Declaração Cafeana

11 Comments


Eis o que a Igreja Católica tem a dizer às mulheres de todo o planeta: "ponha detergente, feche a tampa e relaxe.

Uma atrás da outra. Desde que este Bento XVI (não confundir com o Bento XII que veio de Munique atordoado) se sentou no cadeirão do poder no Vaticano, as posições oficiais e oficiosas da Igreja Católica sobre múltiplos assuntos fazem lembrar outros tempos remotos. Não há semana que passe que não se ouça ou leia um representante de Roma a largar bordoadas que, permitam-me a expressão, louvara Deus!

A última soube-a através do sítio da RTC que nos dá conta que o jorna oficial do Vaticano "L'Osservatore Romano", publicou este fim-de-semana um artigo segundo o qual a máquina de lavar talvez tenha feito mais pela libertação da mulher no século XX do que a pílula anticoncepcional ou o acesso ao mercado de trabalho. 

A declaração faz parte de um artigo sobre o Dia Internacional da Mulher. Intitulado "A Máquina de lavar e a libertação das mulheres - ponha detergente, feche a tampa e relaxe", o artigo escrito por uma mulher questiona o que no século XX fez mais para libertar as mulheres ocidentais e responde: “o debate é acalorado. Alguns dizem que a pílula, alguns dizem que o direito ao aborto, e alguns [dizem que] o direito a trabalhar fora de casa. Alguns, porém, ousam ir além: a máquina de lavar."

O texto conta depois a história da máquina de lavar, desde um modelo rudimentar de 1767 na Alemanha, até os modernos equipamentos com os quais a mulher pode tomar um capuccino com as amigas enquanto a roupa é lavada. O artigo cita as palavras da feminista americana Betty Friedan, que, em 1963, descreveu "o momento sublime de poder trocar a roupa de cama duas vezes por semana em vez de uma só". As mulheres agradecem, claro!

Quanto a mim, só me apetece dizer, ponha artigos como este na sanita, dê a descarga respectiva, feche a tampa e relaxe! 



You may also like

11 comentários:

Amílcar Tavares disse...

Este Papa é um autêntico equívoco. Não acerta numa!

Anónimo disse...

É João, tens toda a razão. Há situações que mais vale estar calado...estes parecem ser os tempos dos disparates, fundado pelo George Bush...no outro dia ouvi uma notícia que me deixou arrepiada: a Igreja Católica excomungou uma mãe e o médico, que trataram da interrupção da gravidez de uma crainaça de 9 anos, filha e paciente, estuprada pelo padrasto, e grávida de gémeos.Havia sérios riscos psicológicos e de vida da criança, e ainda assim a Igreja considerou um sacrilégio a dita interrupção...terríveis tempos estes...

João Branco disse...

Acertastes, Amilcar!

Anónimo, essa era uma das situações a que eu me referia. Inacreditável!

Anónimo disse...

O "L'Osservatore Romano" referia-se, como é óbvio, às mulheres do Vaticano...!

Lily disse...

Quando li este post, veio-me á memória (não uma frase batida!), mas exactamente a história que o Anónimo publicou...
Ele há coisas... do diabo... ou do Vaticano?!?!

Felina disse...

Felismente ainda há pessoas que não se deixam formatar e têm a lucidez e descernimento de ver o que é verdadeiramente importante para o ser humano, muita maldade se faz neste mundo em nome de um deus

Manu Moreno disse...

Nsta kalado
Não por ser koitado

Nsta estupefacto
Não por estar espantado

Apodera di mi, ó diabo
Bu lebam des porta di terrano

Lebam des mundo di invenção
Lebam des mundo sem kuração

Maldito des pensamento
des amor ki não merecia ter nascido

Kel abçom di coraçom
ManuMoreno

David D. disse...

Não é por mero acaso que Cuba, URSS, China, Coreia do Sul, RDA... trataram de matar uns tantos padres e seus rebanhos...nada como umas fogueiras para libertar essas almas perdidas...!!! Aí esse anti-clericismo primários...inventar excomunhões, dar tanta importância ( reagindo de forma tão agressiva) a um artigo escrito por uma jornalista qualquer usando o humor como forma de chamar a atenção para as suas posições religiosas...por favor!!!

João Branco disse...

David, que confusão que praí vai! Inventar? Andaremos todos com alucinações? Os crimes da Inquisição desculpam as bombas terroristas dos fundamentalismo islãmico? O Holocausto desculpa o massacre na Palestina? O que é que o cú tem a ver com as calças? Cuba, URSS, China, Coreia do Sul (queria dizer, certamente, Coreia do Norte, essa é que está na cartilha que utilizou!) são assuntos outros que nada tem a ver com o retrocesso ideológico que se sente por bandas do vaticano desde que entrou para lá esse Papa que de bento tem só o nome. Quase todos os dias são tornadas públicas declarações, acções e tomadas de posição de membros da Igreja Católica dignas da Idade Média e não dos tempos que vivemos.

Esta de acenar com o Fidel ou o Estaline cada vez que se critica a Igreja Católica foi chão que já deu uvas. Passemos para outra etapa, sim?

David D. disse...

Corrijo, como é obvio referia-me a Correia do Norte... A confusão vai em não entender uma frase irónica. Não referi em momento algum em justificar x com y!!! Nem esse era o sentido da frase ( mais uma vez, IRÓNICA!). A frase chamava a atenção para o facto de em nome de se libertar de um radicalismo se cair no radicalismo oposto ( tipo: acabar com a Inquisição queimando todos o inquisidores, padres e “rebanhos”), o que muitas vezes se chama “transformar o ateísmo numa religião” ,o anti-vaticanismo numa nova Igreja, . Quando me referi a esses países, não estava a justificar a Inquisição ( já lá vão séculos!!! ), ou qualquer outro mal... estava a referir ao facto desses regimes em nome de uma fé ( o comunismo ) terem aniquilado uma outra fé ... de terem feito exactamente o que se propunham teoricamente combater. É ridículo falar da Igreja como se ainda houvesse um Papa a coroar Reis. O Papa não passa de um defensor de uma filosofia que se convencionou chamar religião, sem poder secular. As pessoas, hoje ( não estou a falar do secXV!!), podem seguir a religião que bem entenderem, a ideologia que quiserem ( pelo menos no Ocidente). A Igreja não tem que mudar os seus dogmas para se acomodar a um novo mundo, seria como se se pedisse a um Partido Comunismo que defendesse o capitalismo. A essência de uma religião é ter dogmas, e esses não podem ser alterados. Cabe às pessoas segui-los ou não. Essa é a essência da liberdade.
PS : Aconselho a pesquisar qual a posição do anterior Papa ( em matéria de costumes ), vai descobrir que as diferenças não são assim tão grandes, para além da simpatia, este é da Alemanha, feitios .

João Branco disse...

David, duas coisas. O que disse pode estar muito certo, e isso é discutível, mas o que tem isso a ver com o post em questão? NADA.

Em relação ao anterior Papa, até considerado um conservador moderado, fica parecendo um pastor revolucionário perto do retrógrada Bento XVI. É só ler as notícias todas as semanas. E essas notícias, meu caro, de ironia também tem muito pouco. São a triste realidade da actual retórica ideológica da Igreja Católica.

Abraço