Tertúlia dos Mentirosos 86

4 Comments



Os mafiosos no cinema

1972, Nova Iorque. O filme O Padrinho ante-estreia em cinco cinemas. Conta o produtor Al Ruddy que «muita gente ia aparecer – Henry Kissinger, Teddy Kennedy, toda a gente». Nesse dia, recebe um telefonema de um dos chefes da Máfia: «Ninguém nos quer vender bilhetes para essa coisa», reclama este Godfather da vida real.

«Bem, para ser honesto, ninguém vos quer lá», responde Ruddy.
«Isso é bastante injusto, não acha?»
«Que quer dizer com isso?»
«Se fazem um filme sobre o exército, os generais são convidados de honra, certo? Se fazem um filme sobre a marinha, quem fica sentado nos lugares da frente? Os almirantes. Pensámos que seríamos convidados de honra nesta coisa.»

O produtor arranjou uma cópia à revelia da Paramount e organizou uma sessão de O Padrinho só para os mafiosos. «Deviam estar estacionadas à porta umas cem limusinas. No final, o projeccionista telefonou-me e disse: ‘Fui projeccionista toda a minha vida. Nunca me tinham dado uma gorjeta de 1.000 dólares.’»

«Por aqui se vê o quanto aqueles tipos gostaram do filme», conclui Al Ruddy.

Fonte: aqui




You may also like

4 comentários:

Anónimo disse...

uma gorjeta de 1000 dólares

Marco disse...

Sim, é verdade, já tinha corrigido lá no post. Meti um zero a menos. Deve ser porque sou mais forreta a dar gorjetas... :P

JB disse...

Hum vou corrigir a coisa... Obrigado pela chamada.

ManuMoreno disse...

DEZ(menos)UM mafiosos das ilhas, daria uma boa pexa de teatro!

ManuMoreno
Kel Abxom Di Kuraxom!!!!