Declaração Cafeana

15 Comments


Alguns gostam de dizer que o Café Margoso é demasiado politicamente correcto. Talvez sim, talvez não. Mas já aqui confessei não gostar do mês de Agosto ou do meu dia de semana preferido ser a segunda-feira, factos que vão certamente, contra o que pensa uma larga maioria.

Agora, cá vai outra declaração: não gosto do Natal, muito menos do que ele representa hoje em dia. Não preciso de uma época ou dia específico para estar com a minha família, nem para dar prendas a quem gosto. Acho ridícula a chantagem feita aos mais novos de que ou se portam bem ou o Pai Natal não coloca a prenda no sapatinho. Depois é como se ficássemos desobrigados de dar atenção aos mais novos, porque o Natal há-de chegar e pronto, lá terão as crianças um dia para eles, para receber os brinquedos que, inevitavelmente, vão desfazer em pedaços no dia seguinte na Praça Nova.

Detesto a febre de consumo, elevada à décima potência, e a onda tsunâmica de publicidade que invade o nosso quotidiano, nas televisões, rádios, jornais, outdoors e Internet. Detesto que precisemos de uma época ou dia específico para pensar nos outros, nos pobres, nos desalojados, nos deficientes, nos sem abrigo, nas crianças de rua, nos que não tem tecto para dormir ou comida para comer. O Natal é hoje, mais do que nunca, uma época para nos penitenciarmos de como somos egoístas e egocêntricos o resto do ano, para comprarmos e darmos prendas quase obrigados e podermos passar mais 11 meses a sacudir a água do capote e a colocar a cabeça na areia, sem nos preocuparmos com o facto de, à nossa volta, quem sabe dentro da nossa própria casa, haver ser humanos que precisam realmente de nós.

Dispenso.




You may also like

15 comentários:

Sóniaraújo disse...

Pois pra mim é a epoca do ano que mais gosto. Para alem de ser o mes que faço anos, o seu significado pra mim é muito mais do que reunir com a familia, dar presentes pras pessoas que gosto, arrumar a casa de um jeito diferente, é pra mim o marco do cristianismo, a nascimento de Jesus, que quer os ateus não concordão, Ele mudou o mundo e acredito que quem se dispor em O conhecer vai mudar muitos conceitos errados acerca da vida!

João Branco disse...

Não é o mês que está em causa, Sónia, mas sim o que é o Natal hoje. A minha filha mais nova também faz anos em Dezembro. E a festa de passagem d'ano é, de longe, a festa que mais gosto...

Quanto à vertente religiosa, nem isso podemos dizer, porque está mais do que comprovado que Jesus Cristo não poderia ter nascido do dia 25 de Dezembro, data de celebração criada de forma artificial, pela Igreja Católica, por volta do século VI.

O que diz a Wikkipédia sobre o assunto:

"A Bíblia diz que os pastores estavam nos campos cuidando das ovelhas na noite em que Jesus nasceu. O mês judaico de Kislev, correspondente aproximadamente à segunda metade de novembro e primeira metade de dezembro no calendário gregoriano era um mês frio e chuvoso. O mês seguinte é Tevet, em que ocorrem as temperaturas mais baixas do ano, com nevadas ocasionais nos planaltos. Isto é confirmado pelos profetas Esdras e Jeremias, que afirmavam não ser possível ficar de pé do lado de fora devido ao frio.
Entretanto, o evangelista Lucas afirmava que havia pastores vivendo ao ar livre e mantendo vigias sobre os rebanhos à noite perto do local onde Jesus nasceu. Como estes fatos seriam impossíveis para um período em que seria impossível ficar de pé ao lado de fora em função do frio, logo Jesus não poderia ter nascido no dia em que o Natal é celebrado, e sim na primavera ou no verão. Por isso, a maioria dos estudiosos consideram que Jesus não nasceu dia 25 de dezembro, a menos que a passagem que narra o nascimento de Jesus tenha sido escrita em linguagem alegórica. Diga-se de passagem que visto que Jesus viveu trinta e três anos e meio e morreu entre 22 de março e 25 de abril, ele não poderia realmente ter nascido em 25 de dezembro."

Abraço fraterno, dentro do (verdadeiro) espírito natalício.

MS-Mnininha Soncente disse...

Já somos 2...também não gosto!!!

João Branco disse...

Fixe! Boa companhia!

Sisi disse...

Acho que o margoso de politicamente correcto ñ tem nada, e é por isso que cá venho. Qto ao Natal, eu gosto, só ñ gosto do cpto que as pessoas adoptam só por nesta altura, como por exemplo tornarem-se todos "bondosos", e do consumismo desenfreado.

JonDays disse...

É Natal, É natal !
Sininhos de luz !
É Natal, é Natal !
Já nasceu Jesus...

JT

João Branco disse...

Jon, a preparas-te para um bom natal em família? Logo tu! Hehehe...

Eileen disse...

O Natal, a mim também não me diz nada e concordo com tudo isso do consumismo e publicidade a que fazes referência. Mas lembro-me dgostar, quando era pequena.

João Branco disse...

Eileen, lembro-me dos primeiros Natais em família depois do 25 de Abril, em casa dos meus avós maternos. Os adultos sentados na mesa, num jantar que nunca mais acabava e nós, furiosos e ansiosos pela hora das prendas. Quase todos os anos organizávamos manifestações com cartazes e tudo. Naquela época não havia petições... :)

Joshua disse...

Cartazes...lol
Também não gosto do Natal. Mas não me serve de nada. Ontem o meu filho mais velho, cinco anos, decorou a árvore de natal sozinho. E antes de dormir deitou o pessoal do presépio, burro e tudo. Depois disse-me " sabes o pai natal existe mesmo que tu não queiras". :D

JonDays disse...

Vocês não me obriguem a falar! Vocês não façam isso!! Vocês sabem lá... sabem lá os belos natais que eu vivi... A razão da existência do Natal é a de poder recordar aquilo tudo, já velhinho, com uma lágrima ao canto do olho.
Tenho uma lágrima no canto do olho, ai tenho uma lágrima no canto do olho... hehehehe

João Branco disse...

Joshua, toma um banho de mar na Ericeira que isso passa. hehehehe

Jon, olha, escreve um romance que isso passa. Prometo divulgar aqui no Margoso.

Burcan disse...

João Branco, faço minhas as tuas palavras, se assim permitires. Na ilha do Fogo, quando criança, eu gostava da época apenas pelo cheiro de pinheiro recém-cortado que ficava dentro de casa. Falando nisso convido-te a conhecer minha terra querida, Chã das Caldeiras, Fogo. Podes ter uma noção de como será a estadia visitando fidjudjarfogo.blogspot.com

abraço, Eliezer, Rio de Janeiro

Kuskas disse...

Detesto o Natal. Acho que gostei do Natal até os meus 7 ou 8 anos. Depois disso só tenho más lembranças. Mas actualmente o que me deixa "furiosa" com esta data é a "quase obrigatoriedade" em estas feliz e em paz, mesmo quando tens vontade de mandar tudo para PQP.

Este ano por causa da minha filha estou esforçando para lhe dar toda aquela magia que esta época deve significar para as crianças. Agora com adultos.. com esses vou continuar tendo o mesmo comportamento que tive durante o ano inteiro.

Mas uma coisa eu juro: se este ano alguem aqui no trabalho, que ganha 2 vezes menos que eu( e olhem que não ganho grande coisa), me pedir dinheiro emprestado para comprar peru, vou faze-lo engolir o peru vivo.
É incrivel como as pessoas se individem por causa de um dia.

João Branco disse...

Burcan, abraço para o Rio de Janeiro, com um cheirinho do vulcão do Fogo!

Kuskas, se precisares de ajuda para empurrar o perú, é só dizer... hahaha