Declaração Cafeana

8 Comments



A série televisiva 24 horas, que já vai na sua sétima temporada, teve um sucesso estrondoso em todo o mundo e, no que me diz respeito, marcou-me de uma forma positiva e negativa em dois aspectos. Pela positiva, por ter quase que "adivinhado" a possibilidade de ter um afro-americano na Casa Branca, quando na primeira temporada surge com o senador e principal candidato presidencial David Palmer, que na temporada seguinte não só é Presidente, como é um excelente Presidente. A ligação deste personagem com a actualidade é inevitável. Mas a série também marcou negativamente porque de alguma forma funcionou como um instrumento da banalização da tortura, já que o seu personagem principal, o agente Jack Bauer, nunca hesitou em utilizar métodos violentos e coercivos nos seus interrogatórios, secretos e ilegais, por estarem em causa assuntos de "máxima segurança nacional".

Toda a estrutura das várias temporadas, com a psicose do terrorismo e a forma de o combater a dominar os acontecimentos, só teria sido possível com o ambiente, as chantagens, psicoses e legislação criados durante os mandatos de George W. Bush nos Estados Unidos.  Este bem que pode merecer o aplauso da página 7 do jornal A Semana, mas Bush e a sua administração, com o sinistro vice Dick Cheney à cabeça,  foi o principal responsável por muitas das violações dos direitos humanos ocorridas durante os últimos anos, inclusive dentro do seu próprio território nacional. 

Ora, Barack Obama ainda nem teve tempo para aquecer a cadeira da sala oval da Casa Branca mas parece querer dar a volta a esta realidade o mais depressa possível. Senão vejamos o que o novo presidente conseguiu, durante o dia que passou: 

1. Ordenou o encerramento, o mais depressa possível, dos centros de detenção que a CIA mantém actualmente no estrangeiro para os suspeitos de terrorismo;
2. Decretou igualmente que os Estados Unidos da América ajam em conformidade com as convenções de Genebra no modo de actuação para com os prisioneiros de guerra. Essas convenções, e a sua aplicação aos suspeitos de terrorismo, eram contestadas pela Administração Bush. Esta medida é claramente um afastamento das técnicas de interrogatório empregadas até ao momento pela CIA, denunciadas em variadíssimas ocasiões como actos de tortura;
3. Decretou o encerramento do centro de detenção de Guantánamo, Cuba, dentro de um ano, marcando definitivamente uma ruptura com a anterior política de luta antiterrorista de Bush. Obama assinou o decreto que põe fim a Guantánamo na Sala Oval, rodeado de militares na reserva, dando maior simbolismo ao acto. (Fonte: Público)

Está-se mesmo a ver que os homens que inventam os argumentos para séries televisivas como o 24 horas, tem que mudar a direcção das suas bússolas ideológicas. Como está escrito, com uma certa piada, no blogue Notas ao Café, "a Sala Oval tem agora um presidente que faz questão em cumprir promessas. O presidente Obama arrisca-se a criar um grave precedente para todos os políticos, e não só americanos." Estranho não é? Em menos de 24 horas e já anda por aí a cumprir promessas. Apenas um bom começo ou vem mesmo aí uma nova era?



You may also like

8 comentários:

Arsénio disse...

Vem aí uma nova era.

Espero que o Obama, se algum dia, resolver consultar os ex-presidentes para algum conselho, que esqueça que um, o Sr. Bush.
Porque de conselheiro ele, o Bush, não tem nada, até porque nem conselhos ele conseguiu dar a si próprio.

Anónimo disse...

Entrada na área de rompante e numa sucessão de 3 dribles curtos. A ver vamos se a defesa o não derruba antes do disparo final.

Ou, como dizia o outro (há sempre um outro, nera?) que a entradas de leão não se sigam saídas de sendeiro!

a) RB, anónimo por obrigação

José Eduardo Fonseca Soares disse...

A esperança numa nova era continua... à espera de 'virar certeza'!

João Branco disse...

Pelo menos este início fez com que o optimismo se generalizasse! Grande entrada. Mas como diz RB que não seja só fogo de vista...

Anónimo disse...

E dizem que a sala oval não tem cantos precisamente para os Presidentes não andarem " a chorar pelos cantos", pois problema ê tcheu mnis...

João Branco disse...

Chorar pelos cantos numa sala oval... Filosófico!

Anónimo disse...

Acho que estamos a exagerar!

Obama nao é nenhum Santo e tao pouco Deus, se é que esses existem. Alias Deus nao està a conseguir compor este mundo, quanto mais agora OBama. Os politicos e intelectuais que andam por aqui a tecer loas a Obama vao ficar desiludidos dentro de pouco tempo. Sobretudo em Africa que anda a delirar com Obama. Obama é um homem igual a tantos em Cabo Verde. Obama nao é nenhum génio.

E' alguém com um curso superior, mesmo que seja de Harvard, mas nao passa disso. E' alguém que sabe falar, que tem a retorica de comicios, tem um dom da oratoria, mas mais nada. Ha tantos com essas mesmas qualidades mesmo em Cabo Verde! Mas porque ele é americano e porque é quase negro, o pessoal quer identificar-se com ele, sabendo que a América é a maior potência do mundo, logo identificando-se com ele "estou também a ser o maior do mundo".

Conversa minha gente e hao-de ver dentro de pouco tempo. Sejamos mais exigentes, mais rigorosos e deixemos de sonhar. Santo Obama nao vale nem um Sao Tiago quanto mais agora estes santos todos que temos em Cabo Verde, como Sao Vicente, Santo Antao etc e tal. Nao se é melhor porque se nasceu americano! Tenhamos brio na cara.

Obama nao passa de um socialista que vai desiludir muita gente. Ainda por cima um socialista que vive do dinheiro das finanças mundiais que lhe pagaram a vitoria que ele teve nos States. Mais nada!

Alias a propria mulher que é ca um bom pedaço de carne anda de queixo caido pois nao compreende, ela que tem o homem na cama, que o mundo esteja a babar dessa maneira perante Obama.
Obama é um homem normal, gente!

João Branco disse...

:)