Declaração Cafeana

34 Comments


Este é uma história que geralmente conto aos meus alunos de teatro: no final de um dos primeiros espectáculos de teatro que vi quando cheguei, proclamado pelos seus promotores como "o maior espectáculo teatral de sempre", no que foi uma jogada de marketing bem conseguida e que não ponho em causa, veio um jornalista da Rádio Nova perguntar-me o que tinha eu a dizer sobre a peça. Antes de falar, perguntei a um amigo, cabo-verdiano e mindelense desde sempre, "achas que posso dizer o que penso?", ao que ele me respondeu, com um sorriso malandro nos lábios, que só depois viria a entender, "estás à vontade, claro, porque não haverias de poder?".

Bem, basicamente o que eu disse é que tinha gostado de alguns aspectos da peça, de outros menos, que o elenco me pareceu desiquilibrado, destacando pela positiva o trabalho de um dos actores, e referindo que não considerava que tinha acabado de ver "o maior espectáculo teatral de sempre" e que ficaria bem ao pessoal ter um bocado mais de humildade artística.

Dito e feito: no dia seguinte, na mesma rádio, um dos envolvidos, alegando o direito de resposta, chamou-me todos os nomes que se pode imaginar, entre os quais um sonoro e bombástico "analfabeto das artes cénicas". Como o futuro veio demonstrar ele estava cheio de razão, mas a verdade é que eu prometi a mim mesmo nunca mais comentar nada sobre o grupo em causa (que já não existe há muito tempo), pelo menos publicamente, e que se me fosse pedida a opinião, diria desde logo "gostei muito", mesmo que isso não correspondesse à verdade.

15 anos depois, escrevo um artigo sobre o 180º, com um espirito construtivo tendo inclusive classificado o programa como "o melhor programa da televisão de Cabo Verde", apontando aquilo que pensava que poderia ser melhorado, na minha perspectiva pessoal. Como resposta a esse mesmo artigo o Abraão Vicente, pessoa cuja postura sempre tenho elogiado e de quem me considero amigo, sai-se no Ala Marginal com esta frase espantosa: "[O João Branco] usou-me a mim e aos meus comentadores como carne de canhão para a galera se divertir." Desculpa lá! Não foi essa a intenção. Mas se o pessoal preferir que na próxima diga apenas "gosto muito", é só pedir.

Não insultei ninguém, não destrui o trabalho de ninguém, não desvalorizei ninguém, não me aproveitei de nada para desancar em ninguém. Antes pelo contrário, dei uma opinião pessoal sobre um programa que aprecio. E da única vez que me referi directamente sobre um dos comentadores até foi para elogiar a sua actuação, fazendo questão de dizer que achava que todos eles estavam "bem preparados". Se alguma crítica foi feita, era comparando o que o programa era antes com o que é hoje.

Quanto às audiências, oh Abraão Vicente, tem lá santa paciência. Eu quero lá saber disso para alguma coisa. Não trabalho na televisão, nem sou teu concorrente. O 180º tem mais audiência que todos os blogues juntos? Ainda bem, já que merece essa distinção. Criticar e apontar falhas, como tu fazes com todos e sobre todos quando escreves (e bem), é usar os alvos das críticas para diversão colectiva? Desculpa, mas comigo não.

Por causa desta crónica já fui insultado, e uma respeitável senhora chamou a este blogue Café Merdoso, salientando que é um espaço sem qualquer utilidade. Na verdade, só me tenho que queixar de mim próprio. Fiz a cama, agora deito-me nela. Mas é uma pena que seja assim e só demonstra o quanto nos falta caminhar na construção de um espírito crítico em Cabo Verde. Mas se uma crónica como a que escrevi, onde tentei transmitir de forma construtiva e sustentada uma opinião pessoal, é classificada como um simples "mandar de bocas, leviano e infantil, com opiniões de quinta", se calhar não vale a pena dizer mais nada e reduzir o Café Margoso às citações, fotografias e histórias de encantar. Um blogue de variedades, em suma.


Imagem: "Merda de artista", de Piero Manzonie, dedicada a este blogue e ao seu autor




You may also like

34 comentários:

Amílcar Tavares disse...

Meu caro amigo,

Venho te pedir que desistas do "gosto muito" o mais rapidamente possível.

A reacção do Abraão à crítica é à cabo-verdiana. No nosso DNA não consta nenhuma nota à tolerância à crítica.

Se o rapaz encaixou mal as tuas críticas - constructivas - ele que cresça e apareça.

Aquele abraço.

Redy Wilson Lima disse...

Caro amigo, nem sempre uma pessoa aceita críticas (construtivas ou não) à sua pessoa porque farta-se de criticar os outros. Li o post do Abraão hoje à tarde e achei exagerado, mas quem sou eu para julgar. Também exagero muitas vezes... mentalidade berdiana... não à volta a dar. Fui.

Anónimo disse...

Não cometa o erro de se tocar pelas críticas de má criação do AV. É só abrir e iniciar a ler o blogue do rapaz para constactar um facto. O dito só faz críticas ácidas e corosivas contra tudo e todos. Desrespeita a todos e cultiva o contra como catapultador pessoal. Nos deprime saber que te tocas, em sentimentalismo quase servil e fraco, pela má criação do Vicentinho. És um profissional execelente, com um trabalho invejável no teatro: o Mindelact existe, unica e exclusivamente, sem exagero, porque tu existes. Se tens tempo, se é por educação, e até pela interactividade do que deve ser um blogue, que respondes a todos os coments, não o deixas de fazer porque o Abrão te insultou, dizendo que metade dos coments eram teus, chamando-te às claras de mentiroso. Lembro-te o que afirmas-te acerca do Paulino quando este extinguiu o seu blogue depois de o Casimiro lhe dar tapónas na cabeça por causa da crítica que ele fizera a este. O que ficou foi mesmo que o rapaz se acobardou e terminou o blogue. Como um homem feito não se amofine pela má criação do rapaz, que azeda toda a sociedade com as suas crónicas sujas. Não foi este AV que disse que "não existe arte contemporánea em CV"; "que o carnaval do Mindelo é um folclore rídiculo e patético do carnaval Brasileiro";" que as vacas sagradas (aonde se mete o Germano e outros) devêm ser enterrados"; " que o ministro da cultura é uma anulidade por isto e aquilo"; " que Preta Gil não canta nada"; "Que os caboverdeanos não sabem apreciar e comsumir arte contemporânea"( tudo porque não compramos os rídiculos quadros dele). Por exemplo: num dos últimos post dele ele diz que as meninas da Praia( todas, que ele não faz excepções) andam com cío e que os rapazes são cães sarnentos. Todos os post dele são do mesmo teor: despreza e crítica de forma ácida, parasita, as pessoas, a sociedade. Nunca apresenta uma proposta construtiva. Todas as suas intervenções é para ganhar protagonismos, se vender: a si e a seus produtos. O João julgava que eram amigos!? Ó Homem! Esse AV não é amigo de ninguêm...Ficamos por aqui para não considerares que exageramos e nos censurar. Mas alguêm que reaja da forma como o AV reagiu a crítica não merece respeito.*** Plagiando Amilcar Tavares, que julgo ser tabém de Assomada, logo terá convivido com o AV em criança e adolescência, conhecendo-o muito bem( não esquecendo que Santos de casa não fazem milagres): "Venho te pedir que desistas do "gosto muito" o mais rapidamente possível.

A reacção do Abraão à crítica é à cabo-verdiana. No nosso DNA não consta nenhuma nota à tolerância à crítica.

Se o rapaz encaixou mal as tuas críticas - constructivas - ele que cresça e apareça". Outrossim é que não pares de ser o que és por causa das farpas do mimado AV. continue a responder aos coments, querendo, e deiche que o AV venha fazer contar quantos são teus ou de outros que não se repetem. OBS: JÁ REPARARAM QUE O RAPAZ NÃO ACEITA COMENTS NO SEU BLOGUE!? PORQUE SERÁ????? SERÁ POR CORAGEM QUE O FAZ??? ...OBS: achas mesmo que o rapaz não comentou o post com alcunha!?... Oarba Etneciv

Dundu disse...

A critica à critica foi exagerada por parte do Abrão.
Não vi nenhuma maldade no post e mesmo que tivesse sido, teria sido parte da critica, tendo o Abrão gostado ou não.
Realmente, em Cabo Verde critica tem uma conotação de "maldizer" e nós reagimos ferozmente a ela, ainda que tenha sido construtiva.

Mas vamos chegar lá... Pa frenti k'e kaminhu

Cesar Schofield Cardoso disse...

Vou assistir a este lavar de roupa suja em público com muita tristeza. Vamos lá esfriar os ânimos. Vamos lá ter calma com os juízos de valor

O João escreveu o que tinha de escrever. O Abraão reagiu como achou que devia reagir. Pronto. Mais uma vez, vamos evitar ajuizar. Vamos analisar, antes de mais.

Curtam o dia.

Cesar Schofield Cardoso disse...

Amilcar, o Abraão só pode crescer, porque aparecer, gostemos ou não, já apareceu. Ou será que agora vamos começar a construir um discurso de que o que ele faz não serve para nada?!

Vamos lá a ter senso. Como o próprio João costuma dizer: apontamos 1 dedo e temos outros 3 a apontar para nós.

Anónimo disse...

João, novamente: não deixes que o espírito Margoso se perca, please;

infelizmente, sempre fui introvertida e para o silêncio - não que não tivesse nada a dizer, mas simplesmente por cedo ter compreendido essa característica particular do nosso DNA, citando o Amilcar.

Tenho tentando mudar isso, por mim; ainda fico triste, irritada, cansada porque enfim, aqui (CV) dizer o que se pensa é complicado; mas não vou desistir, pela minha sanidade mental :) :) E o Margoso é um incentivo a esta minha pequena "luta", por isso pfv não saías do campo

Abraço***

Vânia

Anónimo disse...

Ola!
Li este post e nao consigo compreender o sucedido.
Ate nao queria comentar para nao ser enxovalhado por algum "Abraham look alike". Por esta e outras é que continuo a dizer que a palavra democracia em CV deveria ser substituida por hipocrisia.A arrogancia de certas pessoas so passa na garganta enquanto estes fazem o seu trabalho.
Oh AV, com que entao nao aceitas criticas? Imagino como as pessoas que criticas se sentem neste momento.Imagino se a critica do JB fosse destrutiva, morrias online em vez deste online stress que te meteste.

* Requisito Anonimato devido ao assassinato da democracia nos Blogs made in CV.

Álvaro Ludgero Andrade disse...

Meu querido João, essas críticas são ossos do ofício e, no caso de Cabo Verde, só provam que o facto de sermos PDM e termos várias tv´s estrangeiras em casa, não nos catapultam para o patamar de sociedade civilizada. A propósito, sociedade civilizada não se resume à ausência de tribos e guerras civis, mas a um conjunto de valores, entre eles o respeito pela diferença.
Continua, JB, porque a história não regista aqueles que não tiveram coragem.

Lily disse...

Olhe João, a pena é que grande parte das pessoas não saiba aceitar a crítica e que a encarem sempre de uma forma destrutiva e não de forma construtiva, como deveria ser.
Todos, mais ou menos expostos, estamos sujeitos a críticas e elas podem ser fonte de crescimento e aperfeiçoamento. Não vá pelo facilitismo de adoptar o "gosto muito". Seria uma pena. E não se esqueça de continuar fiel ao objectivo do seu blog: "Para dizer bem e dizer mal, mas nunca para mal dizer".
Quanto ao "Café Merdoso", a coisa é simples, a quem é muito sensível do nariz, que não apareça, para não se incomodar com o mau cheiro...
Em tempos, penso que era habitual antes dos espetáculos, também de teatro, as pessoas não desejarem "Boa Sorte" mas sim "Merda", por questões de superstição. Respeitosamente, desejo-lhe "Muita Merda" para o seu blog.
Cumprimentos,
Lily.

Eileen disse...

Concordo com o Amílcar, João. Era o que faltava. Estranha-me muito que o Abraão assim tenha agido e pensado, mas não faz falta calar uma voz, e sim acordar outras.

Anónimo disse...

O Abraão tem potencial, muito potencial considerando o nível local. Por vezes tem muita falta de humildade. É um mal nacional. Eu, pessoalmente, achei que lhe teceste loas. Vai daí... Não entendi como é que o gajo ficou chateado com a tua porreirice.
Se fosse a ti, não ligava nenhuma. PRECISAMOS dos teus comentários. Para mais, como "Mucim de S.Cente que veio de Lisboa" tens um distanciamento que faz falta.
Só gostava de saber como é que podes escrever tanto e sobre tantos assuntos?
Dormes mal?
Um abraço e.. mais uma fez força!
(para já, continuo Anónimo, digamos que por obrigaçao)
Repito: FORÇA!

Sena disse...

Caro João,

Já há algum tempo visito o blog, sendo uma das presenças caladas que passam, vêem, gostam (ou não) e saem sem deixar marcas. Mas hoje, talvez por o assunto "bulir-me com os nervos" deixo-te este comentário: o que é afinal um blog senão um espaço de opinião?? Da opinião de quem fez o blog!! Quem, como eu, aqui vem é porque valoriza as tuas ideias, quer lê-las e consegue de alguma forma tirar ilacções positivas delas. Quem não as aceita ou simplesmente respeita tem bom remédio... e o mesmo remédio servirá para quem pergunta e não quer ouvir. "Gostei muito" não é resposta para quem como tu tem espírito crítico, e que já nos habituou em dizer o que pensa e assinar em baixo.

Infelizmente o que mais existe por aí são pessoas que nos julgam pelo que elas próprias fariam, ou seja, calar na maioria dos casos e simplesmente "mandar bocas", de preferência anonimamente, quando finalmente falam.

Um obrigada pelo bom gosto do espaço!

Abraço caboverdiano

Anónimo disse...

Nunca vi o programa em causa e
o respectivo Autor/Apresentador conheço-o apenas do "Nha Terra nha Cretcheu" que passa na RTP África.

Estou por isso à vontade para, de forma totalmente isenta, dizer o seguinte:

1. Não vi, no Post em causa, as malévolas intenções que, pelos vistos, aquele ali viu.
2. Trata-se, pelo contrário e bem vistas as coisas, de um texto até bastante elogioso para o mesmo.
3. A leve crítica que ali perpassa, quer ao Autor, quer a alguns dos Comentadores, é manifestamente construtiva e visa, objectivamente, a melhoria do programa, aliás ali considerado como "o melhor...da televisão de Cabo Verde".
4. Também me não pareceu que a generalidade dos comentários tenha descambado para a crítica gratuita ou insultuosa.
5. E se aqui e ali foram mais mordazes, irónicos ou gracejantes, tal é ínsito ao debate democrático e pluralista.
6. Quando alguém se leva demasiado a sério tal revela, quanto a mim, que tem falta de humildade e um acentuado reflexo narcisístico.
7. Esta parte da "galera" quer deixar ainda claro que (também) se diverte quando apõe comentários aos Posts publicados o que, na sua modesta opinião (que vale o que vale), não é nenhum pecado.
8. Até porque, como já disse algures, humor com amor se paga.
9. Ou, como diziam outros, "ridendo castigat mores"
10. Como quer deixar claro que não gosta de blogs de variedades!

Abraço

a) RB, anónimo por obrigação

João Branco disse...

Sobre o que aqui foi escrito quero dizer o seguinte;

1. A minha admiração pessoal pelo Abraão Vicente mantêm-se intocada;

2. A minha amizade por ele idem aspas aspas;

3. Não concordei com o que ele escreveu sobre a crítica ao programa e reagi, com naturalidade;

4. Penso que, mesmo não concordando, ele tinha o direito de escrever o que escreveu se era essa a sua opinião;

5. Gostava que não cometessem com ele os erros que eu acho que alguns comentadores cometeram comigo, e isso é que me deixou mais lixado ainda. Ou seja, fazer juízos de valor precipitados, preconceituosos, desrespeitadores;

6. Finalmente digo, e ele nem precisa que o faça, que considero o AV um dos grandes valores actuais deste país e espero que ele continue fazendo o que sempre fez, à sua maneira: intervir, com coragem e ousadia.

Não estamos de acordo em algumas coisas? Normal. Eu e o AV não somos almas gémeas.

Abraço a todos

Anónimo disse...

Então JB
Já te sentes melhor?
Afinal sempre tens amiguinhos!!Que bom não é?
Assim por todas as parvoices que fazes e dizes, há sempre quem, tal como tu, deturpa tudo e ataque levianamente terceiros e ainda te dê palmadinhas nas costas.
Mas aparentemente há quem viva assim, continuem o maldizer e as fofoquinhas.
Divirtam-se a cascar e finalmente terem a oportunidade e desculpa de maldizer alguem, assim já se sentem melhores com voces mesmos,não é? se alguem é assim tão mau...voces só poderam ser bonzinhos,certo?

E quando tiverem mais tempo livre, reparem que o problema nao é haver critica,mas sim as formas de a fazer...E que nada põe em causa as competencias profissionais do JB, mas aqui trata-se de outra coisa...de ele adorar uma boa fofoca e má lingua, coscuvilhice.
JB, tchá de dá pa dode e cuitod...sempre a tentar agradar a gregos e troianos dê por onde der...
Fica-te mal.
E fica-te ainda mais mal pores posts como anonimo!!hahahaha
Brincadeirinha, claro que foi outra pessoa...
Divirtam-se meninos e meninas,que eu já tive a minha dose mais do que suficiente deste blog e das vossas patetices.
Um bom dia para todos

Maria da Conceição

Salim disse...

JB,

Ontem quando recebi o comentário da MCP (e fui ler o post do AV) senti-me parcialmente responsável pelo ataque à tua pessoa.

Li, reflecti, tirei as minhas ilações, e tenho que concordar em absoluto contigo (e com o conteúdo desta declaração cafeana) porque foste sempre construtivo e respeitoso na tua crónica desaforada.

Embora perceba perfeitamente a tua posição e o teu espanto, eu, como um dos visados, até que gostei da resposta do AV porque, no mínimo, ele foi frontal (o que é raro em CV) e disse o que pensa.

Assim, no dia em que o encontrar na rua, posso olhá-lo no rosto sem rancor (e ele a mim), porque ambos sabemos o que pensamos sem estarmos a adivinhar as riolas que podem estar por detrás.

Nessa questão, acho que a comunidade blogger CV está a tentar trilhar um caminho até agora quase virgem neste país, que é o da frontalidade e do respeito mútuo (e o teu blog é um belo exemplo disso).

Esse caminho, fazendo uso da nossa "liberdade e democracia", para muitos só serve quando é para vestir a capa do anonimato e criticar violentamente o mínimo deslize, demonstrando assim a sua liberdade ao esconderem o seu próprio nome, e a sua democracia ao não permitirem que sejam eles também alvo das críticas que proferem.

É um caminho interessante, que tem o seu custo, evidentemente, mas cujo destino valerá, de certeza, a pena. Mil vezes!

Eu, desde sempre, a minha grande crítica ao AV é que achava que ele, apesar da sua frontalidade, não respeitava o alvo das suas críticas.

Tenho que confessar que considero que o AV tem melhorado bastante nesse aspecto, pois costumava pensar que isso era irremediável e tinha dito a mim mesmo:

"Nunca mais encares o gajo porque ele irá descartar o teu ponto de vista, pura e simplesmente, sem o dar a mínima ponderação, e usará tudo o que disseres a seu favor, como arma de contra-ataque. No final, tudo ficará pior do que antes, sem sair nada de construtivo, porque o gajo não admite a hipótese de errar ou estar errado".

Mas, com o passar do tempo, acho que eu próprio errei no meu pensamento, porque, caso contrário, não estaria a escrever isto.

No que a ti diz respeito, a única coisa que te posso dizer é que no dia em que passares a dizer apenas "gosto muito" o CM irá perder audiência, porque, aí sim, perderá a sua utilidade e relevância. ;-)

As críticas que não têm fundamento (e os insultos), que passem ao lado. E, quanto às outras, que consigamos encaixá-las e sejamos melhores.

1 love

João Branco disse...

Maria, boa viagem...

José Eduardo Fonseca Soares disse...

Mais uma voz, de um amigo e companheiro. Como sabes, pois tenho-te dito isto muitas vezes... para certas coisas, o melhor é não ligar, não tomar á letra, não 'dar bola', não seguires pelo mesmo caminho. A verdade é que o 'berdiano' ainda não digere bem a crítica. E uma constatação antiquíssima: aqueles que mais criticam... normalmente encaixam mal a 'coisa' quando a eles é dirigida. É uma coisa que se aprende, e para o Cabo-verdiano parece que é ainda mais difícil a aprendizagem...
Bola para a frente. CM igual a si próprio!!!

Anónimo disse...

que o gajo não deve ter encaixado bem a crítica lá isso é Verdade, alías nota-se Bem!mas também não compreendo tanto escandalo com o post do AV!o tipo é arrogante,leviano, bairrista mas não é burro! João B. desculpa-me mas de inocente não tens nada nesta história...este blog que até já foi um bom blog, tem perdido muito por causa do tua insistencia em te elogiares a toda a hora! desconfia das palavras que te massajam o ego, nem aqui em Soncent estás de boa fama como julgas!!c'est la vie mon cher, qualquer dia a tua máscara tinha que cair e parece que não te vais salvar com este post piegas... a bientot...
Xic D.Idalina

João Branco disse...

Xic D. Idalina:

1. Não penso que o AV seja arrogante, leviano ao bairrista;

2. Concordo que não seja nada burro;

3. Vou tomar em consideração essa tua crítica e tenho que concordar com ela. Admito que o período pré-aniversário do CM tenha sido um pouco insuportável, mas a verdade é os elogios nem eram escritos por mim. Tudo bem, gosto que me massagem o ego, como qualquer mortal e tenho por defeito não desconfiar de quem o faz. Neste aspecto, tens toda a razão. Já passei por muitos dissabores por causa disso, mas paciência. Cada um é como é;

4. Não procuro, nunca procurei, nem fama nem proveito, nem em S. Vicente nem noutro local qualquer. Se tens críticas a fazer como interventor de alguma área, espero que apareças para o fazer no fórum próprio;

5. Quanto ao comentário sobre o post, cada um tem a sua opinião.

A biem kê? Abraço fraterno!

Sisi disse...

Eu acho que, as vezes, mais do que nao saber aceitar uma crítica, as pessoas nao querem é ouvir a verdade. Preferem opiniões cínicas, como " achei interessante" e "gostei muito", do que uma opinião sincera e fundamentada.

albertina disse...

É de loucos, o AV não deveria agradecer-te JB pelos elogios e ter despertado á atenção de alguns para verem o programa dele? Quem da geração da TVEC não continua a chamar a TV de CV TVEC? É um mimo, uma forma simpática de chamar a nossa tv. E, estas pessoas q estão a escrever e a identificarem-se, são todas JB? E eu, serei JB. Não, sou Tina de Plateau.

AP disse...

Vaidades da terrinha, de pseudo mestres em qualquer arte, donos de inigualável cultura, de imperturbáveis poses, pedantes... nesta terra não se reconhece a mediocridade ( com honrosas excepções de excelência )de quase tudo o que se faz , facilmente é-se promovido a sumidade, facilmente é-se campeão num campeonato onde não há adversários, onde não há critica, onde não há conhecimento para analisar... onde a gente culta só lê romances ( não digo que não seja bom ler romances mas há livros para além das “estórias” ), onde as parabólicas só servem para captar o sinal da novela ou do futebol, onde não se faz da exigência uma virtude mas sim uma chatice, onde quando se fala sobre filosofia fala-se de Platão e Sócrates e acha-se culto e que isto é que é filosofia, onde as pessoas nem têm consciência das suas limitações... Em CV é muito fácil ser-se Rei ( de um carnaval qualquer )

João Branco disse...

Eu penso que este comentário do AP merece um post próprio, e vocês? Esqueçam-se deste assunto ou desta polémica estéril e leiam este parágrafo de forma descomplexada. Não é claro e directo quanto baste?

Nando disse...

Borá lá com o post JB.

Arsénio disse...

Ahhh, nesta terrinha todos bradam que somos tolerantes, mas na hora do vamos ver, a coisa muda.

Continue na senda de criticar (sempre de espírito aberto) e deixe a malta se zangar.

João Branco disse...

Nando, vou esperar mais um pouco. Não quero estar a colocar gasolina numa fogueira...

Arsénio, continuarei sim. Dando o direito a mim próprio de me zangar também de vez em quando!

júlia disse...

Tou com o Nando.

Anónimo disse...

“Nulla si crea, nulla si distrugge, tutto si trasforma. In merda.”

- Antoine Lavoisier, sulla merda

João Branco disse...

Júlia, estou a pensar no assunto, a sério...

Anónimo, o Lavoisier era um malandro

KAZA di LIMARIAS disse...

So um golin...
ka ta fazi mal...

Anónimo disse...

O AV teve uma reacção completamente rídicula. Para quem crítica tudo e todos, o "Helboy Vicente", esse avesso, arespeitado relação para com a crítica é algo despresivel e triste. Ao aceder ao Blogue dele hoje soube desse boxe. Quando vim ao blogue do João Branco fiquei estupefacto. Em nenhum momento vi um insulto, pretenções de ridicularizar, minorar ou funcionalizar, em interesse pessoal, 180 grau e seus objectos. Do inicio ao fim JB faz críticas objectivas, construtivas. Sublinha o que esta mal e logo apresenta soluções para o melhorar: fala a verdade acerca da qualidade técnica da TEVEC ( expreção de ironia fina que o AV, sego pelo ódio numa leitura deficitária, não comprendeu. JB usou a desigñação supra para ironizar a RTC, que foi TNCV, podendo ser outros, nunca deichou de ser Telivisão Vase Esperemental de Cabo Verde), o som deficitário, qualidade de imagens;Faz críticas do tipo: "Finalmente penso que gostaria que a primeira parte do 180º fosse um pouco mais longa, já que muito fica sempre por dizer, e a segunda parte, um pouco mais curta, onde raramente os convidados aguentam e mantêm um interesse num vasto auditório por um período tão longo". Enfim, crítica na veradeira acepção da palavra.

...

Infelizmente, no último post de Vicente, este, em resposta a uma crítica de um leitor sobre a sua recusa em aceitar coments, este diz:"Apoio toda a iniciativa que leve os comentadores compulsivos dos blogs a aprenderem a ler... e logo a escrever sem vomitar citações e nomes de autores. Ao retirar os comentários deste blog penso ter dado a minha modesta contribuição à causa." . AV demosnstrar não ser intelectualmente sincero. Quem segue o seu blogue desde do ínicio, sabe que não é esse motivo que o levou a recusar coments. Quem leu as suas reações a crítica quando este era colunista do asemana, sabe que a razão supra é averdade. Vicente deichou de postar coments porque eles nunca foram um forte do seu blogue, quase nuca se comentava ali. Creio que o seu blogue tem muito menos audiência que o de o J.Branco. Por outro lado o dito é muito sensivel, qubradiço até, a críticas: daí se escudar na recusa.Pela sua crítica a reação do post de JB, Vicente não o direito de escrever: "Estou cada vez mais certo que democracia, crítica e liberdade têm tudo a ver com o desenvolvimento de uma certa capacidade de: LER. " . Ele que reagiu isnsulatado a melhor crítica que o 180 já teve... Enfim, para uma pessoa que têm formação de Sociologo, a forma primária, os argumentos de trazer por casa, as sofisticas razões que o autor vomita para criar uma verdade que lhe convêm, entristece e dá Pena.

Pelos visto o J. Branco já superou e segue em frente postando temas outros. Deferente o AV sente que ingoliu um sapo e quer ver como retiralo plo rabo.

Carla Barbosa Monteiro ( Obs: não sou o João Branco)

Ariane Morais-Abreu disse...

Criticar é preciso, viver nao é... Jb, começas a sentir na pele o que é ser Cabo-verdiano!! O paroxismo da contradiçao cosa... O AP falou bem, muito bem!! Que o AV trabalha para sair da condiçao de artista amargo que sonha ser criador... pelo menos de emissao televisiva. A ver as produçoes plasticas nao surpreende a reaçao muito inestetica?! Complacência ka é amigu e tem vida curt...