Café Cinematográfico

2 Comments


Tem estado a decorrer no Centro Cultural Português, na Praia e no Mindelo, um ciclo de documentários que não pára de nos surpreender. Devo dizer aliás, que cada vez mais sou adepto da linguagem do cinema documental e tenho visto grandes obras de arte neste formato que em nada desmerece o cinema tradicional, e por isso tem conseguido ocupar o seu lugar, cada vez com maior destaque. Prova disso são os inúmeros festivais do género e o facto de alguns documentários fazerem carreira comercial nas salas de cinema, alguns deles com grande sucessso. O exemplo mais paradigmático é o Fahrenheit 9/11, do americano Michael Moore. Mas há mais.

Ora este ciclo designado Maio.Doc, e que passou a ser este ano uma extensão do DocLisboa, tem trazido excelentes surpresas a Cabo Verde, entre eles o "Ruas da Amargura" de Rui Simões (filme extraordinário sobre os sem-abrigos de Lisboa) ou "Gravura, uma Mútua Aprendizagem" de Jorge Silva Melo (sobre a arte da gravura, muito interessante principalmente para quem se interessa por arte e história de arte). Já agora, integrar filmes documentais cabo-verdianos, sempre que possível, talvez não fosse uma má ideia.

O ciclo está a decorrer e assim será até ao final do mês. A entrada é sempre livre e as sessões nos respectivos centros culturais acontecem ao final da tarde. É só informarem-se do programa e aparecerem. Vale a pena.




You may also like

2 comentários:

Anónimo disse...

E só agora avisas!!! Se bo ka kris pam bai, bo tava continuá calod...
:-)...

Tey

João Branco disse...

Saiu em todos os jornais e nos sítios de informação. Tens que andar mais atento. Seja como for, ainda tens muitos filmes para ver. Abraço!