Poema Cafeano

3 Comments



          Sim, sei bem
          Que nunca serei alguém.
          Sei de sobra
          Que nunca terei uma obra.
          Sei, enfim,
          Que nunca saberei de mim.

          Sim, mas agora,
          Enquanto dura esta hora,
          Este luar, estes ramos,
          Esta paz em que estamos,
          Deixem-me crer
          O que nunca poderei ser.

          Fernando Pessoa



You may also like

3 comentários:

Anónimo disse...

Provavelmente, o melhor poeta de todos os tempos!

Pimintinha

Lily disse...

Fernando Pessoa...a special one!!!
Pimentinha, não diria melhor! ;)

Carla disse...

Olá João
a minha mensagem não tem nada ver com o post. mas permita-me divulgar aqui o número disponibilizado pela Cruz Vermelha para apoiar os desalojados no HAITI. o número fixo é 646 4040 ou então por sms 4040.
o dinheiro será enviado depois para a federação internacional da cruz vermelha