Um Café Curto

1 Comments


Notícia da A Semana online:

O actor Jorge Martins lamentou a ausência do Ministério da Cultura nas comemorações dos 25 anos de existência do Juventude em Marcha, o primeiro grupo teatral a comemorar bodas de prata em Cabo Verde desde a independência. Jorge Martins afirma que esperava mais atenção da parte do Ministério para com o grupo, tendo em conta que a ideia da adaptação da obra de Manuel Lopes partiu do próprio ministro Manuel Veiga.

“A adaptação da obra ‘Chuva Braba’, de Manuel Lopes, foi um desafio que o Ministro da Cultura lançou ao grupo, no ano passado, aquando da sua visita ao concelho do Porto Novo e que nós, prontamente, aceitamos. Mas no dia da estreia da peça o Ministro não esteve presente e nem sequer se fez representar”, realça Martins.


Comentário Cafeano: Oh Jorge, não te amofines. Deve andar tudo nos gabinetes do MC muito atarefado com a preparação do famoso Plano Estratégico da Cultura, stressados com o contador do Bianda, que não pára de descer, aconteça o que acontecer. Faz lá as contas: quando vocês começaram esta aventura, ainda era no tempo do partido único. Entretanto, tivemos ene MC's e vocês continuam, de pedra e cal. Portanto, tudo na mesma, como a lesma. E já agora, venham mais 25 (anos, não MC's). Aquele abraço!

Fotografia de João Barbosa, peça "Preto no Branco"


You may also like

1 comentário:

Adriano Reis disse...

João, Um País identifica-se pela sua cultura, é deverás vergonhoso estes representantes dessa identidade cultural!

Fala-se mal do Socrátes por causa do tão famoso magalhões, pelo menos acompanhou o nosso 1º ministro a ópera crioula no CCB.

Aproveito para dar os parabéns ao grupo e desejando-lhes mais 25 anos.