Um Café na Ponte d'Água

5 Comments




E quatro anos depois lá devolveram (parte) da Baia do Mindelo aos cidadãos, embora só os convidados tiveram o previlégio de pisar os novos caminhos do luxo, entretenimento, lazer e relax que ao que parece vieram tomar conta de uma área impressionantemente vasta numa das zonas mais nobres da cidade do Mindelo. Esta abertura provocou-me, admito, sentimentos algo contraditórios. Por um lado, continua a ser-me dificil ver uma zona daquelas ocupada com um conjunto de estruturas que, por muito vidro e transparência que possa ter, cobre muito do que conhecíamos e víamos da Baia do Porto Grande. Claro que se pode sempre dizer, "preferias quando estavam ali os camiões e a zona servia de cagatório, não?" e a resposta seria neste caso invariavelmente a mesma: melhor assim.

Mas por outro lado, aquilo é tudo tão... sei lá. Os promotores juram que os preços são acessíveis e que estamos perante um oásis urbano (o termo não é meu) ao qual será dificil resistir. Tem um restaurante com uma vista estrondosa, uma piscina que é uma obra de arte estrutural e todo um ambiente sherazade com tendas, cadeiras de verga e estrados de mogno que nos fazem sentir como se estivessemos nalgum outro lugar que não o lugar onde estamos. Se isso é bom? Bem, tudo tem um bom gosto tão requintado que até faz impressão, é tudo demasiado chique, a gente não se habitua. Mas o hábito faz o monge, não é? E utilizando uma expressão popular, é preciso tê-los no sítio para realizar um empreendimento como este numa cidade como esta. Portanto, vou-me habituando à ideia, que remédio. Mas por enquanto que não experimentar o café do café - sabor e preço - e não vir com os meus próprios olhos como tudo funciona quando um daqueles temporais de ventania visitar o Mindelo como faz tantas vezes ao longo do ano, vou deixando conclusões mais definitivas para outra altura.




You may also like

5 comentários:

Mindelo disse...

As obras no Marginal não vão terminar. já está uma placa para futura instalações do BAI. Que tipo de arquitectura e construção vamos ter aí.

Anónimo disse...

Meu caro as obras que refere são internas dento do Ponte d'Agua, seja mais atento. Agora essa do JB não esperava. Pôr em causa um projecto que durou 4 anos a ser construido e onde se investiram 3 milhões de euros. Nem daqui a 5 anos vão reaver os milhões ali investidos. Ademais criaram 70 empregos nesta ilha, onde o que mais falta são postos de trabalho. Vistas para a Baia do Porto grande não faltam é só entrar aí para ver a Baia agora sim valorizada e enquadrada com gosto e requinte.Chega de provincianismo nesta terra. Querem que tudo continue como está!

JB disse...

Mas quem está a por em causa o projecto? O amigo anónimo leu (assim, ler mesmo) o que acabei de escrever? Não me parece. Ou se leu, não entendeu. Cumprimentos.

Anónimo disse...

João ignore o Anonimo. Como queres que ele leia se não sabe nem escrever o seu proprio nome:) Obrigado pela informação. diga depois do café que achaste do lugar. Mas de facto "melhor assim" nao quer dizer bom. Falta visão de futuro num pais que ainda nao sabe o que o turista procura nao corresponde ao que nos enche muitas vezes olho no nosso "provincianismo insular". A subida do fortim que tinha vista desde aqui de baixo foi tornado num beco d acesso. deu trabalho a muita gente, mas vai dar mais trabalho tirar de lá essas casa/murros para podermos voltar a ver. PCésar"tchibosquinho";)

Val disse...

Anónimo : 70 empregad aoje, 11.000$ pa mês (luxo! luxo!). 2010: 30 empregad, 9.500$ por mês. 2011: 20 empregad, 8.500$. Bo t'aposta, man? Ba pdi traboi, bô t'oia.