Tertúlia dos Mentirosos 34

3 Comments



O Inferno Cabo-verdiano


Um homem morre e vai para o inferno. Ao chegar lá, ele descobre que há um inferno diferente para cada país e ele decide tentar o menos penoso para passar a sua eternidade. Ele vai ao inferno alemão e pergunta: 'O que fazem aqui?» Disseram-lhe: «Primeiro põem-te numa cadeira electrica por uma hora. Depois põem-te numa cama de pregos por mais uma hora. Por fim o diabo alemão vem com um chicote e chicoteia-te até á noite». O homem não gosta do que ouve e vai tentar a sua sorte num outro inferno. Ele passa pelo inferno dos EUA, da Russia e muitos mais. Todos eles praticam o mesmo que o inferno Alemão. Mas o que fazer então?

Ele continua a andar até que descobre uma grande fila no inferno de Cabo Verde. Muito intrigado, ele pergunta o que fazem nesse inferno. Ao que lhe Respondem: «Primeiro põem-te numa cadeira electrica por uma hora. Depois põem-te numa cama de pregos por mais uma hora. Por fim o diabo caboverdiano vem com um chicote e chicoteia-te até a noite» Ai, mais admirado ainda, o homem pergunta: «Mas e exactamente o mesmo tratamento que fazem nos outros infernos, porque razao entao a fila aqui e tão grande?»

«Porque aqui nunca há electricidade, portanto a cadeira eléctrica não funciona, os pregos foram encomendados e pagos, mas nunca foram fornecidos, portanto a cama é muito confortável. E o diabo cabo-verdiano é trabalhador da funcão pública, por isso vem assina o ponto e depois sai para tratar de assuntos pessoais, portanto nunca está presente para chicotear os mortos.»

E o homem decidiu pôr-se na fila como qualquer crioulo.


Nota cafeana: por acaso, até conhecia esta história, mas foi graças ao Wilson que me cruzei com ela de novo. Tem uma certa lógica. não tem? Entrentanto, se repararmos bem, em quase todas as pinturas que retractam o Inferno, e ao longo da história da Arte, nunca se encontram crioulos por lá. Porque será?! O nosso lugar no Céu já está garantido?





You may also like

3 comentários:

lumadian disse...

adorei esta história.

João Branco disse...

Lumandian, olha que para quem vive aqui não tem muita piada... O que nos salva ainda é um certo sentido de humor senão...

MYA disse...

Crioulo até do Inferno foge.