Um Café Curto

16 Comments


Só mais uma. Bem que se tenta passar uma semana sem falar das calinadas da cúpula da Igreja Católica, mas eles não querem. Vai ver e isto não passa de uma bem pensada estratégia de marketing para dar nas vistas. Só pode!

Desta vez foi notícia a afirmação do Papa Ratzinger, a caminho da sua primeira visita ao continente Africano, de que a distribuição de preservativos não é a solução para a SIDA/AIDS. "Não se pode resolver isso com a distribuição de preservativos. Pelo contrário, apenas aumenta o problema."

Cerca de 22 milhões de pessoas estão infectadas na África Subsaariana, o que corresponde a cerca de três quartos das vítimas de SIDA no mundo inteiro. Talvez, sublinho, talvez a utilização massiva de preservativos tivesse impedido tamanha catástrofe humanitária. Mas sobre isso o Papa não tem nada a dizer. Quem sabe se daqui a 500 anos o Vaticano estará a emitir um pedido público de desculpas. A história repete-se, deviam saber.



You may also like

16 comentários:

Anónimo disse...

Cá para mim este senhor está caquetico, e preisa é de ser reformado urgente! É disparate atrás de disparate...ele devia passar uns dias no eio das comunidades africanas assoladas pela sida,constatar o sofrimento dos infectados, viúvos, orfãos, para ver ser não muda o discurso.Hipócrita!

Anónimo disse...

Caro João,

Recomendo uma leitura atenta do documento “PROJECT LESSONS LEARNED CASE • STUDY - What Happened in Uganda? - Declining HIV Prevalence, Behavior Change, and the National Response “ apresentado à Conferência Internacional sobre a Sida em Barcelona 2002.

O que a experiência nos diz no caso do Uganda, o maior caso de sucesso no combate à SIDA em África na década de 90, é que o preservativo não é um factor determinante nesse combate - “Condom social marketing has played a key but evidently not the major role: Condom promotion was not an especially dominant element in Uganda’s earlier response to AIDS, certainly compared to several other countries in east-ern and southern Africa”. Isto foi também afirmado pelo presidente ugandês, na mesma conferência, e causou polémica logo em 2002.

Obviamente que neste caso, como em outros, o politicamente correcto não quer que os factos reais estraguem uma boa estória. Sobre a SIDA todos achamos que já sabemos tudo, quando sabemos apenas aquilo que passa na comunicação social e pouco daquilo que devíamos saber. Sobre a Sida em África está construído um mito. Pelo contrário, a Igreja sabe bem do que fala, são homens e mulheres que estão lá onde os africanos morrem diariamente, e não passam a vida em seminários e workshops, quase todos patrocinados pelas multinacionais farmacêuticas.

O factor determinante da SIDA em África é a poligamia e a promiscuidade sexual, ou o João tem dúvidas?

Cumprimentos,
Paulo

Anónimo disse...

Razão, razão, tem o Luís Afonso no Bartoon da edição de hoje do "Público", em que o "bartender" - confrontado com a afirmação papal de que a sida não se combate com preservativos - declara: "Eu até acho este Papa bastante sensato...sobretudo quando está calado."

a) RB, anónimo por obrigação

mdsol disse...

A imagem está o máximo... Também tenho lá uma nota do meu cantito... Esta posição é insustentavel porque a razão prática a destitui de qualquer sentido.
:))

Anónimo disse...

"...a Igreja sabe bem do que fala, são homens e mulheres que estão lá onde os africanos morrem diariamente..." escreveu o Anónimo Paulo.

E com razão, Segundo o editorialista Nuno Pacheco do jornal "Público", que subscrevo, a posição papal "esbarra na dura realidade de milhões de vítimas e ignora que, não apenas em África, mas em particular nela, padres e freiras colaboram na tarefa de distribuir preservativos a uma população devastada. Os princípios, por fortes que sejam, não podem ignorar que deste modo se salvam vidas, e muitas já se perderam por causa de um desleixo que nenhum apelo à abstinência resolverá".

Na verdade e de acordo com a OMS, das instituições de combate à sida em África 27% são ligadas à Igreja Católica e muitas delas distribuem o preservativo sem problema.

Irão ser todos excomungados?

a) RB, anónimo por obrigação

Disordinedeimedici disse...

ciao da roma dal papa

Anónimo disse...

Concordo contigo João. Acho que ficou claro que a SIDA não se combate APENAS com o uso do preservativo. Há várias frentes nessa guerra, e uma das formas de combater numa dessas frentes é estimular e difundir o uso do preservativo.Obviamente que comportamentos de risco têm sido uma das principais causas de propagação da doença, mas também ouve outras, aliás eu ainda me lembro em Cabo Verde de levar vacinas com seringas recicladas, imagine-se no resto da África e do Mundo, o que já não se fez; nos hospitais, transfusões de sangue, a simples partilha de uma gilette, enfim, podia ficar aqui a enumerar as formas de contágio o dia todo...Portanto que me desculpe o Paulo, mas ele e o Papa têm visões distorcidas e perniciosas da realidade...

Usemos, SEMPRE, camisinha!!!

Abraço

Pimintinha

João Branco disse...

OH Paulo tem lá santa paciência (ja que és católico, como parece) Estás a dar-me razão. Então se "o factor determinante da SIDA em África é a poligamia e a promiscuidade sexual", como disse, não teriam sido evitadas MILHÕES DE MORTES, com uma distribuição de preservativos, campanhas para a sua utilização, etc?

E essa da promiscuidade sexual tem piada, até porque que se saiba os grandes produtores e consumidores da indústria da pornografia e prostituição não estão em Africa, mas sim nos países Ocidentais!

E esta hein?!

Anónimo disse...

Bem dód João.Coragem irmon!

Anónimo disse...

RB,
O que alguns desses homens ou mulheres da Igreja fazem não é norma nas organizações católicas, admito que alguns entreguem preservativos às mulheres, para que estas se defendam das incursões de homens seropositivos. Podem até salvar de uma infecção, se esta convencer o homem a usar (duvidoso). Mas vai salvá-la sempre? Até quando?

O Papa disse que o preservativo não é uma solução para o problema da SIDA – o que é que está errado?

João,
A moderna crença em alguns países africanos de cura da SIDA através de relações sexuais com virgens - é o quê? Tradição ou promiscuidade?


Paulo

Hieninha disse...

O Rato Cantor (Rat Z(s)inger) fez todos os seus seguidores acrediterem que o virus passa através de buraquinhos minúsculos do preservativo.

Anónimo disse...

Este papa foi da Juventude Hitlariana :PAPANAZI- Agora é chefe da igreja catolica que na idade média matou mais gente na fogueira do que os nazis aos judeus, ciganos, e outros. Onde está moral deste homem e os seus discipulos?
É fundamental conhecer a história... Inquisição, Hitler, Stalin, Polpote, e mais e mais e mais... Há dias ele disse: Vou tomar a Africa em meus braços- Certamente, para torcer o pescoço dos Africanos!...

Tchale Figueira

João Branco disse...

Paulo, não confundas CURA com PREVENÇÃO. Se houvesse prevenção não seria preciso falarmos de cura, não achas?

Anónimo disse...

Enquanto não houver cura para esta doença, somente nos resta combater da forma mais eficaz possível – só assim se salvam o maior número de vidas possível. O que a realidade tem demonstrado é que: o sucesso é maior nos países em que as campanhas têm incidido na educação; numa maior responsabilidade individual; e apelando à abstinência sexual dos infectados. Estes são os casos do Uganda e do Malawi, já nos países onde a ênfase tem sido diferente com uma forte aposta na distribuição massiva de preservativos a situação agravou-se, e muito – é o caso da África do Sul e de Moçambique.

O que o Papa disse foi que a forma mais eficaz de combater a SIDA não é o preservativo, esta é uma afirmação confirmada pela realidade africana.

Recordo há uns anos uma feliz campanha contra a SIDA em Cabo Verde, em que para além da sugestão do uso do preservativo, o foco das acções de comunicação e dos outdoors apelavam também à fidelidade dos casais e à abstinência sexual dos jovens adolescentes. Estava no bom caminho a luta contra esta terrível doença em Cabo Verde. E hoje?

Paulo

Anónimo disse...

Tchale,
A Igreja chefiada por este Papa faz mais pelos africanos pobres, do que os seus legítimos e ilegítimos governos - é esta moral deste homem.

Paulo

Anónimo disse...

A igreja é pelo poder igual aos tais legitimos e ilegitimos Governos Africanos que tu dizes Paulo. O Banco do Vaticano dá algum? Já viste a ostentação e riqueza do Vaticano? O tal de Jesus como diz e bem Fernado pessoa: Nuca constou que tinha biblioteca nem era dono de um Banco... Ter fé é bom amigo mas ser manipulado pelos dogmas de há 2000 anos de uma coisa que nimguem até hoje provou a sua existencia?

Tchale Figueira