Cafeína: Obrigadinho!

10 Comments


O Primeiro-Ministro israelita, Olmert, em afirmações ontem à comunicação social, "lamenta a morte de civis", provocados pela operação militar do seu país na faixa de Gaza. Aposto que ele considera também a utilização do termo "massacre" um bocadinho exagerada.

Ah, ok. Obrigadinho.


Fonte: 20 minutos




You may also like

10 comentários:

Lily disse...

Pois claro que consideraria... afinal, em qualquer parte do mundo, o funcionamento e as manobras de distração são sempre as mesmas. O Mugabe também diz que está tudo sobre controlo e que não existe nenhuma epidemia de cólera...
Quando "eles" aprenderem a chamar as coisas pelos nomes, ou forem obrigados a tal, talvez alguma coisa mude. Até lá, continuamos a assistir a estas "pequenas carnificinas", como se fossem uma situções de menor relevo...afinal, foram só mais uns poucos que forma "à vida"...

João Branco disse...

E daqui uns dias já ninguém se lembra disto...

Anónimo disse...

A militarmente desproporcionada invasão de Gaza, os milhares de mortos e de feridos essencialmente civis que provocou (sobretudo crianças), o corropio diplomático que gerou e, agora, este inqualificável lamento, trazem-me à ideia a "Cantiga do Fogo e da Guerra" que diz assim:

"Há um fogo enorme no jardim da guerra
E os homens semeiam fagulhas na terra
Os homens passeiam co´os pés no carvão
que os Deuses acendem luzindo um tição

Pra apagar o fogo vêm embaixadores
trazendo no peito água e extintores
Extinguem as vidas dos que caiem na rede
e dão água aos mortos que já não têm sede

Ao circo da guerra chegam piromagos
abrem grande a boca quando são bem pagos
soltam labaredas pela boca cariada
fogo que não arde nem queima nem nada

Senhores importantes fazem piqueniques
churrascam o frango no ardor dos despiques
Engolem sangria dos sangues fanados
E enxugam os beiços na pele dos queimados

É guerra de trapos no pulmão que cessa
do óleo cansado que arde depressa
Os homens maciços cavam-se por dentro
e o fogo penetra, vai directo ao centro

(composição de Sérgio Godinho, música de José Mário Branco).

a) RB, anónimo por obrigação

ora et labora disse...

sim, bem assinalado!

efectivamente, das duas partes em conflito só uma lamenta as mortes e assume oficial a sua pública expressão !

é relevante sublinhar essa atitude que faz toda a diferença, decisiva se quisermos compreender a realidade e, sobretudo, ajudar à mudança !!!

ManuMoreno disse...

FOI...SERÁ???

Odja minéru na Konakri
SEMPRE ASSIM FOI...

Odja panhador di caju na Sto Mé
SEMPRE ASSIM FOI...

Odja na Guiné simiador de mangui
Sempre assim foi...

Odja plantador di banana na Cabu Verdi
SEMPRE ASSIM FOI...

Odja trabadjador na Angola ta bombia pitroli
SEMPRE ASSIM FOI...

Odja trabadjador ta tra pedra preciosa na Moçambique
SEMPRE ASSIM FOI...

Odja guerra na PALESTINA
SEMPRE ASSIM SERÁ?

Odja corupção na AFRIKA
SEMPRE ASSIM SERÁ?

Navegador Europeu invadi AFRIKA
FLADU MA DJA COLONALIZA!

Pa vida midjor...Afrikanu viaja pa mundu
DJA TCHOMADU DI CLANDESTINU!

PALESTINIANU viaja pa AMERIKA
DJA TCHOMADU DI TERRORISTA...

Ka nu pensa na dividi
No pensa na uni

SEMPRE ASSIM FOI?
SEMPRE ASSIM SERÁ?

Kel abçom
ManuMoreno

João Branco disse...

Rb e Manu Moreno, siga a veia poética! Palestina livre!

Ora, santa ingenuidade...

ora et labora disse...

ah pois é, a realidade é que uns celebram a morte, incluindo a própria, e outros lamentam a morte, incluindo a alheia

custa assim tanto aceitar a realidade?

choca assim tanto com o "partie pris" que seja conveniente recusar a pura realidade?

e há lá melhor que a ingenuidade ?

João Branco disse...

Sim, ora et labora, o PM israelita nem consegue dormir a pensar nas mortes das crianças palestinianas...

ora et labora disse...

que ninguém consiga dormir sem pensar na injusta morte de crianças!

as limitações geográficas são totalmente dispensáveis, à luz de toda a moral...

João Branco disse...

Nem mais!