Café Visual

5 Comments

Há um artista plástico cabo-verdiano que é ao mesmo tempo o melhor contador de histórias que conheço. Cada tela tem uma longa e original história por trás, pela frente, pelos lados e noutras perspectivas que ninguém mais vê. Cada tela é trabalhada, pensada, experimentada, ultrajada, construída, pincel a pincel, cor a cor, como diria o poeta.




«Cmê Deus e as Mulheres» de Manuel Figueira




You may also like

5 comentários:

Anónimo disse...

Tens razão. Dos melhores que conheço, e dos que mais aprecio...simplesmete magníficas as suas obras...


Pimintinha

Anónimo disse...

Txeu N ta deve-l!

`el ta merese un statua au ladu de Torre de Belem. Ma ise ten de ser antes de se dezaparesimente fizike. Ma pa el ter longa vida pa el pode apresia k'un surize narsisista es tribute de se ilha.

Mi N ta gosta e de se tela intitulode: A louca e o cego amam-se em qualquer lugar.

`es tela ten un storia fantastike y se kompusisaun de kores y dinamika de ses figura ta interpreta es tema ta vra-me doide. Parse-m el e storia de Ketxanpantxan y se lover un sege de nos prasa.



Guy Ramos

Mic Dax (francês) disse...

El ca ta merese um statua: é cinco, dez, vinte statua q'gente tem q'dedica-l na Torre de Belem. Ca tem ninguém na Cabo Verde sima el.

Tiago Leão disse...

Não podia estar mais de acordo, para mim, este Homem, e as suas telas, estão realmente num outro patamar... e, voltando à discussão de há dias, não me parece que seja uma questão de inspiração...

João Branco disse...

Sem dúvida, Tiago. Aqui há muito, muito, muito trabalho.