Perguntas Cafeanas

14 Comments



Pode-se falar verdade a mentir?

À melhor resposta, ofereço um café




You may also like

14 comentários:

Anónimo disse...

Claro que sim.

Até porque,

"Para a mentira ser segura,
E atingir profundidade
Tem que trazer à mistura
Qualquer coisa de verdade"

(António Aleixo)

Mas também porque aquilo que para ti é uma mentira, para mim pode ser a mais absoluta das verdades.

Como disse Júlio Dantas, "Ai quem me dera uma feliz mentira
que fosse uma verdade para mim!"

a) RB, anónimo por obrigação

p.s.: "Falar verdade a mentir" de Almeida Garret?

Kuskas disse...

Essa é um pouco complicada
João...:)

As maiores verdades que já me foram ditas, foram através de mentiras. Mais concretamente, foram ditas através de omissões.
Omissão para mim é supressão da verdade, logo uma espécie de mentira.

Será que me fiz entender ou está confuso???? ahahahahahah

Abraço

Manu Moreno disse...

A verdade é o caminho
Certo, sem videntes
i nem professores

A verdade vale tesouro...
...A mentira na minha poesia
É desprezada.

kel abçom di kuraçom
ManuMoreno

jandir soares disse...

dito muitas vezes uma mentira q se torna verdade...

kuka disse...

A meu ver,pode-se sim.Agora depende das pessoas em questão e da maneira como se quer que essa mentira(que tem como refúgio a verdade)atinja a pessoa.Existem aquelas mentiras que por vezes se contam a amigos e que na sua forma têm verdades que doutra maneira seria dificil ouvirem.É um exemplo apenas.beijinho

Anónimo disse...

João,

Como diz uma das minhas citações preferidas (proferida por mim mesmo!...), só quem no fundo sabe a verdade pode mentir do fundo do coração...

mas não precisas postar! É só me dar o café, se assim merecer...

Abraço,
Jeff

João Branco disse...

RB, nem mais, a inspiração foi essa!

Kuskas, completamente confuso no entanto esclarecido! hahahaha

Manu, e quando o poeta diz que "finge tão completamente que chega a fingir que é dor,a dor que deveras sente"? (Fernando Pessoa)

Jandir, essa é especialidade de CV!

Kuka, :) e um beijo.

Djeff, para teres direito ao café tem que ser público! Aqui não segredos... só meias-verdades. hehehe

Manu Moreno disse...

Disto não chamo mentira Djonsa, mas sim INVERDADE.

A inverdade
Seduz a minha alma limpia
Incrivelmente incendeia a minha realidade
Faz-me fluir i chegar ao fingidor poeta

Pensamentos proibidas
Palavras depuradoras
doce i emocionada
É amor?
É prazer?
Não!...é mergulho do vicio
Em mar di suor
Na rocha negra di calor
Que mente em forma di grito.

Kel abçom di kuraçom!
ManuMoreno

argumentonio disse...

pois parece-me bem que não!
mentir é mentir e não há verdade na mentira!!
a mentira pode é ser piedosa (compreensível, justificada, legítima) ou mesmo virtuosa - para alcançar finalidade valorosa e meritória... mas continua a ser mentira e não verdade!!!
porém, por vezes, senão as mais das vezes, entre a mentira e a verdade tanto dá: quando em pleno florescer do romance se diz "amo-te" pode não ser verdade nem mentira e um sentimento belo estar prestes a nascer, em construção a que a verdade e a mentira são alheias
assim o canto dos pássaros ou o assobio (sim, de Onjaki) do feitiço humano e divino tem que ser verdade ou mentira? acaso dói à lua iluminar a escura noite? acaso dói à flor desabrochar?
acaso é verdade ou mentira o sol nascer a oriente?
abraço verdadeiro e virtual de parabéns pela bela e desafiante pergunta, adorei o margoso café
;->>>

Lily disse...

Também se diz: " com a verdade me enganas...". Complexo...
Pode falar-se uma meia verdade, ou meia mentira, para se dizer uma verdade difícil...
Mas no fundo, verdade, é verdade e mentira, é mentira...
Já agora, deixava aqui um "desafio" ao João Branco e, naturalmente, restantes leitores:
De que cor é a verdade e de que cor é a mentira?

(pergunta inspirada na música "Pequenas Verdades", Marisa com Concha Buika, uma verdadeira preciosidade.)

João Branco disse...

Manu, inverdade... termo perigoso!

Argumentonio, excelente, mas ficamos com pouca margem de manobra...

Lily, difícil o teu desafio. Há cores nas palavras que se dizem verdadeiras ou falsas?

Lily disse...

Para mim sim... Desde que li Cesário Verde que acho que se pode pintar com palavras... Mas, veja bem, eu, com grande infelicidade, não tenho jeito para a pintura... De qualquer forma, e de um modo simplório e tosco, considero que:
A verdade é branca
A mentira é castanho-arroxeada
A omissão é preta

Disse-me uma amiga, essa sim, muito entendida profissionalmente nas dimensões da cor, que:
- "A verdade é incolor, se for 100% pura e transparente.
- A verdade, na boca de líderes religiosos e de adolescentes, é cor-de-burro-quando-foge. É mesmo muito, muito escorregadia.
- A verdade, na boca de políticos, é cor de camaleão. Adapta-se ao que for mais vantajoso.
- A mentira pode variar entre azulado, esverdeado, acizentado ou avermelhado, dependendo do grau /extensão da infecção (podendo, nalguns casos, chegar mesmo a gangrenar). Por algum motivo a minha avó diz que “a mentira tem pé podre”."

Achei a resposta tão boa, que tive de partilhar!

João Branco disse...

Muito bom, Lily, obrigado pela partilha!

Manu Moreno disse...

Fantastico Lily....bela explicação!!

Kel abço kerido!!!
ManuMoreno