Um Café Curto

7 Comments



Passou mais ou menos despercebido, ou pelo menos foi muito pouco comentada, a mais recente conferência de imprensa do Ministro da Cultura, Manuel Veiga, que anunciou para 2009 o início de projectos "estruturantes" tais como:

1. Museu Nacional, a instalar na Cidade Velha;
2. Museu de Arte Contemporânea, a instalar na Praia;
3. Galeria de Arte / Grande Auditório, a instalar no Mindelo.

Acho fantástico que a ambição ministerial já tenha atingido estes píncaros, mas espero que ninguém me leve a mal se me colocar na posição - cómoda e segura - de S. Tomé, ou seja, ver para crer. Para já, ficam registadas estas medidas para memória futura.



You may also like

7 comentários:

Anónimo disse...

Museu de Arte Comtemporânea?
Para haver um Museu nao será primeiro preciso haver Arte Comtemporânea? História de Arte Comtemporânea em CV? Produçao artística comtemporânea?

José Eduardo Fonseca Soares disse...

A práxis habitual e nacional, ensinou-nos há muito a 'ser' S.Tomé! (Felizmente a esperança continua sempre... lá bem no fundo...)

Anónimo disse...

Galeria de arte institucional, ou seja, a representação (incluindo económica) dos artistas pelo Estado?

Ou mera sala de exposições?

E Museu Nacional do quê?

a) RB, anónimo por obrigação

João Branco disse...

Anónimo, boa pergunta.

Tchá, este então, é, como diria um personagem de Sete Pecados Capitais, "lá no fundjinho do fundjinho"!

velu disse...

Demagogia a quanto obrigas!
Não se trata sequer de ambição João... aí é k reside o problema!
Abraço.

João Branco disse...

É caso para se dizer, "grande lata"?

Ariane Morais-Abreu disse...

Bem meu, o comentario do anonimo RB!!