Perguntas Cafeanas

18 Comments



E se um dia, sem aviso prévio, nos faltar a inspiração?

À melhor resposta, ofereço um café




You may also like

18 comentários:

Dundu disse...

Ainda assim, respiramos.

Tchale Figueira disse...

Eu não acredito nesta de inspiração. Acredito que tudo aquilo que faço é com paixão sem esforçar nada. Há semanas que não pinto nada mas não é por falta de inspiração. Não tenho ganas, basta!!!... É o tal medo da tela em branco, a folha branca... São meros cliches.

Abraço. Tchale Figueira

JC disse...

Bebemos um café, fumamos um cigarro, fumamos um puro cubano, damos um passeio à beira mar, viajamos, tomamos mais um café, fumamos outro cigarro, voltamos a dar um passeio à beira mar, viajamos para outro sitio...

Que ela – a inspiração – volta sempre.

Nota: sempre com uma banda sonora por ‘baixo’, claro.

Tey Alex disse...

Filiamo-nos a um partido, escolhemos uma religião, tornamos sócio de um clube e deixamo-nos ir com o resto do rebanho, sem nos preocupar quem é o pastor e para onde nos leva.

Anónimo disse...

Eu cá por mim vou até São Vicente!

a) RB, anónimo por obrigação

Kuskas disse...

Quando isso acontece comigo, leio sempre o mesmo livro. AHAHAHAHAH não digo qual porque é um livro cor de rosa que tenho desde os meus 14 anos.

Serve para me mostrar que ainda tenho capacidade para sonhar e fantasiar.

E tu Branco? o que fazes? Vais a Laginha, fumas um maço inteiro de cigarros, colacas uma musica pimba com o volume ao extremo e danças???

Abraço

Anónimo disse...

Nunca! Pelo menos enquanto existirem crioulas e berdianas no planeta.

;)

Lily disse...

Expiro... e depois volto a inspirar!

Anónimo disse...

tomamos um cafe bem margoso e refletimos sobre essa falta de inspiracao. E la nascera sem duvida uma inspiracao qualquer.

Bom dia Djon

Guy Ramos

Tiago Leão disse...

Podemos sempre vir tomar um cafezinho ao teu espaço... e, já que aqui estamos, deixa-me aproveitar para mandar um abraço para o R.B., que na sexta-feira passada conheceu a minha amiga Margarida numa «tasca» de crioulos em Lisboa: grande abraço R.B.! E já agora para te dizer, João, que estou para te dar há uns meses o «Assim, como as cerejas...», livro que marca a estreia poética da Margarida. Às vezes o Mindelo é grande...

João Branco disse...

Dundu, mas imcompletamente...

Tchalé, há quem diga que "ganas" e "inspiração" são uma e a mesma coisa...

JC, e se não houver cigarros. Aliás, falta aí um perfume de mulher!

Tey, mesmo que formos levados para um precipício?

Kuskas, tudo certo menos a parte dos cigarros, que deixei de fumar há que tempos! Gostei especialmente a parte da música pimba! hahahaha Quanto ao teu livro, por acaso não é o "Fernão Capelo Gaivota"?

Anónimo, bem visto.

Lily, fica tudo na esfera do biológico!?

Guy Ramos, obrigado pelo elogio! :)

Tiago, se estivessemos zangados cruzar-nos-iamos umas dez vezes por dia! heehhe

Manu Moreno disse...

Djonsa, no meu ver é impossivel estar sem inspiração, por isso:

No momento inusitado
Defino o belo
Mergulho no imaginario
Estou inspirado

A inspiração advém da propria experiêcia
Das mudanças do ambiente e do proprio lugar
Dos novos caminhos, culturas e do folhear
Do bem querer visual da propaganda

É ligação a vivencia
É o existir do feio
É chegar ao belo
Inspiração é a guia da vida!

Kel abçom di kuraçom xeio di inspiraçom!!
ManuMoreno

João Branco disse...

Certeiro, como sempre, Manu. Abrasu! JB

argumentonio disse...

bem, primeiramente, longe vá o agoiro... ele há coisas que podem acontecer que melhor mesmo é não acontecerem pa desprecisar de saber o que é que aconteceria se acontecesse!

depois, segundamente, a pergunta é um quê desinspiradora mas por outra parte inspirou respostas aguçadas e destemidas, parece que tantos caíram no caldeirão dessa coisada quando eram pekaninos...

agora, terceiradevezmente, eu cá fiz uma assinatura de seguro para a falta de inspiração chegar sempre mediante aviso prévio com antecedência antecipativamente antecipada, com registo e acuso de recepção mais o reconhecimento notarial da firma do desinspirador que se lembrar de mim para efectivar o efeito, meu...

e se houvera mais pa dizer tá no meu esquecimento mesmo já só que vou processar o carteiro da carta que não chegou na vergonha dessa desinspirada e desispiradora desinspiração, dâsse

;->>>

Anónimo disse...

Abração, Tiago. Eu nem sabia que tinhas regressado definitivamente às origens. Já agora: a "tasca" "soncentina" em que conheci a Margarida deve ser devidamente identificada. Chama-se "Estrela Morena", fica lá na Rua da Imprensa Nacional e é um espaço muito pequenino mas extremamente agradável. Quem puder passe por lá: o Vicky e a Edna agradecem!

zito azevedo disse...

Quando, mesmo com aviso prévio, mingúa a inspiração, aumenta o esforço necessário para se atingirem as nossas metas, ou seja, aumenta a transpiração!
Zito Azevedo

João Branco disse...

Arguemnt, quando e onde te posso pagar um café?

Zito, a transpiração tem que lá estar sempre. Não acredito em geração espontânea de nenhum tipo!

zito azevedo disse...

Nhô Roque Gonçalves, que foi meu professor de filosofia, costumava dizer que inspiração era um eufemismo com o qual se caractarizava a habilidade inata de alguns, no domínio das artes e das ciências, ou seja, daqueles que conseguiam alcançar determinado desiderato com menor esforço do que os outros mortais...
Avé, Nhô Roque!
Zito Azevedo