Heróis Nacionais 20

14 Comments



Bau
(Instrumentista - Violão e Cavaquinho)


Herdeiro de uma geração de construtores de violões e cavaquinhos, Rufino de Almeida, mais conhecido por Bau, tornou-se num dos mais fantásticos instrumentistas de Cabo Verde, no violão, cavaquinho e também no violino. Ah pois, quando ouço aqueles discos dos grandes guitarristas mundiais, sempre penso: "bem que o Bau poderia tocar com estes tipos". Certamente que há mais e com igual talento. Mas hoje, esta homenagem, é só para ele.




You may also like

14 comentários:

Anónimo disse...

Estranho, estranho, é que um artista com o virtuosismo do Bau não tenha ainda tido projecção internacional.

Se é uma opção pessoal, tudo bem.

De lamentar se tal suceder por a sua humildade obstruir a visão de quem o poderia lançar internacionalmente.

Mas a verdade é que, por razões que talvez valha a pena aqui debater um dia, o facto de se residir em Cabo Verde parece ser o maior obstáculo à intercionalização de qualquer artista, independentemente da respectiva área.

a) RB, anónimo por obrigação

Anónimo disse...

É verdade RB.
Isto de ser ilhéu neste caso é bom e mau - dá talento mas não dá dimensão para se o explorar em termos de carreira e comercialmente..

Catarina disse...

Olha que o Almodóvar, como homem de grande gosto, deu-lhe projecção!

Da minha parte devo a esse senhor a primeira experiência muito marcante em Cabo Verde e que me condenou a esta "paixão" pelas ilhas: um concerto nas areias de Santa Maria no Sal, rodeado por velas e toda a gente sentada na areia. Era a primeira vez em Cabo Verde (1999)... o som dele arrebatou-me completamente!

Lily disse...

Muito talento...
Permita-me João, que subscreva a sua homenagem.
RB, acho o seu comentário muito interessante! A título musical, direccionando para o post de hoje e não extrapolando para outras vertentes artísticas, o que chega, por exemplo, a Portugal é quase produto made out Cabo Verde (assim de repente passaram-me uns tantos nomes pela cabeça...). Será um custo da insularidade, ou algo mais?
Cumprimentos, Lily.

Caboverdiano disse...

RB,concordo com a parte de "o facto de se residir em Cabo Verde parece ser o maior obstáculo à intercionalização de qualquer artista, independentemente da respectiva área"

O ditado diz que "o artista não é reconhecido em casa.."

João Branco disse...

RB, pensei nisso quando estava a escrever este post. Um talento destes era para estar a viajar pelos principais palcos mundiais. Não sei se é opção pessoal.

Anónimo, será Cesária excepção que confirma a regra? Ou falta visão estratégica aos produtores musicais de Cabo Verde?

Catarina, que bela forma de conhecer o país e o músico!

Lily, junta-te sim, porque ele merece.

Lily disse...

O Tcheka pode ser outra excepção...

Manu Moreno disse...

Era só pra homenagear o nosso magico & virtuoso...!!!

Bau
Rapacinho di mindelu
Bau
Instrumentista ilhadu

10 dedu magikus
Ki ta fazi magia
Na 17 trastus
Na 4 korda di metal ó tripa

Sol-sol-si-ré
La-la-dó#-mi
Sol-si-ré-mi
Ré-sol-si-ré

...ui forti melankoliku...
...sta bem afinadu...
...Harmonia finkadu...
...na morabeza ilhadu...

Bu dedilhadu tem melodia
Bu tok tem harmonia
Bu imaginação tem o tokar
Bu filling tem o sentir

Rostu di timido
di mão sensivel
Postura di um bom fidjo
Di talentu poku igual!!!

NO PROTEJI O KI NO TEM MÁS VALIOSU...KI É NÓS CANTICU/TOKADU!!!

Kel abçom di coraçom!!!
ManuMoreno

João Branco disse...

Lily, o Tcheca está apenas a começar, tal como a Mayra Andrade, por exemplo. A Cesária é planetária. O Bau, penso eu, tem potencial para o ser.

José Eduardo Fonseca Soares disse...

Um músico extraordinário, empenhado desde tenra idade quando, depois de 'saber tocar' como todos os outros croulos, ele ter decidido 'estudar'(sim, estudar! aqui mesmo na terra) com afinco os que reconhecia como melhores (Waldir Azevedo à cabeça, na altura, Pat Metheney, e muuuitos outros... e passando de "fontes" em fontes, sempre com seriedade e trabalho afincado (desde as primeiras até às últimas horas do dia) estudando e bebendo em artistas mundiais, ao mesmo tempo que interagia com os melhores locais. Melhor Academia? Mas também é verdade que ele, depois do 'conhecimento de causa' tomou uma opção: não emigrar! De forma consciente. Mas continuando com a mesma entrega! A mesma Paixão! Sem dúvida nenhuma, UM GRANDE DA NOSSA MÚSICA!

pedromadeirapinto disse...

venho atirar mais um elogio para esta homenagem a bau. sem dúvida (para mim) um dos músicos mais talentosos de cabo verde. já tive várias oportunidades de o ver ao vivo, tanto em cabo verde como em portugal, e não me parece que tivesse grandes problemas em se afirmar para além das ilhas. por aqui por terras lusitanas, bau é bastante conhecido, independentemente de ter ou não uma boa máquina promocional na divulgação do seu trabalho.
eu, guardo na memória uma noite no antigo café musique, em que ouvi bau com hernâni. poucas vezes a música (cabo-verdiana ou não) me levou numa viagem para outro lugar qualquer, como me levou nessa noite.
para acabar, o cd que mais ouço com head-phones... o último trabalho de bau com voginha. simplesmente incrível.

abraço joão.

pedro pinto

Ariane Morais-Abreu disse...

O "reclusamento" dos musicos cv é em parte culpa deles porque ja nao têm desculpas mas é também e sobretudo a consequência da estrategia comercial danosa e mafiosa de certos produtores "estrangeirados" que usam e deitam no lixo as potencialidades. O Bau, Albertino e muitos outros pagaram l'addition !! Pas besoin de faire un dessin...

Quanto ao Tcheka nao é excepçao mas uma impostura a mais no nosso panorama musical!! Alguem sabe quem escreve as palavras das suas musicas ? A bonita sobrinha Selma que nunca aparece nos titulos como co-autora. Porque?! Como sei isso? Porque fiz a traduçao dos dialogos da emissao Thalassa consagrada ao Tcheka. A sobrinha estava la com papel e caneta e palavras certas e olho brilhante quando a jornalista perguntou quais eram as letras que ela co-escreveu, respondeu espontaneamente: "todas"!!! O tio nao negou e até acrescentou que ia declara-la co-autora num tom pouco convincente e meio ironico. Entao como se chama isso? E a menina tem uma lindissima voz... Claro que a jornalista francesa cortou estas partes porque a emissao nao estava la para fazer a promoçao das musicas de CV, somente do novo poulin da écurie Lusafrica. Quando as suas letras dizem que "Carnaval de Mindelo é Satanas", como devemos interpretar isso?!!

Anónimo disse...

Pra mim ele e o melhor.
A musica dele traz-me mta paz e harmonia.

Ariane Morais-Abreu disse...

O melhor do Tcheka é a Selma... As imagens dos rushs falaram sem mentir para quem nao se contenta da superficie!