Cafeína

5 Comments




Natal 01

"O Natal é uma grande celebração dos valores da Classe Média. Grandiosas e fartas festas são oferecidas em nome da santíssima trindade: a tradição, a família e a propriedade. Para celebrar estes três pilares de devoção, institui-se a figura do “Natal em família”, uma festa que acontece tradicionalmente todos os anos, com o maior número de familiares possível, normalmente na propriedade do patriarca. E não é uma festa qualquer: é uma espécie de prestação de contas coletiva e anual, algo como uma convenção para tornar pública as vidas alheias. Principalmente suas partes ruins."

Natal 02

"Não adianta tentar fugir: para ser médio-classista, é estritamente necessário gostar do Natal. O Natal é uma festa que acontece todo final de ano, onde as pessoas louvam um deus sempre retratado de barba, que veio do céu para trazer à humanidade o que realmente importa nesta vida. Trata-se do Papai Noel, carregado com um saco bem grande de bens de consumo. O Papai Noel é uma divindade muito louvada pelos médio-classistas, um personagem criado pela indústria de refrigerantes como o símbolo da festa mais importante para a Classe Média: a época das compras de Natal."

Pierre do Brasil in Blogue Classe media way of life




You may also like

5 comentários:

Anónimo disse...

Existem milhões de homens e mulheres para os quais o Natal é muito mais do que isso. Esta é uma visão suburbana, ou então de quem olha o mundo apenas do lado anglo-saxónico, como se este tivesse começado ontem. O Natal é a grande festa da celebração do nascimento de Cristo, o resto é folclore… e recente.

Um Santo e Feliz Natal a todos,
Paulo

JB disse...

Visão suburbana? Olha que não, meu caro, olha que não. Quanto à celebração, consta que Cristo nem nasceu neste dia...

De resto, respeitando as crenças de cada um, repito: não preciso de motivos para dar prendas ou estar com quem gosto, seja no Natal ou para comemorar o dia dos namorados.

Abraço (e feliz natal!)

zito azevedo disse...

Aos seguidores do "penso, logo existo!" eu informo preferir o lema de António Damásio, segundo o qual "eu sin to, logo existo!",e não me incomodam nada as voltas que Descartes possa dar no seu túmulo...Por isso é que o Natal 01 e o Natal 02, parecem retratos de carnaval, ao melhor estilo brasileiro, pois claro...Nunca senti o meu, assim, e se isso é pecado, então eu, pecador, me confesso!

Caboverdiano disse...

Respeitando as crenças de cada um moda bo dze JB, um passá pe tchob um abraço de Boas Festas. Saude e vida pe bo familia e pa bo. Força ne 2010 que Margoso, e sucesso ne tudo o que bo desejá realizá ness ano novo.

G.Silva

Anónimo disse...

Há um sorriso perdido por aí, há uma mão que busca outra mão gémea, há um beijo vagabundo à procura de um rosto, e há um abraço solidário contra a solidão.
Há, afinal, tanto mundo por aí à solta. Um deles é para Ti.
Boas Festas.

Façam favor de ser felizes!

Feliz Natal e Bom Ano

ZCunha