Café Retrovexo

6 Comments


Afinal:


Barack Obama voltou atrás na decisão e retomou os julgamentos militares para alguns detidos da prisão de Guantánamo. Durante a campanha eleitoral, Obama declarou que os processos judiciais eram "um erro enorme". No entanto, garante uma melhoria dos direitos legais dos que enfrentam acusações. "Não serão permitidos provas obtidas através de interrogatórios cruéis, desumanos ou degradantes", salientou. Actualmente, 240 suspeitos de terrorismo estão presos na base militar norte-americana no sul de Cuba, que Obama prometeu encerrar até Janeiro de 2010. A suspensão dos julgamentos de Guantánamo foi uma das primeiras ordens assinadas pelo ex-senador do Illinois assim que chegou à Casa Branca, em Janeiro. O regresso à prática está a ser duramente criticado por grupos de defesa dos direitos humanos.

Shame on you, Mr. Obama


Fonte: Diário I




You may also like

6 comentários:

Tchale Figueira disse...

Eu bem vos avisei!!!!!

Amílcar Tavares disse...

Grave erro.

Ele tenta recuperar um sistema de comissões militares que falhou. É uma medida perigosa e um passo para trás nas reformas que se esperam dele e que prometeu:

A transparencia é uma delas.

Talvez quer acalmar os conservadores que o atacam por supostamente ser leve nas questões de segurança.

Sem sucesso.

João Branco disse...

Pois é, um péssimo sinal. Péssimo mesmo.

Anónimo disse...

"(..)julgamentos militares para alguns detidos". Desde quando julgar terrorista é péssimo?

Redy Wilson Lima disse...

Recomendo the obama deception. Não passa de uma teoria de conspiração, mas a verdade é que os argumentos estão muito bem sustentados, e muitas das últimas decisões de Obama foram previstas e explicadas nesse documentário. Quanto ao resto, é ver os outros pontos de vista, acreditar ou não nelas, e acima de tudo esperar para ver o que será daqui para a frente.
Procura o documentário no Salim.

zito azevedo disse...

Será, apenas, mais do mesmo, ou o reflexo de um sistema, de um tipo de democracia demasiado rebuscado,
demasiado sinuoso, demasiado parecido com a mulher de César?
Zito Azevedo