Café Concerto

10 Comments



No próximo dia 22 de Janeiro a Rua de Lisboa vai juntar num concerto comemorativo do dia do Município de S. Vicente nada mais nada menos que Boy Ge Mendes, Sara Tavares, Nancy Vieira e Paulo Flores. Sublinho o primeiro nome, compositor que comemora 40 anos de carreira e é, na minha opinião pessoal, um dos mais brilhantes músicos cabo-verdianos, criador de uma sonoridade única e original.

Bem que este seria um caso para dizer sabe pa fronta!, mas contando todos os gastos desta festa, acho que preferia ver esta verba ser aplicada numa entrada financeira da Câmara para a aquisição do Éden Park. E no dia da abertura do novo teatro municipal, convidavam-se estes e muitos outros músicos para a celebração do salvamento, in extremis, de um património cultural de inestimável valor para todos os mindelenses e cabo-verdianos. Aposto que nem cobravam cachet.

(A propósito, a petição já vai em 894 assinaturas. Seria interessante chegar ao milhar. O link está na coluna à direita.)

Nota Margosa: entretanto, soube hoje (dia 18 de Janeiro) que Sara Tavares, por motivos profissionais, não vai poder estar presente no concerto que comemora os 40 anos de carreira de Boy Ge Mendes. Uma pena.



You may also like

10 comentários:

Mic Dax (francês) disse...

O nhô Jon bô t'fazê d'pé buse né dvera? Bô ta provoca-s, ês ta revoltia!.. :)
Tra dnher dum evento gratis e popular pa investi num teatro mais elitista, ês ta sacob. Um Eden Park renovod ta fca mais elitista, ma tud boa vontade do mundo. Tonte vêz bô t'inchi Eden Park ma qel malta q'ta ba na rua d'Lisboa: 7-8-9 vêz? 10-11-12? 12 noites ma artistas sem cobra cachê, hôôô q'sabe!

JB disse...

Elitista? Mas porque raio há-de ser elitista? Pre-con-cei-to... (eu entendi o comentário, só não concordo com ele...!)

Mic Dax (francês) disse...

O nhô Jon, dxam tchmobe atençon, as vêz bô é bastante insultante : bô btam ess coisa d'preconceito moda se m'tava cofondi cultura e elitismo, as vês bo tem ess dfeite caricatura gente e simplifica sês palavra, um dfeite que, a final, ta insulta bô inteligencia.

Tem elitismo, sim. Involontario d'certeza, ma na mesma. Ja so pa qel stora d'spaço: se bô ta dcidi organiza evento num lugar onde 300-400 psoas podê entra, invêz dum lugar onde 2000 psoas ta fca dscansode, é bastante razoavel pensa qma é elitismo, não?

E dsculpam, ma ha pouco tempo (http://cafemargoso.blogspot.com/2009/04/declaracao-cafeana_14.html), bô tava queixa d'berulho d'povo pa qel concerto de Tito Paris na rua d'Lisboa, e bo tava concorda naqel idea d'po gente paga pa responsabiliza publico.

M'tem pa mi q'talvês bô ingana um czim. Mindel ta mextê ess concert na rua de Lisboa sima Mindelo ta mextê d'Eden Park ou qualquer ote lugar similar. Bô ca tem q'opostas pa vida cultura, rua de Lisboa e Eden Park ta bai cumpanher. Qond é queston d'orçamente e d'recursos, tra home bedje pa psti home novo tem sês limite e sês perigo.

C'amizade.

Anónimo disse...

Acho absurdo que a câmara de Sao vicente, ponha a dispor do carnaval, 7 mil contos para gastos. Entrem na pagina da camara e vejam a noticia das bolsas e apoio aos estudantes carenciados, que a câmara vai por à disposição. SIMPLESMENTE ABSURDO.

Lily disse...

Será que uma coisa tem que ver com a outra? Ou isso é uma definição de prioridades, na sua perspectiva?
(sempre achei que era Boy Ge Mendes...ou Bo Ge Mendes é como se diz oralmente?)

JB disse...

Definição de prioridades, sem desprimor pelos envolvidos, naturalmente. E quanto ao nome, tens razão: é Boy Ge Mendes! Obrigado pela correcção.

Abraço fraterno

Anónimo disse...

Definitivamente, acho que é uma definição de prioridades...Há pobreza em São Vicente...uma pobreza, a que alguns chamam de crise e que a crise "se combate com festa e optimismo", Sim a presidente da camara disse isso, vejam no expresso das ilhas. Digam isso à minha mãe e às outras mães de São Vicente, para não lutarem, afinal vem ai uma festa que vai acabar com a crise. Por favor, saiam da morada e façam uma volta pela periferia, a pobreza vos assustará , com certeza. Por isso que normalmente quem manda, nunca cai nas graças do povo...dinheiro em fogo de artificio, dinheiro para o carnaval, dinheiro para a festa do municipio...Sabiam que há alunos a pagar pelo menos 15 contos por mês para terem acesso à educação...E sim, estou com o João Branco, podíamos investir este dinheiro no Eden Park, por exemplo.

JB disse...

Anónimo, nem de propósito: acabou de sair no jornal A Semana online uma matéria que noticia que a Câmara Municipal de S. Vicente apoia, no presente ano lectivo, nada mais nada menos do que 1640 alunos, do ensino básico ao superior.

É importante criticar quando se acha que algo está mal, mas também é de bom tom aplaudir medidas como esta.

Conferir aqui:

http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article49049&ak=1

Abraço fraterno

Mic Dax (francês) disse...

Um czim surrealista, ess conversa.

Imagina Camara ta compra Eden Park : qês escola ta abaixa qês 15 contos por mês?

"Depois de uma semana terrível para a cidade da Praia, com os cidadãos em choque por causa de violentos episódios ocorridos nos dias anteriores, quero apenas dizer isto, mesmo que possa parecer uma redundância sem qualquer significado: a arte é, cada vez mais, o caminho e alimento para a construção de um mundo diferente, desenvolvido, sem a violência e o terror que, tantas vezes, a própria natureza humana impõem a si mesmo."
(João Branco, 10 de janeiro)
(http://cafemargoso.blogspot.com/2010/01/declaracao-cafeana_10.html)

Musica ca é arte?
Boy Gé ca é artista? Tem diferença?

Psoas ta curti musica na bar Blue Note, ote psoas ta prefiri rua d'Lisboa. Dinamica é igual.

Na Blue Note (Praia) ou na Porto Grande (Mindel), né tud gente q't'entra, então ainda bem q'tem Camara Municipal pa proposta musica de graça. M't'otcha stronhe q'gente sinti coragem pa cuspi ness iniciativa: d'certeza, é gente q'tem possibilidade pa ouvi boa musica rafinod tud ora...

Ma m'ta repiti pa evita mau entendido: uma coisa ca tem nada a ver ma ote, m'ta concorda pa protegi Eden Park.

Anónimo disse...

Caro João

Foi exactamente com base, nesta noticia, que deixei o meu comentário. Eu gostaria de saber, tendo em conta a pobreza com o qual convivo e observo todos os dias, a diferença entre os contemplados e os que foram excluídos do concurso. Claro que estou contente com a iniciativa da câmara em apoiar alunos carenciados. Mas caramba (sorry), o investimento em educação ser igual a um dia de festa. Isso é que me irrita...