Crónica Desaforada

49 Comments


Uma análise construtiva, ainda a quente

1. Começo com uma chamada de atenção que, infelizmente, tem que ser feita: como consumidor analiso, opino e escrevo esta crónica. E escrevo porque penso que é fundamental neste movimento blogueiro uma maior capacidade de avaliação crítica em relação ao que nos rodeia, na comunicação social, na arte, na rua, no quotidiano e em relação a nós próprios. De forma construtiva, como é evidente.

2. O programa 180º é dos poucos programas que me fazem ligar a nossa TEVEC nos dias de hoje. Ainda por cima, desde que tenho a ligação por cabo ZAP - e os filmes e séries correspondentes - a concorrência vai para além dos canais portugueses que a Câmara Municipal de S. Vicente continua a colocar à nossa disposição, contra tudo e contra todos, louvada seja a nossa presidente!

3. Procuro não perder o programa por várias razões: pelo formato, pelos temas, pela frescura, e porque considero o Abraão Vicente um excelente comunicador, embora pense que tenha perdido algum fulgor dos primeiros tempos.

4. Por exemplo, confesso que me fez um bocadinho de impressão a forma leve e ligeira como Abraão Vicente entrevistou o Ministro da Cultura, Manuel Veiga, quando se esperava que aproveitasse aquela ocasião para o confrontar com uma série de situações inadmissíveis e surrealistas ligadas ao sector da Cultura, que ele próprio já havia criticado publicamente noutros locais, naquela que foi, provavelmente uma das piores entrevistas que o vi fazer em televisão.

5. Mas admiro-lhe a coragem, a dinâmica e a forma preparada como vai para a maioria dos programas. Penso no entanto que o próprio programa 180º perdeu alguma da sua força inicial e não sei se é impressão minha, mas parece que se afastou um pouco daquele formato original, onde a primeira parte com os comentadores residentes, era quase toda ela baseada na nossa revista de imprensa, o que considerei ser uma excelente estratégia, até para colocar alguma pressão nos próprios jornais.

6. Também havia um acompanhamento dos blogues cabo-verdianos que se perdeu, e penso que o programa perdeu um pouco com isso também. Inclusive, o próprio blogue que foi criado para o 180º está inactivo há vários meses.

7. Quanto aos comentadores, como é natural gosto mais de uns do que doutros, mas às vezes faz-me alguma impressão o tom demasiado coloquial e politicamente correcto de alguns deles, como se estivessem ali a mostrar que tem futuro político e que por isso tem que mostrar uma postura "adulta", embora admita que a maioria deles tem mostrado preparação na abordagem dos temas.

8. Acho que este seria um programa ideal para mostrar um pouco mais de irreverência, mais discussão, mais controvérsia. Por exemplo, neste último programa, a forma demasiado séria como abordaram a questão da justiça em Cabo Verde ou o politicamente correcto na "compreensão" com que encararam o silêncio de Barack Obama em relação ao massacre de Gaza, foi sintomático. Neste último caso, utilizou-se o argumento de que ele ainda não é Presidente e portanto não poderia falar. Como se ele não andasse a falar diariamente, e aqui bem, sobre muitos outros assuntos, nomeadamente, sobre assuntos económicos.

9. Dando um exemplo de uma outra latitude, e não me levem a mal por isso, gosto muito do programa de debate da SIC Notícias, O Eixo do Mal, com cinco convidados residentes e onde a discussão é quase sempre muito rica, humorada, diversa e inteligente.

10. Devo dizer, e porque está mais fresco, que gostei bastante do comentador Emílio Rodrigues, que não conhecia, e da forma segura como abordou quase todos os temas, embora tenha que ter cuidado com um lapsus lingae um pouco irritante: repetiu a expressão "de facto" mais de 50 vezes naquela metade de programa...

11. Talvez a maior dificuldade, diria mesmo a maior barreira, seja a falta de qualidade quase paleolítica da própria televisão nacional, do ponto de vista da qualidade da imagem, da emissão e, principalmente, do som, que é uma lástima. De facto, às vezes compreendo o quanto difícil deverá ser conseguir um debate mais vivo, onde o ruído dos microfones está mais presente do que as vozes dos participantes.

12. Finalmente penso que gostaria que a primeira parte do 180º fosse um pouco mais longa, já que muito fica sempre por dizer, e a segunda parte, um pouco mais curta, onde raramente os convidados aguentam e mantêm um interesse num vasto auditório por um período tão longo.

13. De tudo o que foi dito, e espero que ninguém tenha levado a mal, continuo a pensar que o 180º é o melhor programa da televisão de Cabo Verde, por isso lhe dedico uma crónica, embora acredite que pela qualidade global média da nossa estação e pela auto-exigência que o seu criador coloca em tudo o que faz, essa opinião possa parecer demasiado curta. Mas é sincera. E isso é quanto baste.


Mindelo, 10 de Janeiro de 2008




You may also like

49 comentários:

Anónimo disse...

Não conhecia o programa mas com este "review" até dá vontade de conhecer. Se encontra-se referenciado ao lado do "Eixo do mal" mau programa não há-de ser. Há como ver o programa na internet?

Salim disse...

O 180º foi, de facto, o melhor da TEVEC até que os políticos o descobriram e passaram da minoria para a maioria.

Costumava não perder um único programa, mas, hoje em dia, normalmente, ou esqueço-me de o ver, ou o apanho ao meio ao trocar de canais.

Para mim, o que mais falta faz (sem margem para dúvidas) é o Tide, porque não tinha medo de pôr o dedo na ferida e falar o que pensava.

Há outros comentadores cujos blogs e artigos de opinião são absolutamente devastadores (e excelentes), mas que, como dizes, tornam-se politicamente extremamente correctos na TV.

Percebo que a exposição é muito maior e, talvez, tenham que resguardar-se, mas não deixa de ser estranho ler algo visceral nos blogs ou jornais, e a aparente doçura como o mesmo assunto é abordado, pelas mesmas pessoas, no ar.

Eu, o que gostaria de saber, mesmo, é até que ponto o programa está sob controle e influência (in)directa (ou não) da classe política dirigente.

Ou seja, até que ponto há (ou não há) um entendimento implícito, com os produtores do programa, que tem que haver uma certa dose do politicamente correcto no programa, ou arrisca-se a perder o espaço pura e simplesmente.

O que até não seria de estranhar visto que o programa está na televisão estatal. Acho, também, que é por isso que a 1ª parte não é mais longa, porque quanto maior for o tempo para falar, maior será a oportunidade de "escolaxar" nos políticos.

1 love

P.S. Os meus comentadores favoritos são (foram) o Tide, o Paulino, e o Milton (este, embora político, conseguia ser, quase sempre, imparcial).

João Branco disse...

Anónimo, acho que o único programa que está disponível na net da Tv de Cabo Verde é o Telejornal. Mas há-de haver por aqui quem saiba dar a opinião certa.

Salim, quem conhece minimamente a pessoa em causa sabe que é imune a esse tipo de pressão. Por isso não acredito que seja o que dizes.

Anónimo disse...

Previsivel João, Dôr d' Cutuvelo. Quizeras tu ess lugar de DEtak.

João Branco disse...

Hehehe Agora já me fez rir, este Anónimo. Olha que não, olha que não. Se há dores que não sinto é desssas, do cotovelo. E como diz o outro, cada macaco no seu galho. A televisão não é a minha árvore, certamente. Respira e tem um bom fim-de-semana!

Salim disse...

JB,

Não estava a referir-me ao AV, se é isso que queres dizer. Estou a falar dos produtores do programa (o AV é o apresentador).

No entanto, não deixa de ser verdade que até o AV é, de certo modo, vítima do síndrome "ser politicamente correcto".

Bali

João Branco disse...

O Abraão não é apenas apresentador do programa 180º. Ele é mesmo "dono" do programa. Neste sentido todos os conteúdos, convidados, etc. são da sua exclusiva responsabilidade. Abraço!

Salim disse...

A sério?!?

Bom, então (e nesse caso), retiro por completo a parte sobre haver (ou não) influência política (basicamente, referia-me à auto-censura).

Pensava que ele era apenas o apresentador (pois tinham-me dado outros nomes como sendo os produtores) e daí a razão da minha dúvida.

Fico esclarecido e corrigido, hehehe. ;-)

1 love

P.S. E, já agora, aproveito para reforçar o desejo de ter a 1ª parte mais longa e a 2ª mais curta. Bali.

Anónimo disse...

O pior é que andam por aí muitos que, de certeza, prefeririam um programa que se chamasse 360º.

a) RB, anónimo por obrigação

João Branco disse...

Salim ,ok e já agora bom fim-de-semana.

RB, como as célebres voltas que alguns dão nas suas vidas, mas sem sair do lugar! hehehe

Salim disse...

Thanks, JB.

Já agora (e para completar), eu, bem lá no fundo, o que gostaria mesmo é que o AV fosse comentador e não somente apresentador-moderador.

Pronto! Aí está a minha maior crítica: AV devia extravasar o conforto da moderação e participar na linha de frente dos comentários. Hehehe. :-)

Bom fim-de-semana para ti também.

Kuskas disse...

Olá João

acho que é o meu primeiro comentário de 2009.

Ontem assisti o 180º depois de quase 3 meses sem colocar os olhos na TEVEC.

Realmente aquilo esteve muito politicamente correcto, apesar de eu concordar com os dois "analistas" residentes sobre o silencio do Obama.

Quanto ao Emilio ... bem é um gajo que precisas conhecer, mas tendo eu tido a oportunidade de me privar com ele (diabos como adoro esta expressão) digo-te que é um gajo sem papas na lingua,bom na area dele, mas muito, muito, muito EGOCENTRICO.

Abraços

Anónimo disse...

360º passa na CNN com Anderson Cooper(LOL).

P.S. Anónimo sem obrigação

João Branco disse...

Salim, concordo com o teu último comentário

Kuskas, tu concordar com AQUELE silêncio...? Estranho!

Anónimo, é um programa que dá uma volta sem sair do lugar... hehehe

Anónimo disse...

Meus caros:
1. analisam os perfis dos comentadores;
2.discutem sobre se são maleáveis ou não, se aceitam pressão ou nao...
mas o que estranho é que: em momento nenhum debatem as ideias e as posições "politicamnete correctas" dos comentadores que vcs muito critica...o que pensam sobre a crise da Justiça (JB, so nao venhas c a historia do Moeda de novo); o que acham da publicidade em CV; qual a vossa opiniao e o que acham dos ataques de Israel...sem a ladainha de ataque desumano e desigual e necessidade de resposta das NU, mas se for...que resposta, baseado em que? o que acham da crise do gás e que alternativas para essa crise? JB, Salim, etc...tenho visto vossos comentarios nada politicamente correctos nos vossos blogs...e têm sido, "na minha opiniao", ligeiros, inevitavelmente fáceis e de um reaccionarismo pueril...

Luis Fonseca disse...

O Paulino dava um melhor sentido ao programa. Ele faz falta. Há muitos que falam bem dentro da área deles mas, devem ficar mais cometidos em coisas que não sabem. Agora o Edson a dizer que os magistrados deveriam sair na rua para apanhar bandidos ou fazer revistas, onde já se viu isto. Mais, em tudo que diz respeito a Justiça, o próprio Paiva tem mostrado muito fraco e outros, qto muito, reticentes, com destaque negativo para o Edson que apenas deveria falar de PAI e MpD.

João Branco disse...

Anónimo, mas o que está nesta crónica é o quê? Um grande número de posts do Café Margoso fala do quê? Se há assunto que tem sido debatido aqui, são todas essas actualidades, e muitas outras, que nem tem sido afloradas no programa, o que é normal, porque não se pode falar de tudo.

Perfil do quê? Se é jurista ou economista? Se é do PAi ou do MPD? Se é gordo ou magro? Se fala em português ou em crioulo?

Já escrevi o que penso dos ataques de Israel, aliás o Anónimo até classifica esta opiniões de "reaccionarismo pueril"! O Anónimo é que não explica porquê. Eu não posso dizer o mesmo porque não sei o que o caro Anónimo pensa de tudo isso.

Sobre a justiça posso ter muitas opiniões e o Anónimo, se estivesse um pouco atento, saberia que o chamado "episódio Moeda" foi um bom pretexto para se falar disso, e que nessa ocasião se falou do estado da Justiça e da Justiça do Estado muito mais do que se falou do Moeda.

Enfim, um comentário de um Anónimo, incongruente, e que provavelmente revela que ou é um dos comentadores ou amigo próximo de um deles.

Tens aqui um bom espaço e uma excelente ocasião para analisar o perfil dos comentadores do 180º. Seria uma excelente colaboração!

Abraço

Arsénio disse...

Anda ai uns gajos que não precisam aparecer todas as semanas, porque já sabemos antecipadamente o que vão dizer.
Penso que deveria ter mais rotação desses convidados (férias ao Edson).
Mas a qualidade do programa é bom. O AV está de parabéns.

Mário de Palmarejo disse...

JB este anonimo antes do comentador Luis Fonseca deve estar a concorrer para o melhor idiota que já apareceu por cá. Raio do gajo, não acerta nenhuma. Ele que explique o que quer dizer com esta porra toda! Haja respeito o cobardolas. Da forma como te exprimes dá mesmo para ver que consegues opinar sobre alguma coisa. Afasta-te porque não precisamos das mentes como da tua pá. Foda-se! Isto que dá o anonimato em temas que se exige frontalidade e dar cara. todos os que ele critica e menciona os nomes são pessoas que aparecem e dizem o que pensam mesmo colocando em cheque a sua posição. Foda-se de novo. Não te peço para calares este gajo JB porque, viva a liberdade - até da asneira!Mário de Palmarejo.

zelindo disse...

O programa é um bom sinal. De facto, concordo que têm estado mal quanto aos assuntos da Justiça. Mas, nesta matéria temos estado quase todos. O próprio povo deve fazer a sua mea culpa. De resto, não obstante achar o Edson um pouco orgulhoso demais, até gosto de o ouvir. Para mim, o melhor comentador que por lá passou é sem dúvida o Paulino. Equilibrado, imparcial e, no ponto. Gostaria de ouvir a percepção dele, enquanto jovem, e, não por ser da área dele, sobre as questões da Justiça. Pois, que, o Edson e Paiva já conhecemos, «que venham outros subsituir o insubstituivel». Força JB. Há um anónimo desgraçado por aí.

João Branco disse...

Arsénio, também acho um bom programa.

Mário, acho que com essa irreverência darias um bom comentador do 180º... hehehe

Zelindo, obrigado pela participação. Volta sempre.

Ariane Morais-Abreu disse...

Uma questao "politiquement incorrect" cadé de mulheres comentadoras nesta emissao? Nao existem em Cabo Verde ou sao burrinhas dimas para dar cara?!! Ou serao 180° de imparidade?!!

João Branco disse...

Boa pergunta. Abraão, como é? Não há mulheres a comentar no 180º porquê?

zeca disse...

Boa pergunta. Cadé as mulheres?De certo que, quanto as criticas, que concordo, da prestação dos comentadores sobre a justiça que, péssimas mesmo, sublinho o que já foi dito, as mulheres certamente fariam melhor. Quem dúvida? Só se for o anonimo idiota que apareceu hoje por cá. O 180.º é um programa, no minimo, interessante. Mas, aqui, no assunto muito criticado da actuação do programa, o próprio Abrão tem culpa, assumindo-o como um assunto muito delicado e não soube estar na altura da pergunta sobre a eventual saida do magistrado do Sal. Acho que, neste particular, esperava-se mais dele, pelo menos, da sua irreverência. Mas, com delicadezas a mais, seria preciso levar lá mulheres «matchas» para colocar a situação da justiça em dia. Quem sabe, começaria aqui a instigação JB?!Queremos saber o que pensam as nossas meninas das coisas do dia a dia, nesse caso, da situação da Justiça. As mulheres a falarem da Justiça. Será que AV fará isto?

Ariane Morais-Abreu disse...

Pelo que li nos varios blogs cv, as meninas das ilhas também sabem "palavrar", nao sao melhores mas diferentes. O concerto publico seria talvez menos desafinado com as vozes femininas....

Anónimo disse...

Crioulas? Onde estão vcs?

João Branco disse...

Bem, já estou a ver que é preciso promover uma petição para que as crioulas possam ir comentar no 180ºs de AV! Vamos lá, meninas, estão com medo de quê?

beto disse...

Força Lá com as miúdas!

Salim disse...

JB, só uma outra "pequena" adenda para destacar um outro nome (não sei como é que pude esquecer dele): o Alfredo Pereira.

Um jovem extremamente equilibrado e imparcial, absolutamente no ponto, que passou a ser o meu comentador favorito da 2ª vaga.

Há tempos estava até a brincar com o Tide e a dizer-lhe que o AP estava a superá-lo no no rol dos meus favoritos. :-)

Quanto às meninas, acho que a Mirian tinha dado a resposta certa ao AV: não é uma questão de medo, é uma questão de oportunidade.

O facto de que elas podem ir ao 180º, se quiserem (e quando bem entenderem), é tudo o que podemos desejar.

É a mesma coisa quando se fala das mulheres na política. Embora os homens tenham (e queiram manter) a supremacia, não sei se as mulheres devem entrar só para entrar e contrariar isso.

O facto das mulheres "fugirem" da política deve dizer-nos mais do que "têm medo" ou "estão com receio" (e levar-nos a reflectir sobre o porquê).

Talvez, tenham estudado bem a coisa (muito mais do que pensamos) e tenham decidido que não vale a pena, e que há melhores maneiras de contribuir.

Ou seja, nesta matéria das mulheres, o melhor é deixá-las falar elas próprias, para não estarmos a especular (e, quem sabe, a dizer asneiras). ;-)

1 love

João Branco disse...

Salim, ou muito me engano ou as mulheres neste momento estão quase em paridade com os homens no Governo... Não era tempo deste exemplo ser seguido no 180º?

Anónimo disse...

JB porquê desvalorizar o meu comentario se for "um comentador ou muito proximo"?? a minha opiniao vale ou nao se eu for um comentador ou muito proximo de um deles? Estás como a maioria das pessoas cá em CV: as opinioes tem um "label" politico, social, de origem, ou de ambição à partida. Não, as pessoas tem suas posições e elas sao em funçoes de suas. reflexoes, de suas ideias e do que pensam. Mario, tu devias chamar-te "Mario Palhaço do Palmarejo", pelo que tu dizes e pela forma como o tu dizes. E já agora JB, pelo facto de achares que o Mario Palhaço...deveria ser comentador pela irreverencia vê-se logo que tipo de programa vcs ideializam. Só que pelo que pude observar, o 180º não é esse tipo de programa. Já é irreverente pelo formato e pelos comentadores, todos jovens, com ideias, que as assumem e tem coragem de aparecer na tv a falar delas, para que pessoas como nós sentemo-nos tranquilamente a opinar, as vezes em tons desrespeitosos (idiotas, foda-se, porra, etc).
Meus caros, ser-se irreverente não quer dizer ser-se necessariamente anti-sistema, botar tudo abaixo, usar linguagem rasca e a irreverencia nao é so apanagio dos jovens. Aí reside a vossa confusao.
Relativamente à justiça: meus caros, nao me venham dizer que nao sabem que no Brasil, nos EUA, em PT os procuradores saem à rua para efectuar rusgas, prisoes e para coordenar a aplicaçao de medidas de coacçao...e aqui no país nao ha lei que o impeça...informem-se, ou pelo menos nao façam juizos à toa.

Carlos Monteiro

Salim disse...

Precisamente, JB. Porque elas quiseram, e não porque os homens acharam que devia ser assim.

Anónimo disse...

Os meus comentadores favoritos são sem dúvida o Tide, o Paulino e o Fefa Pereira.

O AV devia ser comentador até pq ele por vezes tem uma postura muito light e leviana em relação a determinados assuntos- aliás o programa está estruturado para não se aprofundar nada em especial o que é uma pena- apesar de reconhecer já ter visto algumas boas edições do 180.

João Branco disse...

Carlos, tens toda a razão. Mas o meu comentário foi na mesma onda do teu, com a agravante que eu não sabia com quem estava a falar. Perdes toda a razão que tinhas quando insultas uma pessoa que aqui anda a comentar como tu, só porque pensa de forma diferente. E insultas essa classe profissional nobre e difícil que é a dos palhaços. Ah, se calhar estavas a ser irreverente... Volta sempre, mas tem mais calminha, pode ser?

Salim, há que fazê-las querer...

Anónimo, sem dúvida. Mas a prova de que é um programa seguido com interesse é a participação do pessoal neste post. Eu, se fosse o AV, estaria feliz da vida...

mario de palmarejo disse...

Olha o raio do anónimo de novo. Ouve rapazito, a nossa lei permite e sim que, em casos especiais, nomeadamente em buscas em escritorios de advogados, instituições bancarias que estas sejam presididas por um magistrado. Isto já aconteceu no Sal no caso da Air Luxor, salvo erro pelo Moeda e para apreender qq coisa informatico. Ou seja, são casos que, pela delicadeza, exigem a intervenção de um magistrado encarregue da fase do processo. Em país nenhum do mundo os magistrados fazem revistas nas ruas ou em casa de outras pessoas. Já não chega a PN, PJ, PM e agora vamos ter os raios dos magistrados a nos entrarem em casa? Eles não tem mais nada para fazer? Não lhe cabe validar as apreensões? Ainda as vão fazer tb? Para quê, shou off» para ti que nem tens coragem para escrever o teu nome ou para o Edson? Andas a ver filmes de mais.Lembro-te que o nosso sistema judicial não é igual ao do cowboy G.Bush. Acresce e aparece!

Ariane Morais-Abreu disse...

Agora gostaria saber se algum espiritu avisadu gravou as emissoes, se o produtor arquiva-as, se estao online... porque aqui no além oceano, nao temos a minima ideia do que passa na televisao caboverdiana.

Interessantes as trocas a cerca das meninas!!

C. Barros disse...

As mulheres não estão no 180º pelas mesmas razões que não estão em força na bloga: 1. são mais sensíveis à inveja que inevitavelmente se desperta ao passarem a estar em destaque; 2. não exercitam o raciocínio crítico no dia-a -dia (sejamos francos: a maioria das criolas não seguem as pisadas dos rapazes tendo com as amigas conversas sobre política,economia, etc. Eu só as oiço falar com a amigas das compras que fizeram, da dieta e do ginásio e das desconfianças em relação ao namorado).
3. Algumas que fogem a este figurino, que são opinativas e t~em sentido critico, ou ficam de lado por timidez, ou por terem muitas outras ocupações ou por serem demasiado independentes para entrar no grupismo que sempre existe nestas coisas da bloga e que o 180º repercute.

Sei que vou ser tachado de machista e sabe-se lá o que mais. Ka tem problema.


C.Barros

João Branco disse...

Mario, por acaso o antes-Anónimo desta vez assinou o seu nome e explicou ao que vinha. Tal como disse a ele, também me parece que com o tom demasiado agressivo das tuas intervenções acabas por perder um pouco a razão, mesmo que concorde com quase tudo o que dizes.

Ariane, ainda não chegamos aí. Houve um tempo em que o Telejornal era colocado online, agora nem sei...

C. Barros, ora cá está algo que eu pensava há algum tempo e que servirá para uma pergunta cafeana daqui a uns dias...

Neu Lopes disse...

Lugar tá bom.
Só um reparo... não acredito em anónimos por obrigação. É-se anónimo porque se quer. Senão, é melhor ser o anónimo no sentido real - AQUELE QUE NADA DIZ!!!

João Branco disse...

Deixa lá o nosso RB participar, Neu, que tem dado grande contributo desde que aqui vem comentar!

Mário disse...

Tudo de bom JB, tens razão. Um abraço ao anónimo de toda a maneira. São meras discussões e, empolguei-me. Não lhe quero mal, nem a ele, nem a ninguém. Peace!

João Branco disse...

Abraço, Mário, e volta sempre. Que não seja preciso um novo post do 180º para te ter por aqui!

Mário de Palmarejo disse...

Claro não João. Foi o tema do raio da nossa Justiça que me colocou aqui. Sou um gajo meio detective meu lol. Curto bué umas cenas de segurança e justiça. Apenas não gostei de ouvir os comentadores neste aspecto e o Carlos Monteiro referindo alguns aspectos mas, tudo bem, pagava-te a ti e a ele um cafézito margoso e,lá, a gente virava bons amigos.

João Branco disse...

Está combinado! Carlos ex-Anónimo, alinhas?

Anónimo disse...

ao ver o estilo do mario, prometi nao mais escrever sobre o tema. Até pq nao estou p servir de protector do edson, como alguem aqui quis passar a ideia. Conheço-o sim mas eu quis expor a minha opiniao que nao esta atrelada a partido, maçonaria, amigo ou grupo musical. Nao tenho problema em tomar quantos cafes forem precisos, doces ou margosos...ha quem deva medir o nivel de cafeina que introduz no organismo e nao sou eu. SO para esclarecimento: "...O sistema plasmado na Carta Máxima, de colaboração entre as duas instituições (MP e Polícia), parece-me corretíssimo, pois define a área de iniciativa e controle das investigações policiais e diligências criminais por parte do MP, mas outorga a uma instituição neutra -a serviço do Poder Judiciário, também Poder neutro- a apuração preambular de eventuais delitos, que, na órbita judiciária, caberá ao Ministério Público conduzir. E, por outro lado, ao cidadão, garante o direito de defesa, que é o grande diferencial entre as democracias e as ditaduras, assegurando-lhe o direito de ser acompanhado por seu defensor constitucional, que é o advogado".
Mas poderemos continuar o debate acerca de magistrados acompanharem buscas, apreensoes e aplicaçao de medidas de coaçao.

Carlos Monteiro

Mário disse...

Boa Carlos M, nesta última estiveste bem. Haja espaço para convivios e troca de impressões. Desejo-te o melhor, acredita. Confesso que peguei pesado mas, tudo bem, já me penitenciei por isto. Força lá com as tuas convicções - o facto de teres te mantido elevou-te. Aceito o debate, um dia desses, quem sabe (?).Aquele abraço para JB e CM.

Anónimo disse...

Tenho acompanhado, relutantemente, confesso, visto que este blog, na minha muito pessoal opiniao, nao ser nem de qualquer utilidade nem de opiniao relevante, este debate sobre um programa que acompanho regularmente e por isso vim confirmar as minhas suspeitas.
Neste debatezito,(e digo isto porque sao uns 5 a fazerem comments) muitos foram sensatos a comentar sabendo que o trabalho de uma equipa por muito que seja liderada por uma so pessoa, nunca pode ser avaliada de forma tao leviana e infantil.
JB, tens um blog, parabéns, tens direito total á tua opiniao, disso nao há duvidas, mas quando a tornas publica e a sujeitas a comentarios e opinioes, e expoes terceiros e quartos ás tuas opinioes, há uma grande responsabilidade a comentar o trabalho da muita gente envolvida.
Sejamos responsaveis, e passemos mais tempo a produzir e a trabalhar para que as coisas mudem do que a responder a post comments de 5 em 5 minutos, minha gente...
Querem um 180 graus melhor???
Entao façam um!!!Proponham um á TCV, querem que este melhore, comentem directamente com a produção, enviem sugestões, cartas e mails...mas nao usem o trabalho dos outros para se auto promoverem com opiniões de quinta...
Sr. Carlos Monteiro, parabens pela sua rara sensatez nos seus comentarios,principalmente quando referiu "Meus caros, ser-se irreverente não quer dizer ser-se necessariamente anti-sistema, botar tudo abaixo, usar linguagem rasca e a irreverencia nao é so apanagio dos jovens. Aí reside a vossa confusao."
Nada mais obvio..mas creio que há lições que não chegam com a idade mas sim com a maturidade.
E sim, eu já sei....se acho que este blog é tao merdoso entao porque é que vim pôr este comment...
Nao JB, nao foi de certeza por te achar importante, nem a este blog, mas sim para dar um pequeno e se calhar até desnecessario apoio a quem realmente faz algo da vida, e trabalha para cria uma sociedade com mais opiniao e nao a mandar bocas á toa:Abraao Vicente e toda a sua equipa de comentadores e colaboradores.
Assim despeço-me, deixando um abraço a todos, o trabalho (o verdadeiro) espera-me.
Um bom dia a todos e um excelente ano.
Espero também que o ultimo post de AV vos elucide da real importancia/impacto deste blog (cafemargoso/cafe merdoso...desculpem o mau gosto mas nao resisti á piadinha) e do que realmente esta a ser feito aqui.
Atenciosamente
Maria da Conceição Paiva

Salim disse...

Cara Mária,

Adeus e bom trabalho. Aproveita e envia uma carta de apoio directamente ao AV e sua equipa, porque, de certeza, seria muito mais proveitoso.

Já li o post do Abraão (que está muito bom porque é frontal) e o facto de ele fazer críticas cá para este lado não é nada de outro mundo.

Eu, como um dos comentadores, acho que posso interiorizar aquilo que me pode ser dirigido, tirar as minhas devidas ilações, melhorar naquilo onde posso ter falhado, e dispensar o resto.

Nada de mais. As críticas são para se fazer e se encaixar. Só Deus é que é (seria) perfeito, não erra(ria), e não merece(ria) críticas.

1 love

Tiago disse...

É sempre uma chatice quando o verniz estala...