Cafeína

1 Comments




"O que é importante hoje é recuperar os nossos sentidos. Temos de aprender a ver mais, a ouvir mais, a sentir mais. A nossa tarefa não é descobrir numa obra de arte o máximo de conteúdo, e ainda menos espremer mais conteúdo de uma obra do que aquele que já lá está. A nossa tarefa é reduzir o conteúdo de modo a podermos ver realmente o que lá está. O objectivo de qualquer comentário sobre a arte deveria ser nos nossos dias tornar as obras de arte – e, por analogia, a nossa própria experiência – mais, e não menos, reais para nós. A função da crítica devia ser mostrar como é o que é, ou mesmo que é o que é, em vez de mostrar o que significa. (...) Em vez de uma hermenêutica precisamos de uma erótica da arte."

Susan Sontag, em Contra a Interpretação (escrito em 1964, convém que se diga)

Imagem: obra de Kawara





You may also like

1 comentário:

zito azevedo disse...

Acho que D.Susana tinha razão em 64 e continua a ter hoje. Nunca acreditei que o critico tivesse que explicar o significado da obra: isso é obrigação da própria obra!