As Três Electras

16 Comments


Electra, Deusa Grega que simboliza o amor passional pelos pais. Uma espécie de complexo de Édipo, no feminino. Segundo reza a lenda, amargurada e impulsiva, Electra, levada mais pela fúria do que pela maldade, induziu seu irmão Orestes a assassinar sua mãe, vingando a morte de seu pai. No seu tempo, não existia a Playboy.

Electra, Deusa Americana, simboliza o triunfo do silicone e da arte de moldar um corpo de mulher, embora como sabemos, a idade não perdoa, por muito que se tente encontrar o elixir da juventude, como se pode ver pela barriguinha saliente que já não consegue ser disfarçada. Idolatrada principalmente por humanos do sexo masculino, foi uma das mais bem sucedidas colehinhas da Playboy.

Electra, Deusa Cabo-verdiana, simboliza a escuridão e uma das virtudes mais importantes do ser humano: a paciência. Com esta Deusa, amargurada e impulsiva tal como a sua congénere Grega, nunca se sabe o que se pode esperar. Os seus súbitos já programaram a sua morte por diversas vezes, mas ela regressa sempre, mais poderosa e apagada do que nunca. Já recusou vários convites para posar nua na Playboy, porque diz que ninguém a entende nem consegue ver a sua verdadeira essência.




You may also like

16 comentários:

MYA disse...

ELECTRA cabo verdiana é entao Tipo lampada fundida !!!
Foste tu que escolheste a foto. Desculpa lá !

João Branco disse...

Olha que é mesmo. Acho que não entendeste a ironia da coisa. Electra é o nome da nossa empresa de electricidade... (para mal dos nossos pecados!)

Virgílio Brandão disse...

João,
bem panhôde!

Ah, nada de pensar noutras coisas, não... Se bem que a Electra, com ou sem barriguinha, é iluminada por Vénus. E eu, sou «humano, demasiado humano», como diria o demolidor de deuses.

Abraço fraterno

João Branco disse...

Virgilio! Tenho que confessar que foi um post teu sobre a(s) Electra(s) que me inspirou!

Abraço

Johnny disse...

No ponto,... nada mais há a acrescentar...

Johnny disse...

...ups. "No ponto" referindo a ironia, claro!

Abraço

João Branco disse...

Eu entendi, Jonhy! Abraço!

Jonas disse...

Se a Electra tem barriga vou ali e já volto. Olhó grau de exigência pessoal!

João Branco disse...

Bem visto, Jonas, mas eu tinha que botar algum defeito à menina, senão ainda vinham práqui dizer que fiz este post só para poder colocar o (faustoso) decote da Electra Americana na porta do Café Margoso! Hehehe

Anónimo disse...

moral da estória, electra faz "estragos" algo onde quer que vá..
petição online para mudar de nome o ECV?!

MYA disse...

Entendi lindamente. Nao entendi a analogia às Cabo Verdianas.
nao correu la muito bem.

Sereias Fundidas ??
E depois es muito viajado. As consultas de oftalmologia estão em dia ou nem por isso ?

João Branco disse...

Mya, com esta nossa Electra não há qualquer analogia com cabo-verdianas, podes ter certeza. Hoje estás um pouco lenta, não?! Hehehe

Sisi disse...

Nem mais...ideia nota 1000!!!

E assim caminha a nossa electricidade...em passos da deusa electra e sem vontade.

MYA disse...

Nao tou nao.
Ve o seguimento da apresentaçao do teu blog. Eu ainda estou um bocadinho por dentro da "vivencia Verdiana", agora para quem nao está, vê bem que conclusoes pode tirar.
Tu nao estas a fazer um blog que é consultado so por Kauberdianos.Hum, ó troll.
Depois a lenta sou eu.

João Branco disse...

Mya, como se pode ver pelo coment da Sisi, há certos post que são assim, como dizer, uma espécie de «private joke» entre crioulos. Esta é uma dessas ocasiões. Se houver não nacionais que fiquem confundidos, paciência!

Dundu disse...

Até que pode-se dizer que a Electra com seus apagões, promove um pouco o romantismo (casais jantam em casa à luz de velas; namorados passeam à luz do luar)
Porem, o outro lado da moeda é atroz. O preço a pagar é muito alto (casas são roubadas à luz das velas; namorados são assaltados - caçubodiadus - ao luar)

Resumidamente, aqui em Cabo Verde uma luz ao fundo do túnel é o trem vindo no sentido contrário.

Es muele o quieres maz