Tertúlia dos Mentirosos 51

7 Comments


        Aos 10 anos todos nos dizem que somos espertos, mas que nos faltam ideias próprias.
        Aos 20 anos dizem que somos muito espertos, mas que não venhamos com ideias.
        Aos 30 anos pensamos que ninguém mais tem ideias.
        Aos 40 achamos que as ideias dos outros são todas nossas.
        Aos 50 pensamos com suficiente sabedoria para já não ter ideias.
        Aos 60 ainda temos ideias mas esquecemos do que estávamos a pensar.
        Aos 70 só pensar já nos faz dormir.
        Aos 80 só pensamos quando dormimos.



Mia Couto, in "Venenos de Deus, Remédios do Diabo"

Imagem: ilustração de Ptite Cocci



You may also like

7 comentários:

Cuca disse...

A ilustração é fantástica.

José Eduardo Fonseca Soares disse...

Sabedoria de vida, e com muito humor... neste bom livro bem ao estilo de Mia Couto. Mas na vida... há que aprender sempre com esse Homem (Darwin) que mudou o mundo, e que é aniversariante, hoje: há-que relativisar, pois tudo é relativo!

João Branco disse...

Cuca, concordo!

Tchá, tudo é relativo? mas quem disse isso não foi Darwin, mas sim Eistein... Terão sido colegas na escola? :)

Anónimo disse...

Oh João, não resisto a fazer uma brincadeira, adaptando este texto do Mia Couto à vida sexual do homem:

Dos 10 aos 15 é Macaco: passa o tempo a descascar bananas
Dos 16 aos 20 é Girafa: só come florzinhas
Dos 21 aos 30 é Abutre: come tudo o que aparece
Dos 31 aos 40 é Águia: escolhe o que vai comer
Dos 41 aos 50 é Papagaio: fala mais do que come
Dos 51 aos 60 é Lobo: persegue o capuchinho e come a avózinha
Dos 61 aos 70 é Cigarra: canta...canta...mas não come nada
Dos 71 aos 80 é Condor: com dor aqui...com dor ali...
Dos 81 em diante é Pombo: só faz porcaria

Hehehehe!

a) RB, anónimo por obrigação

João Branco disse...

(Sonora gargalhada) Humor também é poesia.

Catarina disse...

Bem observado.

Rectificação: O nome do livro é "Venenos de Deus, Remédios do Diabo".

Keep going. O melhor blog da esfera cabo-verdiana.

João Branco disse...

Catarina, está corrigido, obrigado! (Sempre atenta!)