Ode à Bicharada

15 Comments



Ode a bicharada


Cães fantasmas
Ladram na esquina

Algazarra de primatas
Parlamento de hienas

Jericos na politica
O rebanho vai atrás


Tchalé Figueira


You may also like

15 comentários:

Anónimo disse...

conheces um poema dele que às tantas diz: "se vives com a pessoa que não amas/vives com a pessoa que bem mereces"? Li-o, já não sei onde e gostaria de o recuperar, podes ajudar-me?

João Branco disse...

Anónimo, estou certo que o Tchalê vai ler e vai responder ele mesmo! Abraço.

Adriano Reis disse...

João é sempre bom trazer algo de Tchalé. tornei-me fãs desde da peça "Nós Pescadores" que convidaste para escrever alguns poemas para a peça e foi brutal!

Anónimo disse...

Caro anónimo vai ao site do meu amigo Vasco Martins e faz clik em Axioma.

Cumprimentos.

Tchale

João Branco disse...

Hi, Adriano, nem me digas há quanto tempo isso foi! Diazá na mund! Diazá ke no tem Tchalé ta eskrevê poesia!

Eu sabia que virias aqui dar essa informação. Abraço, Tchalê!

Anónimo disse...

Belíssimo poema. Com métrica e ritmo pressentidos. Com plástica, que é a praia do Tchalé. Parodiando Arménio Vieira: é pela "fabulação" do verso que se ressalva o pensamento.

Abraços concêntricos,

Filinto Elísio, Albatrozberdiano

João Branco disse...

Sempre um prazer ouvir um poeta falar de outro poeta. Benditos sejam! Abraço!

Anónimo disse...

Rapazes tem tempo pa faze poesiaaaa....

Anónimo disse...

obrigada! Qual é a morada do site?

Anónimo disse...

Oi Tchalê!

Em eco:

Cassowaries
serpents arc-en-ciel
tirs à la bécassine
pain au mort-aux-rats
Dans ma gorge il y a le cri de tous les animaux de la Terre.

Escrito em Alice Springs, Australia 2008 - C.Ferro

Seria interessante um blog teu...e seguir o teu trabalho de longe.:o)

Abraços.

João Branco disse...

Anónimo, não conheces essa ferramenta fantástica chamada Google? hehe

Anónimo disse...

Obrigadinha, João Branco - pensava que perguntar não ofendia e que até terias prazer em divulgar a porcaria do site... tb podes crer que nunca mais pergunto nada. Dispenso cinismos.

João Branco disse...

Anónimo, estava a brincar mesmo. Se consideras isso cinismo, acho que te falta sentido de humor e é preocupante! :) Demasiado frio por aí? E o site do Vasco Martins não tem culpa nenhuma disso, para ser logo tachado de "porcaria". Quanto stress!

José Eduardo Fonseca Soares disse...

JB, se me permites, deixo cá esse poema pedido do Tchalê... sem a parte do site do VM. Posso?
"Veio a gravidez e o parto,
O florir de uma nova vida.

A chuva e o cheiro a terra molhada,
Lembrou-me nostalgicamente a nossa paixão perdida...
Os primeiros passos, o baptismo para quem crê
Na salvação da alma, e os festejos com vinhos
Licores degustados por oráculos doces, que auguraram
Ser, a salvação da humanidade.

Com a mutação dos dias e dos anos, veio
O carpir sobre a toalha esquecida no chão,
O cheiro a sexo em serie que não da prazer,
A melancolia de duas pedras deitadas na cama,
Uma boa noite, mais triste do que o mundo.

Quem vive com a pessoa que não ama
Vive com a pessoa que bem merece...

Um campo de minas,
Fragmentação do tempo, a
Intolerância, e um barco afundando entre as duas
Distantes ilhas que somos nós.

Fim de um amor..."
E, claro, com a permissão do autor TF, aqui expresso.

João Branco disse...

E pronto! Espero que com esta gentileza do Fonseca Soares, o nosso Anónimo me perdoa a piada (de mau gosto?) e continua a nos visitar. Abraço fraterno.