Um Café Curto com a História

6 Comments


Aconteceu ontem o lançamento do livro do historiador Daniel Pereira, intitulado "Memória sobre Cabo Verde do Governador Pereira Marinho & Outros Textos", com apresentações do escritor Germano Almeida e do Dr. Luís Fonseca. Lá se disse, entre muitas outras coisas, que "um povo sem memória é um povo sem história fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado." 

As intervenções foram de altíssimo nível, grandes lições de História. No entanto, esta sessão organizada conjuntamente pela Câmara Municipal de S. Vicente e o Centro Cultural Português, em horário pós laboral, não teve uma plateia repleta, longe disso. Mais ainda sabendo-se que foram convidados alunos e professores dos inúmeros pólos universitários existentes na cidade, alguns dos quais ministrando cursos e disciplinas de História, mas cuja presença não se fez notar, muito pelo contrário. Há sinais que mostram de forma tão clara o que é hoje o ensino superior em Cabo Verde! E mais não digo.


Imagem: "Trascendencia de la memoria" de Vespertino


You may also like

6 comentários:

Anónimo disse...

Moral possível a extrair: a paródia é mais importante que a história!

Nada que admire, nesta(s) sociedade(s) de cultura "fast food".

a) RB, anónimo por obrigação

João Branco disse...

Não diria melhor.

Manu Moreno disse...

Tou de acordo Djonsa i parabens ao historiador Daniel pereira!

1-Devemos identificar a nossa nacionalidade na maioria dos jovens com humildade, mostrar qual o significado da liberdade, o que é ser pobre sem mentalidade e o que é ser rico com a intelectualidade

2-Temos uma democrança de liberdade
mas não temos uma democrança de frontalidade, temos uma democrança e cultura elevadicima na hora de festança, mas temos que blindar a MORABEZA cultural para uma aliança iterna, temos que ter um ensino de aproximidade e que o interece do estudo cheque aos encaregados e responsaveis, não podemos ter uma educação na medida dos possiveis

3-Há uma falta de liderança, também uma falta de continuidade da propria alinça(MORABEZA-INTELECTUAL).Sem essa continuidade e evolução quem perde é a propria criança. Cabo Verde ostenda os maiores indices de desenvolvimento humano e a um par de anos que foi tirado da lista dos paises menos desenvolvidos, se calhar porque Cidade da praia/Sta Maria/Mindelo as pessoas andam todos bem vestidos(alguns ou mmo os representantes/deputados/traficantes), mas esquecemos das outras ilhas como Dja Braba; Sª Nicolau; interior de Santiago; Periferias de Mindelo; Sº Antão, etc...

3- Não sei se já repararam, principalmente na minha ilha de Santiago há traficantes de todas as idades e tipos, que estão a deixar os bairros estrangeiros do tipo sitio onde faziam trafeco e estão residir na terra ilhado sem tempo de volta porque no estrangeiro o cerco ésta é mmo apertadado, ao contrario que na terra ilhado o melhor amigo é aquele que paga copos, que nos da boleia e que nos apresenta kriolas ditas boas e de facil compromisso

5- Em termos de mentalidade social somos falhados, claro com alguma extinção, ou seja nem tosdos são, porque há pessoas de boa coração de uma elevada potencial que durante a sua formação é dos melhores, mas chega a Cabo Verde tende para ser dos piores.

...continua....

No blinda formação pa futuro!!
Viva nós morabeza

Kel abçom di kuraçom
ManuMoreno

Arsénio disse...

Alguns alunos ainda não notarem que estão no ensino superior (e não nos Liceus).

João Branco disse...

Devo dizer que até estranho ler um comentário do Manu Moreno que não seja em poesia, mas é muito importante ler com atenção o que ele diz. E desta vez, em prosa.

Arsénio, nem mais.

Ariane Morais-Abreu disse...

Temos uma democracia de alienason e luxura!! Morabeza sem xintidu hedonista, sem procura de eudemonismo, nem epicurismo, nao passa de kutxubunbun...