Café Cinematográfico

6 Comments



No tempo em que não existiam tantos canais de televisão, havia só duas formas de ver bons filmes: indo ao cinema ou alugando um filme num clube de vídeo. Como no meu tempo de estudante não tinha dinheiro nem para uma coisa nem para outra, optava por uma terceira alternativa: no percurso da escola para casa havia um pequeno centro comercial. Dentro do centro comercial estava um clube de video. Esse clube de video tinha uma pequena televisão, voltada para a montra e o funcionário do mesmo, que era um gajo com um bom gosto cinematográfico acima da média, nunca deixava a televisão parada. Resultado: cheguei a ver filmes inteiros assim, com o nariz colado numa montra de um clube de vídeo.

A experiência mais extraordinária foi o visionamento, com a tenra idade de 15 anos, do filme "O Carteiro Toca Sempre Duas Vezes", com um competente Jack Nicholson e uma tórrida Jessica Lange. O filme conta uma história passada nos 30, num posto de gasolina à beira da estrada, Nick Papadakis (John Colicos), um grego que é o dono do estabelecimento, emprega Frank Chambers (Jack Nicholson), um viajante. Em pouco tempo Cora Papadakis (Jessica Lange), a mulher dele, está a ter um obsessivo e apaixonado caso com Frank. Logo o casal de amantes conclui que a única forma de ficarem juntos e ter todo o dinheiro que ambos querem ter é assassinar Nick. 

Um filme com uma carga erótica acima da média e uma das cenas mais quentes da história do cinema. Sabem daquele clássico de deitar as coisas da mesa da cozinha no chão e fazer "a coisa" acontecer ali mesmo? Pois bem, foi neste filme que tudo começou!







You may also like

6 comentários:

Tchale Figueira disse...

Nicolson é...

Anónimo disse...

A "coisa"?

A queca, com farinha e tudo...!

a) RB, anónimo por obrigação

João Branco disse...

É isso mesmo, RB.

Anónimo disse...

HEhehehe, eu sempre quis fazer as coisas acontecerem, ali mesmo...no Parlamento! Mas olha, é apenas mais um fetiche, que ficará sempre sendo um ....fetiche...mas se eu pudesse..

JonDays disse...

Oh JB ! Com quinze anos moravas ainda neste belo rectângulo à beira-mar plantado... onde era esse tal video-clube ? Se é que se pode saber...

abraço

João Branco disse...

Oh JT, ficava entre o Liceu Infante e a Rotunda da Boavista, num pequeno centro comercial em frente da Pastelaria Petunia (do outro lado da rua)... Nem sei se ainda existe.