Tertúlia dos Mentirosos 62

7 Comments



Solte-me, por favor

Uma história contada por quem a testemunhou e que é hoje aqui publicada por inspiração deste post do Bianda

Numa bela noite estrelada, na pacata ilha das dunas - antes, muito antes daquele território se ter transformado num pedaço de Itália - um indivíduo do sexo masculino, já alcoolizado, começou a perturbar toda a gente que se encontrava no bar, o único da vila. Chamadas as autoridades, o polícia de serviço, o único existente, fez o que lhe competia: fechou o homem no chilindró, a ver se o acalmava. Nada como uma noite de solidão, para se pensar na vida e tomar um pouco de juízo, disse para si mesmo.

No dia seguinte, o homem acordou espantado dentro da prisão. Não se lembrava de quase nada, muito menos de como teria ido parar naquele lugar sinistro, a única cela da única esquadra existente na ilha. Gritou, oh da casa!, mas ninguém o acudiu. A esquadra de uma cela só estava deserta. Quando verificou que a porta estava aberta, compreendeu de imediato qual era a sua situação e sorriu. Calmamente saiu do local e foi para o mesmo bar de sempre. Lá estava sentado o único polícia a jogar uril, afinal estava um Domingo solarengo, não era dia para se passar enfiado no cubículo escuro e desconfortável que era o seu local de trabalho, muito menos por causa de um irresponsável que bebera para além da conta.

O homem chegou perto do polícia e com toda a calma do mundo, sem deixar escapar um tom de reprovação disse:

"O senhor polícia faça-me o favor de me ir soltar da cadeia, que eu tenho mais do que fazer."

E voltou para a cela, onde esperou, tranquilamente, que o único polícia da vila o fosse soltar, não sem antes o encher de recomendações para que da próxima vez se comportasse como um homem e não como um adolescente imaturo. Interromper o seu jogo num Domingo, onde é que já se viu?




   


You may also like

7 comentários:

Cesar Schofield Cardoso disse...

Esta cadeia do Sal é uma atracção turística pá! Vai uma peça de teatro?

João Branco disse...

Cesar, "ilhas das dunas" é na Boavista... hehehe Esta estórea tem origem lá. Não no Sal.

Pé Esquerdo disse...

É o Prison Break à moda de Bubista :)
Tenho saudades do tempo em que na nôs Terra não se precisava de medidas extremas para punir os mais desobedientes, que era sô uns cambada de latosos... Mas os tempos são outros!!

Anónimo disse...

Porque, como disse Stendhal, "Quando se está preso, o pior é não poder fechar-se a porta"!

a) RB, anónimo por obrigação

Tchale Figueira disse...

Esta é mais velha que o Arco da Velha!!!! ahahaaaha

João Branco disse...

Tchalé, nem toda a gente ouve as estóreas do Arco. Moss!!!

Cesar Schofield Cardoso disse...

Ai porra! Sal, Boavista...é tudo areia, eheheheheheh.