Cafeína

4 Comments


"Reparai que a palavra se vai tornando acolhedora das mais vis cumplicidades, e confessai que a bondade das vossas palavras foi sempre - ou quase sempre - mentirosa. Alguma vez temos de deixar de mentir, porque, no fim de contas, só de nós dependemos, e mortificamo-nos constantemente a sós com a nossa falsidade, vivendo assim encerrados em nós próprios entre as paredes da nossa estuta estupidez.

Os bons serão os que mais depressa se libertarem desta mentira pavorosa e souberem dizer a sua bondade endurecida contra todo aquele que a merecer. Bondade que se move, não com alguém, mas contra alguém. Bondade que não agride nem lambe, mas que desentranha e luta porque é a própria arma da vida. E assim, só se chamarão bons os de coração recto, os não flexíveis, os insubmissos, os melhores. Reinvindicarão a bondade apodrecida por tanta baixeza, serão o braço da vida e os ricos de espírito. E deles, só deles, será o reino da terra." 

Pablo Neruda, in "Nasci para Nascer" (a propósito deste post do Geração 20J73)



You may also like

4 comentários:

Anónimo disse...

Creio que a síntese entre os dois "posts" se pode encontrar neste belíssimo poema de Sophia de Mello Breyner Andresen ("O Nome das Coisas"):

"Com fúria e raiva acuso o demagogo
E o seu capitalismo das palavras

Pois é preciso saber que a palavra é sagrada
Que de longe muito longe um povo a trouxe
E nela pôs sua alma confiada

De longe muito longe desde o início
O homem soube de si pela palavra
E nomeou a pedra a flor a água
E tudo emergiu porque ele disse

Com fúria e raiva acuso o demagogo
Que se promove à sombra da palavra
E da palavra faz poder e jogo
E transforma as palavras em moeda
Como se fez com o trigo e com a terra."

a) RB, anónimo por obrigação

Anónimo disse...

Pablo Neruda é simplesmente maravilhoso, eleva-nos simplesmente.

Manu Moreno disse...

Oi parceiro RB, anónimo por obrigação..."Só me das trabalho", depois de ter bebido a chavena de morabeza neste cefé sem fumo que nos possa fazer mal, mais sim do fumo com um perfume cheio de amizade, aculturação, sabedoria e mta cultura geral...Tenho que ir investigar Sophia de mello breyner Andresen pra ficar a saber quem é ela...Obrigadom di curaçom!!

Blinda nós amizadi na margoso!
Kel abçom di coraçom!
ManuMoreno

João Branco disse...

Manu, vai e procura, porque a Sophia é Poeta Maior, assim com letra maiúscula. Uma das melhores em lingua portuguesa e não só. É daquelas que merecia um Nobel, de caras.