Um Café dentro de um elevador

13 Comments


Este fotografia foi-me enviada como sugestão para a secção das "Legendas Cafeanas". No entanto, preferi este contexto porque dessa forma se pode melhor enfatizar como é interessante a análise deste momento. Um momento Kodak, como se costumava dizer. 

Num elevador de serviço, a caminho do baile, a Primeira Dama é gentilmente aquecida com o casaco do Sr. Presidente, o seu par da noite. Como vinha escrito no mail que recebi, esta é, em verdade, "a arte de se saber rasgar o protocolo…" Afinal de contas, este é um Presidente dos EUA, possivelmente o homem mais poderoso do planeta, mas também um homem de carne e osso, que ama a sua esposa e não perde pitada dum namorico. Quem vai dizer: “Ó Mister Presidente, namorar, não!”?

Adorável é ver o pessoal dos serviços secretos que nem sabe para que lado é que há-de olhar…



You may also like

13 comentários:

Anónimo disse...

Homens da Cabo Verde, por favor aprendam alguma coisa com OBAMA, di smola!

Pura eu disse...

Nota 10, João: a análise que o momento merecia :)

M

João Branco disse...

Homens, abram os olhos! Se ela estiver com frio, coloquem o vosso casaco nos ombros, não custa nada.

Amílcar Tavares disse...

O President é um verdadeiro cavalheiro! E nota-se a cumplicidade entre os dois.

Só se fala nisso nos EUA.

Helena Fontes disse...

Porquê os homens não podem ser sempre cavalheiros, principalmente os crioulos, made in CV?

Há outras coisas que a foto Kodak revela! eheheheheh

Bonito, sinal da condição humana dos Homens, tão simples como isso!

Aqui na tapadinha, o nosso moranguinho já havia inaugurado o discurso político da afectividade e do amor. Mas nisto ninguém repara, pois são coisas de somenos, quando são nossas. Complexos de inferioridade, ou baixa auto-estima nacional???

;)

Helena Fontes disse...

Porquê os homens não podem ser sempre cavalheiros, principalmente os crioulos, made in CV?

Há outras coisas que a foto Kodak revela! eheheheheh

Bonito, sinal da condição humana dos Homens, tão simples como isso!

Aqui na tapadinha, o nosso moranguinho já havia inaugurado o discurso político da afectividade e do amor. Mas nisto ninguém repara, pois são coisas de somenos, quando são nossas. Complexos de inferioridade, ou baixa auto-estima nacional???

;)

Lily disse...

Eu achei verdadeiramente amoroso e gostei muito da sua análise, João!

Fonseca Soares disse...

Que os há em Cabo Verde, não há dúvida. Mas na política - dirigentes - o 'nosso moranguinho' deu alguns sinais como diz a HF... mas mais do estilo discurso de ocasião. Me parece, a partir das informações que chegam. Outra coisa, é a 'way of life' real, do dia-a-dia...

João Branco disse...

Os crioulos precisam deixar sair os morangos que tem dentro de si... hehehe

Mic Dax (francês) disse...

E qel fotografo da casa branca tava justim la pa tra qel foto.

Ca pod ser um formidavel imagem di propaganda:
- pamod é Obama
- pamod inda é estado "di graça"
- pamod yes we can

Dxam dsconfia dess momento de "intimidade" muito bem construido. Talvês foi espontâneo, ma mesmo assim, foi tambêm muito aproveitado...

M'ta spera q'ess Obamania e tud ess ingenuidade ta dsaparece rapd: m'crê ouvi critica sêbim qond Clinton ousa dzê q'direit humanos ca ta impedi qualquer coisa entra China e USA.

João Branco disse...

Mix, não acredito que a foto tenha sido assinada. E o facto de ele ser um cavalheiro não implica que tome determinadas medidas em termos de política internacional. Uma coisa é clara: a mudança de rumo dentro dos EUA é CLARÍSSIMA a todos os níveis. A nível externo há-de se fazer sentir também.

Mic Dax (francês) disse...

Claro, João.

Ma am otcha bastante significative q'pouco gente reagi a qel declaraçon vergonhosa (*) de Clinton na China. Se Bush tinha dzid ess cosa, tont sapot el tava recebê na cara?

Fca c'boca aberta pa um geste mediatica/mediatisod d'Obama enquanto sê prop administraçon tita pla direitos humanos na China, é preocupante.

Direite d'Michelle d'ca senti frio na caminho d'baile, sorry, ma m'ca tem nada a ver.

(*): Clinton fla "our pressing on those issues (right humans) can't interfere with the global economic crisis"

Felina disse...

Momentos de ternura