Um Café Cheio de Milagres

3 Comments


A propósito da última Declaração Cafeana, cá vai.

História 01: 

"Michelle Frehel de Paris - França, era uma senhora saudável e com uma vida comum a tantas outras mulheres, mas uma fatalidade bateu-lhe à porta: foi-lhe diagnosticado cancro no sangue, fazendo com que os glóbulos brancos e verme-lhos fossem eliminados do seu corpo. (...) Não vendo solução, nem sequer na medicina, foi à Igreja Maná de Paris pedir ajuda, pois tinha ouvido o que acontecia nesta Igreja: as pessoas são curadas de várias enfermidades pelo poder de Deus que se manifesta na Igreja. O Pastor da Igreja aconselhou Michelle a ler o livro "Cura Divina" do Apóstolo Jorge Tadeu (traduzido para francês) para que ela soubesse qual a vontade de Deus, qual o príncipio da Fé e como podia receber a sua cura. Assim, Michelle leu o livro e na semana seguinte foi à igreja ao evento "Encontro com Deus" mas não para pedir oração e sim para receber, tal como ensinava o livro. Michelle ficou completamente curada.

Comentário: está encontrada a cura do cancro que mata milhares de pessoas todos os anos e ninguém sabia!


História 02:

"Catarina Alverca é directora da Promodel, uma agência de modelos e actores. Foi no ano de 1997 que Catarina iniciou o seu negócio juntamente com a sócia. Mas há 3 anos, tudo mudou. (...) Ao frequentar as reuniões da Igreja Maná, aprendeu que podia dar o dízimo do seu negócio, coisa que nunca tinha feito antes. “Eu não dou apenas para receber. Dou com muito amor e dou numa igreja que ensina a Bíblia e onde a unção e o poder de Deus são reais”, afirma Catarina, que actualmente vê o seu negócio crescer como nunca. Desde que começou a praticar o dízimo, Catarina e a sua sócia têm desenvolvido um trabalho repleto de novas ideias criativas que têm dado bastante resultado. 

Comentário: Está encontrada a solução para a crise económica que deixa no desemprego e na maior miséria biliões de pessoas em todo o mundo e ninguém sabia!


História 03:

"O filho de Ana Lúcia de Moçambique, foi atropelado por um autocarro. Mais tarde ele começou a vomitar e a ficar sem forças.  No Hospital, Ana assistiu às reuniões da Igreja pelo canal ManáSat e também ligou para o SOS Maná, onde os pastores da Igreja oraram pelo seu filho. Mais tarde ao fazer um TAC, os exames não acusaram nada. O seu filho ficou completamente curado e as manchas que ele tinha na cara por causa do acidente desapareceram. Hoje é muito saudável."

Comentário: os hospitais de todo o planeta deviam ser obrigados a ter estes canais de televisão ligados, assim se poupariam vidas que ninguém sabia poderem ser assim poupadas! E dinheiro dos contribuintes tão mal gasto...


História 04:

"O Sílvio começou a emagrecer muito, não tinha apetite, não tinha força muscular, chegou a pesar 55kg, fez exames e o pior dos resultados chegou, Sílvio estava infectado com o vírus da sida. A sua vida estava um caos até ao dia que assis u a um programa de Televisão da Igreja Maná. Quando Sílvio assis u ao programa “Esta é a Hora” ele conheceu a verdade, e ouviu falar de Cura Divina, que Deus queria curá-lo. Ouvindo muitas vezes a mensagem de Cura Divina, ganhou Fé, e hoje está completamente curado."

Comentário: qual retrovirais qual quê? Gastaram-se milhões de vidas e de recursos de forma impune, quando a cura estava assim à mão de semear. E ninguém sabia!


História 05: 

"Miriam desejava muito ter um filho, mas quando fez testes médicos, foi verificado que ela era estéril. Tentou engravidar durante 12 anos mas sem êxito. Depois de todas as suas esperanças estarem apagadas e após ter recorrido a toda a ajuda médica possível, Miriam começou a frequentar a Igreja Maná e aprendeu sobre o poder da oração no evento Encontro com Deus, todos os domingos. Não só aprendeu a receber a sua cura, mas também orou pela sua irmã que era igualmente estéril. Deus ouviu as orações de Miriam e o seu desejo foi cumprido. Ela teve um menino e a sua irmã teve gémeos."

Comentário: quem terá sido o responsável por esta (santa) gravidez? Afinal, há cura para a infertilidade e ninguém sabia!


Comentário final: depois de reler este post, por questões de aplicação de uma auto-sustentabilidade deste e de outros espaços públicos, sugiro o aluguer dos espaços culturais do arquipélago, por exemplo, às seguintes Igrejas: 

Igreja Evangélica Abominação à Vida Torta
Associasção Evangélica Fiel Até Debaixo dágua
Igreja Pentescostal Jesus Vem, Você Fica
Igreja Maradoniana

Ah, e porque não o Auditório Nacional para a Igreja Universal? Há que lutar contra a discriminação. Afinal de contas, os problemas da humanidade estão resolvidos e ao alcance de todos (e de todas as carteiras!). Peço, pois, desculpa a quem se sentiu ofendido pelo facto de ter ficado indignado por estas e outras histórias serem contadas no espaço nobre e público do Centro Cultural do Mindelo.  Afinal de contas, os contadores de histórias sempre fizeram parte da nossa tradição oral. Tudo a ver, portanto.

 


You may also like

3 comentários:

Tey Alexandre disse...

João... repito... Jooooaaão... Melhor ainda caro João...

Considero-me tão ateu... que eu acho que para ser mais ateu do que eu sou, tinha que ser duas pessoas... mas... a tua postura em relação a toda esta temática, obriga-me a, primeiramente, tecer algumas linhas em sentido oposto ao teu e posteriormente sintonizar-me com o teu objectivo.

Para mim, qualquer religião, é estupidamente igual às outras, o que realmente conta, é o que está dentro de cada ser. E em nada faz a diferença a tabua de valores/codigo de posturas de cada religiao/culto. A diferença existe na fé que cada pessoa deposita nas suas crenças.
E eu, mesmo sendo céptico até dizer chega, acredito veemente, que, que o poder da mente (pode-se ler religião neste caso) é o que, de facto faz toda a diferença. A esperança e o acreditar, têm um poder, que ainda não se pode medir com ferramentas científicas, infelizmente. Em nada importa, qual seja a religião ou culto, importa sim, até que ponto o mesmo convenceu-te dos seus poderes. E quanto mais acreditas, piamente, mais poderes tem a tua fé. EU... Talvez infelizmente, não acredito em nada, apenas acredito que quem acredita, pode curar tudo pelo simples facto de acreditar.

Este "coment" em tudo me está a soar a estranho...porra, EU, a comentar pró-religião? Nunca pensei que fosse possível, mas... a própria ciência já documentou este fenómeno que estou a tentar te retratar. Quando se está a testar um novo medicamento, dentro do universo dos cobaias humanos, existe sempre uma percentagem que não recebe o tal medicamento, mas sim o que se chama de placebo. Placebo é nada mais nada menos do que... NADA, conjunto vazio em forma de comprimido. Mas a cobaia não sabe se faz parte da percentagem que não recebe o tal medicamento em teste, mas sim muitas vezes, pensa que, o tal novo e "revolucionário" medicamento é a cura para o mal de que padece, chegando até a curar-se.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Placebo

É nesse sentido que eu respeito, o poder dessas "religioes" que tanto desrespeitas neste post. E que para mim, em nada são merecedoras de grande respeito, essas Igrejas que têm NIF, e em nada diferem de empresas que procuram o lucro, jogam e brincam com algo tão poderoso e sagrado como a fé humana, abusando dos mais inocentes

Eu julgo que a religião teve um papel essencial na evolução das sociedades humanas. Papel esse que, cada vez mais, vai perdendo protagonismo até ao dia que cair em total desuso. Mas da mesma maneira que haverá sempre a necessidade de haver programas contra o analfabetismo nas camadas adultas, haverá também, a necessidade de haver estas "muletas religiosas" para os sofredores humanos.

E achando eu, não ter sido o suficientemente claro (no post sobre o uso de espaços públicos para cultos) , reitero agora a minha opinião, achando que é prefeitissimamente legitimo que essa fasquia da população, que insiste em acreditar em tais crenças, possam usufruir desses mesmos bens comuns que são, os patrimónios do Estado/Municipio. A mim me fere bem mais, o mau uso dos mesmos(outros neste caso como escola da musica, academia de musica, etc...) que a maior parte do tempo estão fechados, sendo os principais usufruidores dos espaços os guardas que recebem para preservar esses espaços e os usam no seu bel-prazer.

Acho que desde que paguem o aluger desses espaços, e em nada prejudiquem o uso dos mesmos para caracteres culturais, são bem-vindos. Imagina tu... Giovani Bianco, que a gerencia do EdenPark, se tinha permitido essa flexibilidade, tornando esse espaço que agora está hermeticamente fechado, para alugar em diferentes horas a varias igrejas tornando toda existencia de cinema um projecto viavel... bem... talvez ainda vivessemos numa ilha que ainda tem cinema...

A gerencia do CCM, desde que entrou, sem duvida que trouxe novidades e sempre procurou manter o mesmo nivel, acho eu... claro que se fosse eu que tivesse lá a mandar poderia fazer MUITO MUITO MELHOR... mas uma coisa é achar isso e outra é, efectivamente estar lá, e tentar FAZER AS COISAS ACONTECEREM.

Penso que todos esses, chamados espaços culturais em Cabo Verde, estão pornograficamente subutilizados, esses patrimonios pertencem ao nosso povo e eles precisam de mais flexibilidade e menos burocracia para o uso dos mesmos. Ponto final... é para mim tão claro e tão simples que o resto é... paisagem pop...

zito azevedo disse...

Eu creio que é um grande equívoco tentar branquear estas coisas...Não estamos a falar de fé, mas sim da sua exploração e, portanto, de casos de polícia, já que a lei pune o furto, em todas as suas formas!
Zito Azevedo

João Branco disse...

Zito, é isso mesmo. É isso mesmo.