Declaração Cafeana

27 Comments


Porquê ter um blogue?

A (minha) resposta, em algumas palavras,

Para estar
Para melhorar(-me)
Para opinar
Para partilhar
Para conhecer
Para ouvir
Para emocionar(-me)
Para aprender
Para juntar
Para declarar
Para perguntar
Para relativizar
Para cronicar
Para desabafar
Para zangar(-me)
Para procurar
Para desaforar
Para legendar
Para construir pontes
Para não calar
Para escrever
Para criticar
Para poetizar
Para intervir

Já pensei em fechar o Café Margoso, em parar, em abrir ou fechar os comentários, em não responder a anónimos malcriados, em não levantar muitas ondas, porque afinal de contas, isto é apenas e só um blogue. Um lugar pessoal, onde recebo amigos, conhecidos e desconhecidos, como nos cafés de antigamente, onde as tertúlias e os debates acompanhavam sempre o café ou o chá, então e quase, meros pretextos. Há momentos em que dou aos blogues uma importância que não tem, mas outros há em que me parece que este têm mais importância do que se quer fazer crer. Seja como for, isso não é o mais importante. Um amigo meu dizia-me há dias que "isto dos blogues é uma pura perda de tempo". Penso nisso, mas tenho presente essa frase de Machado de Assis que partilhei aqui, "palavra puxa palavra, uma ideia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução." E bem que estamos necessitados de uma revoluçãozinha...




You may also like

27 comentários:

lumadian disse...

É isso aí. Nunca desistas enquanto sentires que és útil para alguém, ou que o blog é útil para ti.
Como autor de um blog eu sinto exactamente isso, e sei exactamente tudo o que sentes e a tudo o que te referes. Com o passar do tempo, o blog é um pouco de nós, tem um pouco de nós, e mesmo que haja quem não goste e fale mal, haverá sempre alguém que saberá dar valor e sentirá as tuas palavras dentro de si.
Continua assim!

Carlos Alberto (Kaka) Barboza disse...

Oh João meu amigo
Já reparaste que ponho coisas de xáxa para xatiar. Coisas com pouca importancia aparente, mas ponho. nesta terra de merda uma pessoa não pode ser ela propria, com tudo o que a natureza lhe deu, incluindo as merdices. É pecado, poxa!
Se te dissesse o que anónimos dizem de mim, sobretudo quando "postu" críticas em relação a posturas e comportamentos.
É mesmo de gente reguila que pensa que tem opinião, mas no fundo não tem. Em CV nem é umbigo é CUFUX.
Há quem lhe interessa guitar as falhas dos outros,pois, esses são falhados à nascença, por mais que expirrem orvalho na pétala.
Eh! Pá! Sigue em frente. O blogue é teu e ninguem é obrigado a entrar em palestra que lhe ultrapassa.
A net não é de ninguém quanto mais as palavras que usamos até para as "obescenencias" bem dita e na hora certa.
Ps. Manda-lhes para o Brasil, cidade Puta que Pariu, vidé meu blog)

João Branco disse...

Lumadian, o blogue nunca deixou de ser um pedaço meu, e se calhar isso é que irrita algumas pessoas...

KkBb, não por acaso, uma das palavras chave deste post é RELATIVIZAR. Este texto foi escrito por "desafio" da Nação e eu gosto de desafios. Mas tenho formas de me renovar, permanentemente. As minhas filhas, por exemplo. Basta olhar para elas, e esqueço toda essa mediocridade. Abraço.

Jessica disse...

Tenho uma vontade enorme de ter um blog, para partilhar emoções e a minha leitura do mundo e das coisas.
Mas não tenho a coragem de me expor, principalmente, em CV, em que não se gosta de discutir ideias, projectos e posições. Há muito maldizer e maldicência.
Por ora, reduzo-me a comentar nos blogues alheios.
Um dia encher-me-ei de coragem, até lá procuro saber como se faz um blog. Quem me ajuda?

João Branco disse...

Jessica, eu! É só solicitar.

Anónimo disse...

mas o mundo acontece lá fora, perto, demorado, texturado, com e sem interesse, simples.. não se traduz em palavras... nem se alarga em horizontes numa realidade efémera da tecnologia nética... antes tricotar e beber chá!

João Branco disse...

Anónimo, muito interessante, essa sua observação. Mas diga-me: os jornais, as rádios, a televisão, a literatura, a poesia, a filosofia... tudo isso é feito de quê? De palavras, meu caro. Palavras que traduzem uma ou mais realidades, essas que acontecem "lá fora", que estão perto ou longe, com ou sem interesse, etc. Ao contrário do que insinua ter um blogue não é sinónimo de ser-se alienado. Antes pelo contrário, diria eu. Aquele abraço.

Jessica disse...

João, então diz-me como! Solicito!
Estou prenhe de ideias, de opiniões e de tes...! como as vacas cheias de leite, sabes? Diz-me como!

Acho que me conheces... :)

Anónimo disse...

anónimA, correcção, pois queria dizer minha carA.. ao que comento, sinto muito, mas não tenho nada para dizer. são leituras, apenas interpretações de microcosmos/médio-macrocosmos, que valem o que valem, como as palavras, por isso é que a acção de tradução literária é tão suspeita.. o que é aquele abraço? copy&paste.. sinto muito, nada digo.. pronto, já disse.

Anónimo disse...

Bem dito kaka Barbosa para a Puta que pariu.

João: DON'T GIVE UP...

TCHALE FIGUEIRA

João Branco disse...

Jessica, escreve-me um mail para o cafe-margoso@hotmail.com para eu te adicionar via msn e dar-te todo o apoio necessário.

Anónima, comunicação, sabe o que isso é? Fazemo-lo através de palavras, de olhares, de cheiros. O que queres dizer que a moda da tradução literária? Quererás dizer "tradição" literária? Aquele abraço, é o que quiser que seja, para si, e não para outrem. Pode fazer dele o que quiser, mas aqui não há copy paste, embora até seria justificável no caso presente, já que não lhe conheço o nome, nem a face, nem nada, a não ser, talvez, um certo azedume. Pronto, já disse. (Ah, volte sempre que quiser!)

Tchalé, don't worry. Abraço! (sem copy paste!)

carlos ferreira santos disse...

João,

Blogue é tudo isso que disseste aí. É também uma pura perda de tempo. Mas decidimos perder aqui algum tempo contigo. Uma parte do blog passa a ser nosso, não achas? Se te fecharem o teu café preferido também ficarás chateado, ou não? Então pensa bem. E já te tinha dito que estou a pensar seriamente em fazer um blog. Se fechas o teu, não abrirei o meu, pois este aqui inspira-me... E se fechas, revolucionamo-nos… Por esta não esperavas? Já que me apontas para uma revolução diferente. Mas vamos devagar com revoluções, tenho acreditado cada vez menos nelas, já que acontecem sempre que batemos no fundo e não temos outra alternativa. Se calhar devemos desde agora não deixarmo-nos cair tanto… e como dizia Napoleão: “uma revolução não é mais que uma opinião apoiada por baionetas”, cá pra mim muitas baionetas…

O Blog fica, PONTO FINAL.

ABÇ - KIKO

Anónimo disse...

"João, então diz-me como! Solicito!
Estou prenhe de ideias, de opiniões e de tes...! como as vacas cheias de leite, sabes? Diz-me como!

Acho que me conheces... :)"

Isso é como dizemos: Pikena dja dau moli man!! ahahahah
Há criolas....ami eh dodu na nhos!...
En ca mesti flau nhu branco, mata grande!eheh

João Branco disse...

Kiko, ponto final parágrafo! Aguardo o teu estabelecimento!

Anónimo, bo tem é inveja! Ba ranjá bo blogue, rapaz! hahahaha

Ariane Morais-Abreu disse...

"La caravane passe, les chiens aboient...", é assim desde da noite dos tempos perante os "maloqueiros" ziganos!! Somos todos ziganos.

b disse...

Tudo é pura perda de tempo porque o tempo não se ganha, perde-se conforme passa e sem que volte atrás. Poder ter liberdade de escolha quanto à forma de o passar, é quase um luxo disfarçado de direito adquirido. Um blogue pode ser pouco, ou mesmo nada. Este blogue é muito, de tudo um pouco. É muito Bom!

Quem por cá passa, leva sempre qualquer coisa pelo tempo que por aqui dispensou.

E sabes João, este é o único café que tomo. Um margoso bem saboroso..:-)

Anónimo disse...

Exmo. Senhor
Administrador Executivo do Café Margoso

Caro Senhor:

Afirma V. Exª ter já ponderado encerrar o Estabelecimento de que é Administrador Executivo.

Sucede, porém, que desde o momento em que procedeu à respectiva OPV na Bolsa de Valores, o seu capital social foi disseminado por entre dezenas de investidores, desde os chamados accionistas de referência até outros pequenos investidores como eu próprio.

E se bem que V. Exª tenha mantido 51% daquele capital, a verdade é que, por força da aludida OPV, deixou de poder considerar-se como o único dono deste negócio, quer quando o mesmo obtém excelentes resultados líquidos de exploração, quer quando o seu "cash flow" varia negativamente.

É por isso que, em meu nome pessoal e também sabendo representar muitos dos pequenos investidores do Café Margoso, lhe venho comunicar que não aceito(amos) nem a dissolução da Sociedade Anónima, nem a sua liquidação.

(P.S.) Esta posição accionista irá ser devida e oportunamente transmitida à CMVM.

Com os melhores cumprimentos,

a) RB, accionista anónimo por obrigação

Anónimo disse...

Ariane, resta saber quem são os cães e quem estão na caravana. Os blogueiros ladram, e muito.

João Branco disse...

Ariane, é isso mesmo.

b, gostei muito da mensagem. Obrigado!

RB, hehehe :)

Anónimo, au au!

velu disse...

Perder tempo.......relativo! Muito relativo! Os conceitos diferem de mente para mente e, concerteza que, o Livre Arbitrio é pessoal e intransmissivel! Portanto, João, perder mesmo o tempo, é estar a responder a comentários anónimos com pretensões a engraçados, não achas? Como diz e bem, o RB, isto já não te pertence a 100%,por isso, não podes tomar decisão nenhuma sem consultares toda a assembleias meu Caro!
Abraço (sem copy/paste).

João Branco disse...

De acordo, Velu! (Também sem copy/paste)

b disse...

de nada João, gosto muito do blogue..:-)

Sisi disse...

Bons momentos com o blogue tens todos os dias, desgostos já tivestes muitos,mas o mais importante, e acho que é um facto para aqueles que tem acompanhado o blogue, o margoso já fez e faz toda a DIFERENÇA. Continue sempre assim!!!

Abraço!

João Branco disse...

Sisi, um forte abraço para uma das "clientes" mais leais do Margoso!

m.a.k.t.u.b disse...

Baby nao stresses! E quando te der essa vontade de fechar o Margoso: DEITA-TE !!
Beijo grande.

João Branco disse...

Maktub, retribuo o beijo e as palavras... hehehe

viagensoniricas disse...

Bem dito. O que interessa é comunicar-mos uns com os outros. Pode-se sempre aprender qualquer coisa, mau era se isto não houvesse. A metáfora dos cafés de antigamente diz tudo! :P