Piada Margosa

6 Comments


«Embora aceite as medidas em socorro da Electra, o FMI recomenda que a prática de subsídios do Estado à economia não se deve generalizar.»

Semana online, após visita da missão do FMI a Cabo Verde


Ah Ah Ah!


Como se no país de onde são originários esses senhores que querem mandar no mundo, não tivesse sido aprovada uma injecção no valor de centenas de milhões de dólares do Estado, para salvar o sistema financeiro e a própria economia. Pois, pois.




You may also like

6 comentários:

Anónimo disse...

João,

Centenas de milhões não... SETECENTOS BILHÕES de dólares, mas do que o custo financeiro, até agora, da guerra no Iraque no tesouro norte-americano.

Ou seja, cada cidadão dos Estados Unidos vai contribuir, em média, com 2.330 dólares (quase 200 contos) para salvar o cu dos que lhes tentaram roubar.

Jeff

João Branco disse...

Excelente comment, Jeff. E querem esses mesmo senhores ensinar como Governar Cabo Verde?

Anónimo disse...

Para quem não entendeu ou não sabe bem o que é ou gerou a crise americana, segue um breve relato económico para qualquer leigo entender... É assim:

O Ti Joaquim tem uma tasca, na Vila Carrapato, e decide que vai vender copos "fiados"aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todos desempregados. Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose do tintol e da branquinha (a diferença é o sobre preço que os pinguços pagam pelo crédito).

O gerente do banco do Ti Joaquim, um ousado administrador formado em curso muito reconhecido, decide que o livrinho das dívidas da tasca constitui, afinal, um activo recebível, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento, tendo o "fiado" dos pinguços como garantia.
Uns seis zécutivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, UTI, OVNI, SOS ou qualquer outro acrónimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.

Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capitais e conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastro inicial todo mundo desconhece (os tais livrinhos das dívidas do Ti Joaquim).

Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.

Até que alguém descobre que os bêbados da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas, e a tasca do Ti Joaquim vai à falência. E toda a cadeia sifu...deu.

Viu... é muito simples...!!!

Ana

João Branco disse...

Ana, essa vale um post próprio! hehehe

Anónimo disse...

João, o FMI é uma organização internacional de 185 estados membros. Foi criada para promover a cooperação monetária internacional, a estabilidade nas transacções e etc. Assim sendo, estes senhores do FMI não são originários de um país: dos EUA! É que o teu post transmite essa ideia! E mais, os seus 24 Directores são indicados ou eleitos pelos países membros.
Ana

João Branco disse...

Ana isso é tudo muito bonitim, mas quem é ingénuo ao ponto de não saber que tudo isso é dominado pelos interesses económicos dos EUA?