Crónica Desaforada

5 Comments




Uma nova utilidade para Guantánamo

1. Gosto daquela famosa frase de Vinicius, que nos diz que a beleza é fundamental, mas há certas alturas que nos parecem querer convencer de que esta - a beleza - e a massa cinzenta são, à partida, incompatíveis. 

2. Certamente que não penso assim. Nem preciso ir muito longe: as minhas duas filhas são do mais lindo que há e tem inteligência para dar e vender, portanto não é por aí que vou. Vou por outro lado.

3. O certo é que quando se vêm ou lêem as declarações que as candidatas dos concursos de beleza feminina (mais conhecidos por misses - miss isto, miss aquilo), são obrigadas a dizer, sempre com muito custo, como se para falar fosse necessário fazer um esforço maior do que se estivessem cinco horas no ginásio, penso sempre que aquelas carinhas e aqueles corpinhos são um autêntico desperdício, porque a beleza da mulher é muito mais bela quando é inteligente e perspicaz. Às vezes parece que as escolhem a dedo, porra! 

4. Por essas e por outras detesto esses concursos de misses onde o físico das mulheres é sobrevalorizado na proporção inversa da inteligência das mesmas e lá somos obrigados a ouvir as mesmas banalidades de sempre, tipo tenho-muita-pena-dos-pobrezinhos-a-sida-e-tal-e-se-mandasse-queria-paz-no-mundo. 

5. Aqui no Mindelo há concursos desses a mais. E pior, para todas as idades. Choca-me, sinceramente, quando vejo as chamadas minimisses, com crianças de 4, 5 ou 6 anos já armadas em rainhas de passarelas, pousando em trajes menores, muitas das quais não tem a mínima vontade de ali estar, sendo pressionadas pelos pais para darem o seu show e levarem a taça para casa. 

6. Chamem-me pudico ou o que quiserem, mas esta é daquelas questões em que farei teimoso finca pé com as minhas filhas. Por enquanto que dependerem de mim não entram nessa da competição de corpos e vaidades. Pior do que isso, só mesmo se chegassem a casa a anunciar que eram adeptas do Benfica. Felizmente, esse é um mal que já está afastado, até porque, convenhamos, ninguém merece!

7. Vem isto a propósito da última das burrices publicitadas a uma miss, desta feita uma miss planetária, porque falamos de Dayana Mendoza, a actual Miss Universo de 2008, venezuelana, que foi a Guantánamo, Cuba, numa visita organizada a 27 de Março para levantar o moral das tropas americanas. “Foi muuuito divertido”, escreveu a miss num post do seu blogue. 

8. “Nem queria vir embora, é um local tão relaxante, tão calmo e tão lindo”.  Reparem na descrição: relaxante, calmo e lindo. Acompanhada de Crystle Stewar (Miss EUA), Dayana visitou as instalações da prisão mais polémica do mundo, onde os Estados Unidos detêm, de forma ilegal, mais de 240 prisioneiros.

9. Quando aquele lugar deixar de ser uma prisão onde os Estados Unidos prendem gente sem critérios e sem julgamentos, não se podia aproveitar aquelas instalações para lá colocar estas mulheres a quem por vezes parece que foi aplicada uma lobotomia? Está bem, radical demais, mas perguntar não ofende.


Mindelo, 01 de Abril de 2009





You may also like

5 comentários:

Amílcar Tavares disse...

Coitadinha...

Ah! O Chávez também não deverá ter gostado.

Anónimo disse...

Ou: como a indústria das "misses" se apraz com a indústria da guerra!

a) RB, anónimo por obrigação

João Branco disse...

Será, Amilcar, será?

Pois, RB...

Sisi disse...

Falou e disse João!!! Eu também partilho da mesma opinião. Hoje em dia a aparência está acima de tudo, e preocupam-se cada vez menos com o cultivo da inteligência, que já foi mais do que provado que não é apenas uma herança genética.
E para além disso, o problema está no tipo de beleza que hoje em dia é publicitado, uma beleza anorética, que muitas vidas tem tirado.

João Branco disse...

Pois é, Sisi, e se há mulheres às quais acho muito pouca piada são as que desfilam nas passareles internacionais. Magras demais e sempre muito mal dispostas!