Romance Fragmentado 09

4 Comments



Levâm ma bô. Foi assim, sem mais nem porquê que ela quase suplicou que ele a levasse dali. Mas porquê, não entendo. Aqui tens paz, tens tempo, tens espaço, tens qualidade de vida. Levâm ma bô. Um abraço mais apertado ainda, uma mão numa perna. Mas tens a certeza que é isso que queres? Aqui tens mar, tens Sol todo o ano, tens razoáveis condições de saúde, tens como educar o teu filho. Levâm ma bô, un ka krê sabê. Desta vez era um aperto urgente, como quem quisesse desnascer, para de novo surgir no mundo dos vivos, mas num outro local qualquer que não esse lugar inóspito, ventoso e sem perspectiva de futuro, para além do facto de saber que num próximo fim-de-semana, aplicará toda a sua arte e sabedoria para tornar-se irresistível, sair à noite como uma sereia de duas pernas, cheirosa, decote saliente e um sorriso que transparecesse uma felicidade que nunca existiu. E à primeira oportunidade, aquele abraço, aquele apelo desesperado. Agora calá boca e levâm ma bô.


Imagem: fotografia de negateven




You may also like

4 comentários:

lumadian disse...

Boa tarde, estive a informar-me acerca de não existir um (1) só cinema em Cabo Verde. tudo isto porque tenho lido aqui neste café que se houvesse um cinema...
Disseram-me que realmente não existe.
Isto para mim é surreal, quando eu como lisboeta que sou, tenho o problema de decidir a qual cinema vou em Lisboa.
Não há nada que se possa fazer? Ninguém toma medidas para alterar a situação?
Cinema também é cultura, também ajuda no desenvolvimento do ser humano.
Isto é surreal!

Margarida disse...

Levam ma bô para a terra dos sonhos... das promessas vãs... dos reinos cor de rosa. E tu irias resistir a um pedido desses?

Margarida disse...

E já agora, vejam aqui esta bela morena a suplicar: Levam ma bô

http://www.lamannade.blogspot.com/

João Branco disse...

Lumadian, um pouco fora do contexto... mas enfim, é essa a nossa realidade!

Margarida, e dito por uma sereia então...