O mundo conforme Casciari

7 Comments



Um texto divertido que me chegou por mail, a que se seguirá uma correspodência para Cabo Verde. É um café delicioso. Disfrutem:

«Li uma vez que a Argentina não é nem melhor, nem pior que a Espanha, só que mais jovem. Gostei dessa teoria e aí inventei um truque para descobrir a idade dos países baseando-me no sistema cão.

Desde meninos nos explicam que para saber se um cão é jovem ou velho, deveríamos multiplicar a sua idade biológica por 7. No caso de países temos que dividir a sua idade histórica por 14 para conhecer a sua correspondência humana.

Confuso? Neste artigo exponho alguns exemplares reveladores.

A Argentina nasceu em 1816, assim sendo, já tem 190 anos. Se dividimos estes anos por 14, a Argentina tem 'humanamente' cerca de 13 anos e meio, ou seja, está na pré-adolescência. É rebelde, masturba-se, não tem memória, responde sem pensar e está cheia de acne.

Quase todos os países da América Latina têm a mesma idade, e como acontece nesses casos, eles formam gangs. Os gangs do Mercosul são formados por quatro adolescentes que tem um conjunto de rock. Ensaiam numa garagem, fazem muito barulho e nunca gravaram um CD.

A Venezuela, que já tem peitinhos, deseja unir-se a eles para fazer coro. Na realidade, como a maioria das meninas da sua idade, quer é sexo, neste caso com o Brasil que tem 14 anos e um membro grande.

O México também é adolescente, mas com ascendente indígena. Por isso, ri pouco e não fuma nem um inofensivo charro, como o resto dos seus amiguinhos. Mastiga coca, e junta-se com os Estados Unidos, um retardado mental de 17 anos, que dedica-se a atacar os meninos famintos de 6 anos noutros continentes.

No outro extremo, está a China milenária. Se dividirmos os seus 1.200 anos por 14 obtemos uma senhora de 85, conservadora, com cheiro a xixi de gato, que passa o dia a comer arroz porque não tem - ainda - dinheiro para comprar uma dentadura postiça.

A China tem um neto de 8 anos, Taiwan, que lhe faz a vida impossível. Está divorciada há algum tempo do Japão, um velho chato, que se juntou às Filipinas, uma jovem louca, que sempre está disposta a qualquer aberração em troca de dinheiro.

Depois, estão os países que são maiores de idade e saem com o BMW do pai. Por exemplo, Austrália e Canadá. Típicos países que cresceram no amparo do pai Inglaterra e da mãe França, tiveram uma educação restrita e antiquada e agora se fingem de loucos. A Austrália é uma palerma de pouco mais de 18 anos, que faz topless e sexo com a África do Sul. O Canadá é um menino gay emancipado, que a qualquer momento pode adoptar o bebé Groenlândia para formar uma dessas famílias alternativas que estão de moda.

A França é uma separada de 36 anos, mais puta que uma galinha, mas muito respeitada no âmbito profissional. Tem um filho de apenas 6 anos: Mónaco, que vai acabar acabar puto ou bailarino... ou ambas coisas. É a amante esporádica da Alemanha, um camionista rico que está casado com Áustria, que sabe que é chifruda, mas que não se importa com isso.

A Itália é viúva há muito tempo. Vive a tomar conta de São Marino e do Vaticano, dois filhos católicos gêmeos idênticos. Esteve casada em segundas núpcias com Alemanha (por pouco tempo e tiveram a Suíça), mas agora não quer saber mais de homens. A Itália gostaria de ser uma mulher como a Bélgica: advogada, executiva independente, que usa calças e fala de política de igual para igual com os homens (A Bélgica também fantasia de vez em quando que sabe preparar esparguete).

A Espanha é a mulher mais linda de Europa (possivelmente a França se iguale a ela, mas perde espontaneidade por usar tanto perfume). É muito tetuda e quase sempre está bêbada. Geralmente deixa-se foder pela Inglaterra e depois a denuncia. A Espanha tem filhos por todas as partes (quase todos de 13 anos), que moram longe. Gosta muito deles, mas a perturbam quando têm fome, passam uma temporada na sua casa e assaltam o seu frigorífico.

Outro que tem filhos espalhados no mundo é a Inglaterra. Sai de barco de noite, transa com alguns palermas e nove meses depois, aparece uma nova ilha em alguma parte do mundo. Mas não fica de mal com ela. Em geral, as ilhas vivem com a mãe, mas é a Inglaterra que as alimenta. A Escócia e a Irlanda, os irmãos de Inglaterra que moram no andar de cima, passam a vida inteira bêbados e nem sequer sabem jogar futebol. São a vergonha da família.

A Suécia e a Noruega são duas lésbicas de quase 40 anos, que estão bem de corpo, apesar da idade, mas não ligam para ninguém. Transam e trabalham, pois são formadas em alguma coisa. Às vezes, fazem trio com a Holanda (quando necessitam marijuana); outras vezes brincam com a Finlândia, que é meio andrógino, de 30 anos, vive só num apartamento sem mobília e passa o tempo a falar ao telemóvel com a Coreia.

A Coreia (a do Sul) vive de olho na sua irmã esquisita. São gémeas, mas a do Norte tomou líquido amniótico quando saiu do útero e ficou estúpida. Passou a infância usando pistolas e agora, que vive só, é capaz de qualquer coisa. Os Estados Unidos, o retardado de 17 anos, vigia-a muito, não por medo, mas porque quer pegar as suas pistolas.

Israel é um intelectual de 62 anos que teve uma vida de merda. Faz alguns anos, Alemanha, o camionista, não a viu e atropelou-a. Desde esse dia, Israel ficou que nem louco. Agora, em vez de ler livros, passa o dia na varanda à pedrada à Palestina, que é uma menina que está a lavar a roupa na casa do lado.

Irão e Iraque eram dois primos de 16 anos que roubavam motos e vendiam as peças, até que um dia roubaram uma peça da moto dos Estados Unidos e acabou o negócio para eles. Agora estão comendo lixo.

O mundo estava bem assim até que, um dia, a Rússia se juntou (sem casar) com a Perestroika e tiveram uma dúzia e meia de filhos. Todos esquisitos, alguns mongolóides, outros esquizofrénicos.

Faz uma semana, e por causa de um conflito com tiros e mortos, os habitantes sérios do mundo, descobriram que existe um país que se chama Kabardino-Balkaria. É um país com bandeira, presidente, hino, flora, fauna... e até gente! Eu fico com medo quando aparecem países de pouca idade, assim de repente. Que saibamos deles por ter ouvido falar e ainda temos que fingir que sabíamos, para não passar por ignorantes.

Mas aí, eu pergunto: por que continuam nascendo países, se os que já existem ainda não funcionam?

Hernán Casciari - escritor e jornalista argentino



Comentário Cafeano: e Cabo Verde? Pelas contas, tem 2 anos e poucos meses, e é filho da mãe Portugal e de pai incógnito, um Reino centenário da costa oeste africana. Só aprendeu andar sem ajudas há pouco tempo. Como todas as crianças desta idade ainda é muito dependente, e precisa de ajuda para sobreviver. Não pára quieto. Esta é uma fase na qual carrega objectos sem perder o equilíbrio e já corre muito bem. Consegue manter a atenção durante mais tempo, ao ouvir uma história, pintar ou ver desenhos animados e o seu personagem preferido é o Super FMI. Ele está a aprender a conviver mas ainda manifesta sentimentos de rivalidade e egoísmo, principalmente com outros países da mesma idade. Com esta idade, fala já pelos cotovelos, começando a ter um domínio da língua, mas ainda está longe de saber escrever.

Que tal? Outras sugestões?




You may also like

7 comentários:

Gilia disse...

Tchiiii, publicamos a mesma coisa :)

Em relação à sugestão, bem... Estamos na creche, e como tal de vez em quando precisa de uma fralda, e de umas chamadas de atenção. Em relação à lingua, já fala bem para vai na volta troca os c pelos K e não só. O Professoa ALUPEC insiste mas não é desta que convence.

Beijinhos

Sisi disse...

Excelente...uma perspectiva realmente incrível.Acho que ñ deixaste muita coisa para dizer João, mas diria tb que é uma idade de muita teimosia.

João Branco disse...

Hehe, Gi, possivelmente recebemos o mesmo mail... Mas ka tem problema... o texto é genial mesmo!

Sisi, sem dúvida!

Alex SilFonSoares disse...

O texto nao deixa de ser particularmente interessante, apesar de nao concordar em alguns aspectos... e nao concordando com o que se diz de alguns paises dos quais sei algum backgroud, historia e contexto, logo, fico com a ideia de que, nos outros pode nao estar tao correcto tb. Mas o que salta mais à vista é sem duvida Israel... Israel nºao pode ter 62 anos, mormente ser mais velho que a palestina, para isso teria que ter-se em conta o antigo lar de Judeus nessa àrea, quanto muito teria-se entao que dizer que Esse pseudo-intelectual Israel esteve em coma por inumeros anos, e acordou tao mal humorado por ter encontrado a Jovem Palestina a lhe ocupar a casa...
Mas para nao correr o risco de originar nenhum acidente diplomatico restringirei-me apenas à nossa criancinha de 2 anos... Our beloved CV... Que segundo Freud o desenvolvimento da personalidade de uma criança está inseparavelmente ligada à concepção de Freud de aparelho psíquico e do seu funcionamento — funcionamento normal e sobretudo patológico, e do seu desenvolvimento no tempo ao nível do indivíduo e também ao nível da espécie. Nesta perspectiva, Freud encontra duas premissas essenciais à Psicanálise, isto é, dá como adquirido a existência de um inconsciente e de uma sexualidade. Baseado nestas premissas elaborou então três períodos, subdivididos em cinco estádios de desenvolvimento psico- sexual. 1º período ( 0-5 anos) ● Fase oral (0-2 anos) ● Fase anal (2-3 anos) ● Fase fálica (3-5 anos) 2º período (6-13 anos) ● Fase de latência 3º período (13-... anos) ● Fase genital... isso quer dizer que recentemente saimos da fase oral, onde a maior das nossas preocupaçoes era sem duvida a riola, as bocas dos nossos vizinhos e do meio onde inserimos... E à mais ou menos uns 5 anitos, quando o Tio Sam (que nesta satira é uma adolescente, chamamemos entao de tia sanita) resolveu enviarnos umas crias de piolhos alegando que os pais destes teriam sido passados do couro cabeludo da nossa criança Cabo Verde para a adolescente Tia Sanita. Aí apos esse envio de repatriados entramos para a faze anal... onde esta já está na moda o Kasu Bodi, cagamos merda para satisfazer o FMI, preocupamo-nos mais com a economia macro que com a micro, mas ainda bem que apareceram umas fraldas da marca MCA (money com aldrabices) para ajudar a limpar o que no teatro é uma palavra boa. Em relaçao à nossa filiaçao somos filhos duma senhora branca que se chama Tugalia que fugia sempre da casa grande para ir satisfazer as suas necessidades sexuais sordidas com os negroes da cenzala. E o resultado é pior que nao saibamos quem é o nosso pai, o espermatozoide que cortou a fita era feito dum mix sem precedentes, pois dos 4 bilioes genes que compoe o genoma desse espermatozoide recebeu uns tantos milhoes de cada um desses paises negros, sendo todos eles o nosso pai e nenhum deles ao mesmo tempo...

Giovanni Bianco,
Viajei mais do que pude escrever.. Alexandre SilFonSoares

João Branco disse...

Hehehe Só bô, Tey! Dava para escrever uma peça de teatro rimada, ou não?

Neu Lopes disse...

Está tudo interessante. A viajar todo o mundo está. Só espero que com as influências e uma confluência de bons e maus conselhos, principalmente a nível cultural que entram nos ouvidos dessa criança Cabo Verde não a transformem numa criança problemática, para mais tarde ser um adolescente com crise de identidade.

João Branco disse...

Sem dúvida, Neu! Hehehe Bem apanhôde!