Cafeína

4 Comments


«Enquanto, submetidos que andamos à monstruosidade, quase não conseguimos levantar os olhos e ver à nossa volta para decidir o que havemos de fazer e como havemos de aplicar o que de melhor existe nas nossas forças e na nossa actividade, e enquanto nos fizer falta o mais elevado dos entusiasmos, que só pode existir se não for de natureza empírica, há-de continuar a haver, não digo dragões, mas pelo menos vermes miseráveis a roer o nosso quotidiano

Johann Wolfgang von Goethe, in «Máximas e Reflexões»




You may also like

4 comentários:

Anónimo disse...

Não simpatizo muito com o Germânico, muito dado às máximas e reflexões e a reflexões máximas, nem sempre muito sensatas, em particular no tocante a pretos e afins. Mas na época dele racismo não era crime, nem sequer era racismo. O que não desculpa o preconceito. Mas sempre há o(s) Fausto(s), o que prva que nem tudo é sempre mau.
Só não entendi essa piada Goetheana, de péssimo gosto diga-se, sobre os "DRAGÕES". Ó João, devias ter mudado a coisa para Águias ou Leões, sempre ficava melhor. Risos!
Ao menos empatamos hoje em Madrid. Valha-nos esta 'mínima' sem qq reflexão.
Ab
Alex/ZC

João Branco disse...

Ele escreve "não digo dragões", porque sabe que esses, são indomáveis! Don't worry! hehehe

Sara disse...

Depois daquela pergunta vale a pena esta citação...faz o resume das respostas...
esses vermes sempre hão de existir..por isso lutar sempre e não desistir.nunca....rebeldes!!!!

João Branco disse...

Nem mais, Sara!