Perguntas Cafeanas

16 Comments



Depois de ouvirmos anunciar pela 47ª vez mais um mega projecto turístico de milhões de dólares com centenas de vilas, hotéis de cinco, seis e até sete estrelas, milhares de camas, vários campos de golfe com muitos buracos, piscina olímpicas, apartamentos, campos de ténis e estádios de futebol, unidades recreativas, ginásios, centros de congressos, marina, restaurantes, que promoverá inevitavelmente centenas de empregos, directos e indirectos, já não seria altura de ficarmos um pouco desconfiados de todo este enredo?


À melhor resposta, ofereço um café



You may also like

16 comentários:

mariahenriques disse...

Bom, desde que não se transforme noutro freeport, porque desses já chega.

Ariane Morais-Abreu disse...

Demais faz mal, muito mal!! em todos os sentidos...

João Branco disse...

Bem, o Freeport existe, não?

Em todos os sentidos!

Anónimo disse...

Empregos mais que a populaçao de Cabo Verde... sem um programa de acolhimento de imigrantes criará problemas ainda maiores... Empregos que pagam nao mais que sete contos que é isto que barmen num hotel de grande nome ganha no sal...

Eles nao querem Caboverdianos, porque dizem que os CV conhecem a lei de trabalho e reclamam demais...

Anónimo disse...

Freeport é mesmo caso da Murdeira anos há atrás...

Anónimo disse...

Tenho a vaga ideia de que a maior parte deles é só treta. Em todos os sentidos...!

a) RB, anónimo por obrigação

Anónimo disse...

este assunto me entristece..

João Branco disse...

Este é um assunto tão sensível que só temos Anónimos a comentá-lo... Palavras para quê? Mas pergunto: do que é que as pessoas tem medo?

Tiago disse...

Desconfiados é pouco, João. Mas, para dizer a verdade, não me entristece nem um pouco que esses projectos totalmente descabidos e megalómanos fiquem em águas de bacalhau, quer dizer, «águas de tubarão», sabemos bem que tem de haver alguém a ganhar, e muito, com os «bonecos» que por aí se fazem... Droga, lavagem de dinheiro? Sim, provavelmente, sei lá, que é que eu sei disso!? Nada! Sei é que quanto mais tempo demorarem a fazer das outras ilhas aquilo que fizeram do Sal e da Boa Vista, melhor!

Anónimo disse...

Jõao, mentalidadi forti!
Forti modal diamanti!

Parabens pa és tema
Ki ta fazem da um dedada
Na demokracia blindadu
Na fidjus corompidu!!!


Pa anonimos:
-stadu ku medu
-di massa spinhu
-Stadu ku medu perdi gran di midju!

É bunitu odja karro di marka
Na strada ta desliza
La dentu di fatu
Director/ministru ó mafiosu

Di Ideia trapadjadu
Di barriga fartu
Ki ka ta pensa na koitadu
Ki dja skeci di sés passadu

Governantis ki ta moraba
La dentu borroncera
Goci na strangeru
Cheiu di sobradu

Di cabeça korompidu
Ki dja bira supranu
Ta brinka ku povu ilhadu
Pa um kinhão, ta inventa prujetu

Barrigas di largaticha fartu
Ki ta kumi pipi.
Bokas di sapu
Ki ta fuma mafia ti spludi.

Dja basta di mintira
Ka nhós ponu na furia
Dja basta di injuria
Sabideza poku pa chefia

Governo ta bem ta bai
Chefia ta bem ta bai
Ilha ta fika
Morabeza é pa blinda!

Kel abçom di coraçom!!
Manumoreno.

gicas disse...

Joao, a propósito do tema, publico o mesmo comentário que publiquei no Bianda.

Há muito tempo, desde que cá cheguei e já lá vao dois anos, que eu tinha levantado estas questoes sociais sobre o turismo de "postais" e resorts de luxo, (mas quem sou eu nao é?. Que legitimidade tinha ou tenho?)

Na altura, e até há bem pouco tempo eu voltei a falar disso na polémica "Barraca". Fui acusada de "denegrir" a imagem do país nos meus comentários, quando a minha única intençao era exactamente essa, de alertar, chamar atençao dos erros graves que se estavam a cometer com um "projecto global de desenvolvimento turistico" que nao comtemplava a comunidade local, nem a sua identidade, nem a sua cultura, nem nada!!!

Mas sim César, há muito que partilho dessa tua visao de um turismo dito sustentado e integrado, onde sejam valorizadas e preservadas todas as questoes ambientais. Onde nao encontre contruçoes sobre as praias e as dunas ou, para mim, o caso mais grave que vi, até foi no Paúl em Santo Antao, um prédio que estava a ser construido sobre as pedras da praia de mar. a dois metros das ondas do mar. E esta nao era a única construçao do tipo naquele local. Mas, mais uma vez quem sou eu, ou "nós"?

Só agora o país despertou?
É um problema que se vem acumulando e (agora) os "opinion maker" despertaram para ele, ou pelo menos, resolveram trazer para a praça pública.
Acho bem, mais vale tarde do que nunca.
Sobretudo, gostava de ver o Maio a ser preservado de raiz.

Na Boavista, o problema é mais grave, nao se corrige somente com a construçao de bairros sociais. Há um problema sociológico e comportamental que exige medidas de integraçao social para crianças e jovens adolescentes (principalmente).

João Branco disse...

Tiago, pelo que está anunciado, dúvido. Mas quem sabe...

ManuMoreno, morabeza é pa blinda! Abração!

Gisela, obrigado pela contribuição ao debate. Mas esta é uma realidade desde há muito comentada e tem sido alvo, de tempos em tempos, de reportagens. Lembro-me, particularmente, de uma grande reportagem publicada em forma de Suplemento pelo jornal A Semana sobre a ilha do Sal, que deixou toda a gente em estado de choque. Hoje, porém, tudo na mesma como a lesma. Ou pior... Os problemas são os mesmos de sempre e estão perfeitamente identificados. Basta ler o conjunto de crónicas deste último blog joint. Dizem basicamente todas o mesmo. A hora é de agir.

Anónimo disse...

Bem... será que algum dos governantes que se converteu em "cicerone d´ baia" para "investidor" acreditou no inglês que lhe foi cantado? Acho que não.

Ariane Morais-Abreu disse...

Manumoreno, gostei do teu poema improvisado, até poderia ser musica de anti campanha.

Ariane Morais-Abreu disse...

Ha 3 anos uma emissao da tv francesa (Thalassa) tb apontou estes graves desvios do turismo cv.

João Branco disse...

Pois é, Ariane, já estamos cansados de saber qual é a doença. O diagnóstico está feito. Falta a cura...