Cafeína

3 Comments



"Nenhum ministério nos irá salvar desse desinteresse geral por um conceito de cultura que ultrapasse os festivais de verão e os shows do auditório nacional . A cultura é uma variedade de valores. E como diria, mais uma vez, Borges “para a razão, para o entendimento lógico, tal variedade de valores pode constituir um escândalo, mas não para os sonhos, que têm sua álgebra singular e secreta, e em cujo ambíguo território uma coisa pode ser muitas." Tenho tido razão ao pensar que a boa cultura não precisa de subsídios. Precisa de amantes. De artistas por inteiro. De fãs incondicionais."

Abraão Vicente - artista plástico cabo-verdiano



You may also like

3 comentários:

zito azevedo disse...

A cultura dá trabalho, é exigente, quáse despótica, irreverente, séria, honesta, singela e singular, ciumenta, recatada e exibicionista, fria e quente nunca fervente, minúscula e gigantesca, branca e preta e nunca cinzenta, nem oito nem oitenta, nunca chora nem se lamenta, apenas existe, num mundo infiel e triste que dela desiste...

Anónimo disse...

Em vez de seminários e conferências em circuitos associativos fechados, cada vez se torna mais claro que a cultura tem de ir ao encontro dos cidadãos, procurar espaços educativos abertos e diversificados e a camadas cada vez mais precoces.

in http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article47718&ak=1

Aprende com tua conterrânea e deixa de te armar em bom.
Oh menino mimado..

(poderia ignorar-te, mas como no fundo até pareces interessado vai esta ajudinha)

JB disse...

Olha-me este!

Publicado o comentário, cá vai a réplica: oh caramelo, vê-se logo que nunca estiveste num festival mindelact, porque se há actividade que é feita em circuito aberto, que vai ao encontro dos cidadãos, que procura espaços educativos abertos e diversificados, é este mesmo!

Fica-te bem, esse espírito altruísta. A gerência agradece!