Cafeína

4 Comments


«Cada ser humano atinge o seu apogeu de maneira diferente, num dado momento. Uma vez alcançado esse ponto alto, é sempre a descer. Fatal como o destino. E o pior é que ninguém sabe onde é que se situa o seu próprio auge. A linha divisória pode desenhar-se de repente, quando uma pessoa pensa que ainda estava a pisar terreno seguro. Ninguém tem maneira de saber. Alguns atingem esse pico aos doze anos, e depois espera-os uma vida perfeitamente monótona e sem chama. Outros continuam sempre em ascensão até à morte; outros morrem no seu máximo esplendor. Muitos poetas e compositores vivem em estado de permanente arrebatamento e estão mortos quando chegam aos trinta anos. Depois há aqueles, como é o caso de Picasso, que aos oitenta e muitos anos ainda pintava quadros cheios de vigor e teve uma morte tranquila, sem saber o que era o declínio.»

Haruki Murakami, in «Dança, Dança, Dança




You may also like

4 comentários:

Felina disse...

... e não esquecer o Manuel de Oliveira que depois dos 100 ainda tem projectos para concretizar

Tchale Figueira disse...

Para mim caro João o segredo desta dinamica e juventude está na paixão com que fazemos as coisas.

UM HOMEM COMEÇA A FICAR VELHO NÃO POR TER RUGAS NA CARA, MAS SIM QUANDO COMEÇA A TER RUGAS NO CORAÇÃO. TCHALE

João Branco disse...

Sem dúvida, Felina!

Cá para mim as rugas são sinal de sabedoria. Importante é nunca desistir.

Margarida Az disse...

Mesmo que não desistir signifique resistir.