Café Solidário

5 Comments

Diariamente, mulheres e meninas são ameaçadas, agredidas, violentadas, mutiladas e assassinadas em todo o mundo. Na maioria das vezes essas agressões partem dos maridos, padrastos, pais e ex-companheiros, e acontecem dentro de casa. Ainda recentemente soubemos que em alguns bairros críticos da cidade de São Filipe, na ilha do Fogo, 43% das mulheres admitem que são agredidas (notícia aqui).

Seria importante fazer um estudo sério em Cabo Verde sobre esta matéria. Acredito que os resultados seriam «supreendentes» (as aspas estão aqui, porque todos sabemos que acontece, mas preferimos assobiar para o lado), e talvez aí pudessemos desenterrar a cabeça da areia e tratar o caso como ele merece ser tratado: séria e impiedosamente.

Esta é, pois, uma causa que abraço, sem pestanejar...






Para saber mais: aqui




You may also like

5 comentários:

Anónimo disse...

Quais estudos, Joao???

Os estudos já existem!!!
Falta é actuaçao por parte das autoridades e, pior que tudo, sao as próprias mulheres que acabam por desculpar e serem cuniventes por causa dos filhos, dos vizinhos, das colegas e até por cobardia!

Essa é a verdade.
1º as mulheres têm que dar queixa para que o sistema funcione (se ele depois é eficaz ou nao, é outra história).

2º As autoridades têm depois de punir seriamente esses infractores (para nao dizer outro nome...)

3º AS instituiçoes de apoio nesta matéria precisam de planos mais eficazes. Para tirar estas mulheres e crianças da violência a que estao sujeitas, é preciso centros de acolhimento sustentáveis com capacidade de geraçao de rendimentos próprios através de serviços prestados, como lavandaria, limpezas, produçao agricola, confecçao de pastelaria entre outras coisas.

3º Nao te esqueças que também há muitos homens que sao mal tratados. Em menor número, é certo. Mas há que fazer funcionar a equidade do genero para ambas as partes.

Um abraço pouco margoso.

João Branco disse...

Anónimo, em primeiro lugar obrigado pelas informações. Bem, se há estudos são muito pouco divulgados. Ou então, sou eu que ando muito distraído...

Abraço

Anónimo disse...

não sei se é boa ideia fazer o estudo,

não vá algumas das inquiridas voltar a apanhar em casa por causa de ter respondido..

:)

Carolina disse...

Ao longo da última semana, o Brasil acompanhou o drama de duas garotas… Eloá e Naiara. Essas adolescentes estiveram durante toda a semana sob a mira do revólver de um outro jovem, Lindemberg. O rapaz, de 22 anos, tinha sido namorado de Eloá. Na segunda-feira, dia 13 de outubro, Lindemberg invadiu o pequeno apartamento da ex-namorada e fez Eloá e Naiara suas reféns. Durante 100 horas, a polícia negociou; pediu que Lindemberg se entregasse, mas os diálogos não obtiveram êxito. O desfecho foi trágico. Eloá morreu e, por um milagre, Naiara escapou – mesmo tendo recebido um tiro no rosto. Além de ser uma violência contra a mulher, foi uma violência contra o menor e um alerta para todos nós. É realmente preciso que se abrace a causa, e que esse abraço seja de mais de 2 segundos! hahaha Abraços.

João Branco disse...

Uma história de arrepiar...