Perguntas Cafeanas

8 Comments



Será assim tão difícil de entender o porquê da taxa de ocupação dos hoteis este ano em Cabo Verde ter sido 25% menor que o ano passado?


À melhor resposta, ofereço um café




You may also like

8 comentários:

João Branco disse...

Vão ao blogue Ku Frontalidade. Está lá (quase) tudo. Abraço. JB

Anónimo disse...

Bem, eu (felizmente) não contriubui para essa descida. =P

(Consiência tranquila..!)

João Branco disse...

Temos aqui um turista acidental?

Tide disse...

n achei estranho. Acho perfeitamente natural que isso aconteça. O que está a acontecer é grave. Cabo Verde não consegue fidelizar visitantes e estes chegam cá a sonhar com um CV q não existe. Claro está que não voltam. Além de tudo viajar para cá é luxo, com a crise internacional e continua desvalorização do Dolar e mesmo da subida da inflação que é que pode vir de férias a CV. Nem os mílionários, esses podem pagar, mas tb hão de exigir o que nós ainda não sabemos oferecer. QUALIDADE DE SERVIÇOS PRECISA-SE URGENTE!!!!


Boa JB

João Branco disse...

Tide. A tua resposta está muito clara e acertada. Mas se nós sabemos disso, porque raio é que os principais interessados, o Governo e os donos do negócio, não fazem nada para alterar esta triste realidade?

Tide disse...

sinceramente desconheço o porquê da paralisia do sistema. Todo mundo sabe que vamos mal, mas continua tudo na mesma. Podiam começar por baixar as tarifas aéreas, mas aí do jeito q as coisas vão com a subida dos preços do petróleo e eterna crise de gestão dos TACV, duvido que irão mexer por aí.

De outro lado o produto turístico está mal pensado e mal vendido. O potencial existe e ninguém parece duvidar. O que é duvidoso é que se consiga posicionar Cabo Verde no mapa dos destinos turísticos num formato competitivo. E aí não estou a falar do turismo de massa que aí não temos capacidade, mas que possamos ser destino de determinado tipo de turismo ajustado aos interesses nacionais.

Djan odja Ku Frontalidade. Fixi, bom dika

João Branco disse...

Tide, o meu medo é que quando acordarmos, já estarmos transformados numa espécie de Canárias de segunda...

Tide disse...

alguém comentou lá no Ku Frontalidade que o Sal já é um caso atípico do resto de Cabo Verde. Eu não consigo discordar e sentir que lá já é uma espécie de terra de ninguém onde há recantos que ainda é CV.
Espero que o Sal seja um modelo de como não fazer. Que seja um laboratório de aprendizagem para um novo modelo de turismo para as ilhas. Infelizmente parece q tão a levar a mesma formula para a BV. Sad about this!!!