bem ter uma mulher numa posição destas, principalmente quando nas primárias democratas uma outra mulher esteve mais próxima do que nunca de uma nomeação. Mas a senhora Sarah Palin não é «apenas» uma mulher. Eis algumas das ideias defendidas pela actual Governadora do Alaska:

    É contra o aborto;
    É contra o casamento entre homosexuais;
    É acérrima defensora do porte de armas descriminado;
    É cristã praticante, do estilo ultra-conservadora;
    Defende a exploração costeira de petróleo em áreas sensíveis e protegidas;
    É contra a distribuição de preservativos entre os jovens americanos;
    Defende todas estas causas como uma guerreira implacável.

Bem, com este quadro ilustrativo, fica mais claro ainda que as próximas eleições americanas, não dizem apenas respeito aos cidadãos daquele país, mas antes reflectem duas visões radicalmente diferentes de ver o mundo e o seu futuro.

O futuro de todos nós.




You may also like

14 comentários:

lumadian disse...

Não existe grande dúvida sobre quem será o vencedor das eleições. a minha dúvida é: Será que o vão deixar governar muito tempo???

João Branco disse...

Lumadian, não te convences com isso das favas contadas. Não são. Vai ser uma luta renhida, acredita... Não são os média da Europa - todos encantados com Obama - que fazem ganhar ou perder eleições nos EUA.

Redy Wilson Lima disse...

João esqueceste de dizer que ela é também defensora da libertação do Alasca, onde o lema do partido independentista é "Primeiro Alasca e Alasca sempre", contrapondo ao slogan de McCain "América em primeiro lugar".
Também é defensora da gravidez só depois do casamento e no entanto a filha adolescente está grávida e ainda é solteira.
Irónico né?

Anónimo disse...

De que a acusas?
De ser:

- contra o aborto;
- contra o casamento entre homosexuais;
- acérrima defensora do porte de armas descriminado – querias por certo dizer indiscriminado;
- cristã praticante, do estilo ultra-conservadora;
- defensora da exploração costeira de petróleo em áreas sensíveis e protegidas;
- contra a distribuição de preservativos entre os jovens americanos;

A maioria dos americanos dirá:

- é a favor da vida;
- é a favor da sacralização do casamento entre um homem e uma mulher;
- é cristã, não há outra forma de se ser um verdadeiro cristão, a não ser que se seja praticante;
- é amante da caça grossa;
- defende a autosuficiência energética do seu país, contra a chantagem dos países como a Venezuela, e portanto a exploração dos recursos endógenos do seu país e do seu Estado, o Alasca;
- e por ultimo defende, apenas, que os americanos não devem pagar às multinacionais farmacêuticas, com os seus impostos, a recriação sexual dos jovens americanos, mas também defende outras coisas muito mais importantes do que esta.

Não vejo onde está o perigo. Vejo uma mulher de valores, corajosa e patriota.
Já para a legião da Obamomania, percebo o pânico. Mas esse é o risco da demagogia e do bluff, pode ser desmascarado antes do final do jogo.

Quanto a truques de marketing e comunicação, já levámos todos uma lição com a convenção democrata.

João Branco disse...

Olha este anónimo! Ultra-conservador e que não gosta de dar a cara (porque será)? Por partes, porque isto até é fácil:

1. Ser a favor do aborto, em certas situações, é ser a favor da vida, principalmente da muilher;
2. A sacralização do casamento é um mito. Importante é pessoas estarem juntas enquanto se amarem; e pessoas do mesmo sexo podem se amar da mesma forma. Só uma mente mesquinha e retrógada pode pensar o contrário;
3. Há muitas mais formas de ser cristão - ou seja, seguir os ensimanentos de Cristo - sem ter que participar nas encenações impostas pela Igreja Católica;
4. Essa de ser amante de «caça grossa» só pode ter sido para fazer rir!!!! Que argumento genial!
5. Autosuficiência energética à custa de quem? Das novas gerações. Os EUA são os principais poluidores do planeta e uma das super-potências que se recusa a assinar o Protocolo de Quioto. A mentalidade dessa brilhante senhora não augura nada de bom. Mas como talvez o caro Anónimo já não esteja vivo nessa altura, isso já não interessa, pois não?!
6. É por causa de argumentos como esses que continuam a morrer mais pessoas de SIDA do que de Cancro. Brilhante!

Essa «desmascarar» pode muito bem acontecer. Bem à maneira como pessoas da sua laia «desmascararam» Mather Luther King, por exemplo. Com um tiro certeiro.

Passe bem!

P.S. Ainda me estou a rir com a concentração de asneira que conseguiu acumular em tão poucas linhas!

Kuskas disse...

AHAHAH O João. Concordo contigo em genero e grau, a respeito do comentário do anónimo.

E eu a pensar que eram somente "alguns lideres africanos" que tinham posições "de bradar aos cêus" sobre os homossexuais e preservativos. Afinal não tem nada a ver com a dicotomia pobre/rico.

Agora entendo a prole numerosa que ela tem e se duvidar vai continuar a "dar a luz enquanto estiver produzindo ovulos para tal"

Acredito que não vá ser fácil o Obama vencer, os americanos são os maiores falsos moralistas e hipocritas que conheço, mas como o mundo vem passando nos ultimos tempos por muitas mudanças (inclusive climáticas), vou rezar para que tenham coragem de MUDAR.

E que Deus me perdoe, é MUITO da BEM feito todos aqueles furacoes que por lá passam. O ruim é que são os mais inocentes e pobres que sofrem.

Abraços

Catarina disse...

Ya... por mais que o comentário d@ anónim@ seja assustador... temos que encará-lo como a realidade assustadora: é assim que os conservadores pensam e é contra este pensamento que o Obama se está a confrontar... jogaram baixo e jogaram com força!

E sim, não são favas contadas: quem diria que o George W. Bush seria reeleito??? E foi, não foi... mais vale não lançar os foguetes antes da festa.

João Branco disse...

Vai ser duro, e quem pensa que isto não tem nada a ver connosco, talvez tenha razão. Mas tem tudo a ver com as futuras gerações deste atribulado planeta.

Anónimo disse...

Catarina,
Assustada estou eu, com a intolerância manifestada nos vossos comentários, relativamente a valores e a princípios que vos são alheios. Já o mau gosto das insinuações não me assusta.

Uma mulher branca, mãe de cinco filhos, cristã e provinciana, não deve ser presidente dos Estados Unidos, é este o vosso problema.

Já repararam que preconceito semelhante, mas inverso, enfrentam algumas minorias étnicas na Europa, nomeadamente africanas… Infelizmente.

Anónim@

João Branco disse...

Anonima, deixa-te de dramatismos e falsos argumentos, colocando na nossa boca argumentos que não foram utilizados.

Uma mulher branca, mãe de cinco filhos, cristã e provinciana pode ser Vice-Presidente dos EUA (e não Presidente ocmo referiste); o assustador é que além disso ela acha que os homosexuais não amam, que poluir ou não poluir não importa, que armas nas mãos da população de forma indiscriminada (porque se é adepto da caça grossa!!!) ou que não é preciso fazer um importante trabalho junto dos jovens para evitar a proliferação da SIDA já que se considera que a única forma de o fazer é utilizando a máxima do «crescei e multiplicai-vos».

Isso sim, essas ideias tipicas da Idade Média é que são assustadoras. Porque na Idade Média, não havia paises como os EUA com armamento capaz de destruir por várias vezes o planeta terra.

MYA disse...

E um dia destes iremos saber que a senhora Sarah palin é infiel ao seu devoro e catolico companheiro. Vamos esperar!

MYA disse...

Kero dizer DEVOTO companheiro.

João Branco disse...

Pois: a natureza humana fala sempre mais alto que a convenção social?

MYA disse...

Pois... nunca falha.